Reflexões sobre a rede online da Nintendo

Saudações aos palacianos.

Faço aqui neste post algumas reflexões acerca do que tem sido a rede online da Nintendo desde sua implementação com o DS. E muitas críticas também. Acompanhem.

Na última sexta-feira foi publicado no site da EDGE trecho de uma entrevista dada por Shigeru Miyamoto. No texto ele fala um pouco sobre a visão dele da rede Nintendo Wi-Fi e a necessidade ou não de tornar o serviço pago. A metéria original está aqui. Abaixo está a tradução:

“…Provavelmente a outra coisa que estamos seriamente considerando é o núcleo (online) da estrutura de negócios, o chefe de Análise e Desenvolvimento de Entretenimento nos contou. Nós precisamos exigir dos clientes taxas mensais para aproveitar atividades online? Ou oferecer uma inscrição online que é livre de taxa, mas então oferecer alguma coisa extra paga às pessoas, então elas têm algum valor extra? Com esse núcleo de estratégias eu acho que somos menos ativos do que deveríamos ser”

(…)

“Para ser honesto, eu acho injusto toda vez que eu escuto tais comentários – que a Nintendo não é proativa quando se fala sobre sua estratégia online. O fato é que é que sempre queremos todos os consoles Wii conectados à internet, o tempo todo, então a Nintendo nunca foi menos que proativa nesse tipo de esforço”

O final da declaração era sobre MMOs, gênero o qual nutro o mais profundo desprezo, então nem perderei tempo falando sobre. Todavia meu foco será sobre a rede Wi-Fi, em especial a do Wii. Sendo muito franco: a rede do Wii é ruim. Isso mesmo. Somando os prós, contras, recursos e ferramentas; no fim das contas é ruim. Funciona? Sim, funciona. Mas isso é o mínimo, é obrigação. E a Nintendo Wi-Fi não vai muito além disso.

De tudo o que joguei online no Wii, só com Mario Kart tive uma experiência satisfatória. Jogar Super Smash Bros Brawl online é tão bom quanto tomar kisuco de graviola quente. Em algumas lutas de Tatsunoko vs Capcom dava para fritar um miojo entre um hadouken e outro e dava para escrever uma tese de doutorado entre um especial e outro. No Pro Evolution Soccer eu sequer achei adversários para jogar. Mas mesmo nos casos em que a experiência online funciona, ela é deveras limitada, como no caso da total falta de comunicabilidade no Mario Kart. Isso sem contar os infames e constragedores Friend Codes, que certamente serão motivo de riso quando o Wii entrar para as páginas da história dos video games. Digo isso porque hoje os FCs são motivo de irritação mesmo.

Mas voltando à fala de Miyamoto, um serviço pago de internet além de ser fora do que normalmente a Nintendo pratica com seus consoles, seria um erro enorme a meu ver. Para início de conversa, não considero nem um pouco a Live como um modelo a ser seguido. Até porque a PSN tem ferramentas equivalentes, funciona tão bem quanto e não cobra os usuários de Playstation 3. Mas o fato é que sob qualquer prisma, a Nintendo Wi-Fi é limitada, restrita e conservadora. Miyamoto pode achar as critícas injustas, mas a verdade é que elas são verdadeiras, e ser proativo vai além de marcar torneios de Mario Kart e atividadezinhas especiais em Animal Crossing.

Quando se lê entrevistas com desenvolvedores, mesmo que de forma oblíqua, o online do Wii é sempre visto como uma dificuldade ou um obstáculo ao desenvolvimento de um jogo. Tenho certeza que o pessoal da Capcom teve exaustivas aulas de Rebolation para conseguir fazer a porção online de Monster Hunter 3 funcionar a contento.

Por fim…

Duvido muito que a estrutura online do sucessor do Wii ou do 3DS seja baseada em um modelo pago. Se a Nintendo enveredar por esse caminho não será um erro histórico, como será uma contradição enorme com sua filosofia baseada no Blue Ocean. Mas esse tipo de dúvida mostra que embora não admita, a Nintendo percebe que seu modelo atual não funciona direito. Não se trata de um desastre, mas que é algo que pode ser bem melhor, isso não há dúvida. Aliás, não só pode como deve. Miyamoto sabe bem disso, talvez até tenha sido essa a razão de sua declaração ter sido tão defensiva. Mas ao menos, admitir (mesmo que em parte) o problema é um passo para o início da sua resolução.

