O primeiro dos mitos do Wii é derrubado [atualizado]

Saudações, caros cidadãos.

Independente do ângulo de visão, ideologia, gosto, etc, uma coisa é fato: o Wii é um console polêmico. O aparelho da Nintendo tem uma incrível capacidade de despertar paixões e ódios dos jogadores mundo afora, foi projetado desde o início para quebrar paradigmas, a começar pela interface de interação com o usuário, na forma de novos métodos de controle, por exemplo.

Vocês já devem saber de tudo isso, claro, especialmente quem já leu o excelente artigo de Sean Malstrom, entitulado The Birdman and the Casual Falacy (parece até que já tem uma versão traduzida por aí).

Justamente por ter sido um console pensado e vendido de forma diferente do padrão pré-estabelecido, os preconceitos começaram a brotar – e com eles os primeiros mitos acerca do aparelho. Quando digo mito, me refiro a supostas verdades que surgem ou de histórias que alguém criou e os demais seguiram sem questionar, ou quando um fato é distorcido para atender uma conveniência qualquer, gerando as falácias que costumamos ver por aí.

Antes de continuar, quero esclarecer algumas coisitas, por mera praxe: eu trabalho com fatos e dados para compor minhas opiniões, portanto não sou afeito a fanatismos nem a chutes e achismos para sustentar minhas teses. Isso não significa que eu seja dono da razão, nem que esteja certo o tempo todo, mas se forem me contradizer, que o façam nos mesmo termos que os meus para redigir os textos. Outra observação é que não há qualquer comparação qualitativa entre consoles e jogos, muito menos julgamentos de qualquer tipo quanto à biblioteca de títulos e tal. Correto? Então vamos em frente.

Quando o Wii estava para ser lançado e tão logo sua proposta foi apresentada, jornalistas e críticos se apressaram em seus ceticismos, apontando a atual geração como uma corrida de apenas dois cavalos e um pônei no papel de “café com leite”. Dois anos depois, boa parte desses analistas hoje simplesmente fingem esquecer das bobagens que disseram outrora, apostando na falta de memória dos leitores da internet. Durante aquela fase começou a série de “verdades” baseadas em nada. Primeiro, como mencionei acima, o console estava fadado a fracassar, que obviamente não ocorreu. Quando o console engrenou e disparou rumo a liderança  de vendas do mercado, os profetas do apocalipse sentenciaram que era apenas uma moda passageira, citando até os karaokês para efeito de comparação. Erraram novamente.

Como esse pessoal não desiste nunca (embora muitos não sejam brasileiros), criaram um mito novo: o Wii é um console que não vende jogos de produtoras terceirizadas, estes que só encontram seu mercado nos consoles ditos HD ou “true next gen”(perceberam o sarcasmo da expressão?), Xbox 360 e Playstation 3, enquanto no Wii apenas os títulos Nintendo e uma ou outra coletânea de mini-games toscos vendem para vovôs, vovós e a criançada. Como também é comum em todo mito, muitos compraram essa idéia, sem ao menos questioná-la ou saber se ela realmente era embasada, isso sem esquecer dos infames istas e haters, mas esses são idiotas que gratuitamente embarcam em qualquer porcaria que seja para menosprezar os consoles rivais aos seus aparelhos de estimação.

Além do óbvio preconceito desse mito, como outros, ele se espalhou e muita gente tomou como verdade. Embora nenhum dado, relatório ou estudo tivesse sido apontado, até mesmo sites tomavam isso como fato, e em qualquer anúncio de jogos sempre vinham os espertões com frases geniais como “é que o Wii não vale o investimento das thirds” ou “Wii ficou de fora de tal lançamento porque vende mal jogo que não seja da Nintendo”. Quando não é isso, geralmente os analistas de botequim recorriam ao clássico raciocínio do foco “casual” do console, para sustentar que qualquer coisa considerada “hardcore” não serve pro Wii.

A polêmica foi retomada quando Denise Kaigler, vice-presidente de assuntos corporativos da Nintendo, em entrevista ao site Gamedaily afirmou que a idéia de que o Wii vende mal jogos terceirizados era mentira e que ela iria provar isso via esse gráfico:

E aí que começou um certo problema. Vamos primeiro pelas informações, o gráfico mostra a evolução de vendas dos três consoles nos Estados Unidos no período que envolve as 19 primeiras semanas de cada um. Mas aí vai o dado que gerou a confusão: as vendas se referem a soma dos jogos 1st e 3rd party de cada um. Ao contrário do que disse a dirigente nintendista, o gráfico não era uma certeza, nem conclusivo, gerava uma dúvida fundamental: qual era o peso dos jogos da Nintendo na linha do Wii? Isso foi o suficiente para os istas e haters em geral, já ouriçados por ver um de seus mitos balançar, correrem para tentar todas as formas desesperadas  desmerecer a informação.

A primeira das bobagens que surgiram foi o chamado attach rate. Para quem não sabe, attach rate é a média que se obtém da divisão entre número de consoles vendidos (base instalada) e número de jogos vendidos, visando obter a quantidade de jogos vendidos por console. Essa é uma das maiores bobagens em que a molecada da internet pode se basear, pois quanto mais consoles vendidos naturalmente que o attach será menor. Prova disso é que na geração passada o menor attach foi justamente o do PS2, o maior foi o do…Gamecube, o último colocado em vendas. Mas eu dei uma pesquisada sobre o assunto e achei esses dados no site IGN:

“If you’re still under the impression that consumers are only buying Nintendo’s new console for Wii Sports, perhaps the latest software to hardware tie ratio numbers from the NPD Group will change your mind. According to the software data tracking service, consumers purchased 8.11 games for every Wii console sold in December. This relates to 7.76 games for every Xbox 360 sold during the month and 5.04 games for every PlayStation 3 purchased in the same time frame.Very strong sales of titles like Super Mario Galaxy, Wii Play, Mario & Sonic at the Olympic Games, Guitar Hero III and more contributed to Wii’s high tie ratio.While Nintendo’s console certainly flourished in December, perhaps signaling the beginning of solid tie ratios to come, it should be noted that Wii’s life-to-date software to hardware tie ratio is at 4.64, compared to 4.26 on PlayStation 3 (despite a much smaller installed base) and 7.0 on Xbox 360, according to NPD data.”

E mais IGN, em uma matéria escrita no dia 24 de abril:

[…] Projected shipments of the Wii have been increased to 25 million for the current fiscal year. From March 31, 2007 to March 31, 2008, Nintendo shipped 18.61 million Wiis worldwide, bringing the grand total