A muito o que fazer nessa área, e uma rede online bem estruturada é uma recurso importante que qualquer console deve dispor. Essa talvez seja a principal falha do Wii. Ainda dá tempo para a Nintendo acordar e resolver esse problema. Só depende dela.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

18 thoughts on “Reflexões sobre a rede online da Nintendo

  1. Achei sinceramente que vc ia ficar flaando de friend codes, mas acho que já falou disso né?

    o tão ridículo, que nem pra eles fazerem 1 friend code por console, mas é 1 por jogo.

    O Mario Kart do DS é tão podre online (as vezes) que eu to em 1, quando vou cruzar a linha de chegada, apareço em 3 ou 4 oO’

    BIZARRO!!!

    o Ultimate Mortal Kombat até que funciona, qdo acha-se alguém pra jogar… 😀

    a única coisa que presta são os “updates” que alguns jogos tem, como o professor layton e picross…….

    agora, nada como conectar meu ps3, jogar os jogos que eu JÁ comprei online de graça….

    entraria com um processo contra o PS3 se ele fosse pago, já que paguei 15 doletas pelo battlefield 1943 e ele é SÓ online! >.<

  2. “Mas voltando à fala de Miyamoto, um serviço pago de internet além de ser fora do que normalmente a Nintendo pratica com seus consoles, seria um erro enorme a meu ver. Para início de conversa, não considero nem um pouco a Live como um modelo a ser seguido. Até porque a PSN tem ferramentas equivalentes, funciona tão bem quanto e não cobra os usuários de Playstation 3. Mas o fato é que sob qualquer prisma, a Nintendo Wi-Fi é limitada, restrita e conservadora. Miyamoto pode achar as critícas injustas, mas a verdade é que elas são verdadeiras, e ser proativo vai além de marcar torneios de Mario Kart e atividadezinhas especiais em Animal Crossing.”

    Toda vez que eu vejo ” a meu ver” eu paro de ler, porque é algo tão clichê…

  3. Cara.. .não sei.. penso que talvez a Nintendo não veja a real importância de investir na experiencia multiplayer online.
    Por que? O Wii é, sempre foi e, provavelmente, sempre será um console para multiplayer local.
    Essa é a grande sacada da Nintendo.
    Li uma frase assim.. em um fórum de videogames..

    “é muito mais legal jogar melhor do que seu vizinho do que jogar melhor do que milhões de desconhecidos”

    Concordo.

    Comentário do AvcF: O Wii é imbatível quando se fala em multiplayer local. Mas no online falha feio.

  4. Pensei que eu fosse o único no mundo que não suporta esses MMO’s. A filosofia de conexão do Wii é tão lamentável quanto a do Gamecube foi, a diferença é que a do Wii existe mesmo aos troncos e barrancos. Espero que esse esquema pavoroso dos FC seja banido de uma vez por todas na próxima geração.

  5. Também não grado de MMO’s… já tentei mas não consegui. Aliás, nunca me adaptei a qualquer jogo online, muito mais divertido chamar alguém pra sua casa e poder ficar tirando onda porque ganhou de perfect.

  6. É triste essa mentalidade da nintendo pra se proteger de pedófilos =( … a merda dos pais q nao sabem cuidar do que os filhos veem e quem paga o pato sao os consumidores da nintendo, so pra ela manter essa imagem de “seguro para a familia”, lamentavel..

    anyway..
    Super Smash Bros Brawl online só com um amigo e msn do lado ligado =/

  7. Sempre achei bizarro nos topicos da nitenndo aqueles numeros enormes
    e quando descobri o pq deles fiquei surpreso.
    nessas horas q a psn e a live são boas,ja q vc pode add qualquer um por nome e nao por numeros gigantes!

  8. e q qtem de errado com os MMO’s???
    é um dos meus generos preferidos,q eu mehor sei jogar e q tenho mais amigos on!!! Oo

    Comentário do AvcF: de errado, nada. Só detesto mesmo.

  9. Confesso que também não sou fã desse gênero não…

    Quanto ao negócio da Nintendo online, eles têm dado vaciladas do gênero desde a época do GameCube – que eu me lembre, claro!

  10. Jogo alguns jogos do Nintendo Wii online. O que realmente é ruim é a falta de comunicação entre os jogadores. O WiiSpeak é caro, restrito e limitado. Deveria haver um “Headset” e maior suporte a isso nos jogos do Wii. Vale salientar que uso o Wii com o LAN Adapter, não uso a Wi-Fi, pois esta é ainda mais “desconectante”.

    Mario Kart Wii funciona muito bem, nunca deu ‘lag’ ou coisa parecida. Porém, faltam modos de jogo e falta comunicação.
    Super Smash Bros. Brawl eu nunca joguei online, mas faz muito sucesso.
    PES 2010 é limitado online. Demora muito para achar alguém, MUITO. E muitas vezes VOCÊ NÂO ACHA. Jogo raramente ocm uns amigos.
    Call of Duty: Modern Warfare é o que melhor funciona online. Muitos modos de jogo, servidor sempre dinâmico com muitas pessoas conectadas, etc. Muitas opções, etc. Falta a comunicação, mas a ação é tão intensa e frenética que dá até para esquecer por um momento…
    Monster Hunter Tri joguei muito pouco, mas pelo que vi pareceu bem “avançado” para o nível do Wii, em termos de multiplayer online. Todavia, a Sega já havia feito coisa semelhante dez anos atrás com o seu Phantasy Star Online para o Dreamcast.

    Enfim, a Wi-Fi Connection é limitada sim. Poderia ser muito melhor e eu não faria questão de pagar umapequena taxa anual para ter um serviço decente, com suporte à ferramentas decentes, como teclado USB (apenas em Monster Hunter Tri, até agora), headset, etc.

  11. O ed…tibia e rag são pra nerds e crianças(respectivamente)

    eu jogo WoW!

    Comentário do AvcF: agora me explica quando que jogar WoW deixou de ser “pra nerds e crianças”

  12. oficial? eu tenho account na blizz, mas não paguei mais por falta de $$… tenho amigos que ainda jogam lá E também comprei aquele blizz authenticator pra 2 deles (meu irmão trouxe dos eua pra mim) 😀

    quero que chegue logo Star 2 com pacote ilimitado pra jogar online Oo’

  13. Friend Codes são ridículos e para eu acessar a rede on line do wii eu preciso ter um roteador em casa que se comunique com o video game, em vez de simplesmente pegar o cabo do modem e enviar no PS3 e realizar os procedimentos para estar online.

    O Wii pode ser o vidoe game mais vendido, ter os jogos mais divertidos, a porra toda. Porém, quando a gente se deparava com um servicinhos desses, dá até vergonha de mencionar que possui esse console.

  14. Olha, pra que organiza campeonatos online como eu, vocês não tem idéia (na verdade tem) de como a Nintendo só complica a experiência online. A WFC é uma m… das grandes. E a experiência satisfatória do nosso autor só aconteceu porque o MK Wii possui o famoso “lag disfarçado”. OU seja, na sua tela tudo parece perfeito, mas você cruza a linha de chegada numa posição e fica noutra. Mas resumindo, alguns pontos medíocres na nossa amada WFC:
    1 – Friend Codes;
    2 – Torneios online que você disputa sozinho !!!???
    3 – Total ausência de possibilidade de saber se o seu amigo está conectado e em qual jogo;
    4 – 99% quase total ausência de possibilidade de falar com seu amigo durante o jogo;
    5 – qualidade de conexão desastrosa, principalmente ao jogar com estrangeiros;
    6 – ausência de lobbys e outras ferramentas online (deve ser difícil fazer né?)
    7 – Conservadorismo da Nintendo em limitar os Downloadable Contentes (call of duty que o diga);
    8 – Ausência de servidores continentais (posso sonhar não é mesmo)
    9 – Viva a WFC!

  15. A Nintendo sempre foi extremamente eficiente em vender seus consoles e agradar os jogadores, mas ela também parece que sempre reluta até o fim em adotar novas mídias “de massa” em seus produtos. Primeiro foi na adoção de discos óticos no lugar dos cartuchos e, agora, ela reluta em promover uma rede realmente interessante.

    Não conheço a rede da Nintendo, mas pelos comentários dos usuários (e principalmente do AvcF) acho que todo mundo já percebeu que a empresa não tem o menor interesse nela. Acho que a conta é a seguinte: O Wii/DS são líderes sem uma rede descente?! Então podemos continuar “tudo como está”…

    Se não fosse paga, não teria o que reclamar muito da Live (todos os jogos que eu compro vem praticamente dela). Enquanto a PSN, além de só poder ser acessada através do console (o que pesou pra mim, que queria conhecer o catálogo on-line e seus respectivos preços antes de me decidir), é bem mais complicada de se comprar (pagar) do que a Live.

    De qualquer forma, não acho que a empresa vai “acordar” nesse sentido ainda nessa geração. Eles estão felizes do jeito que está mesmo com a pressão dos clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *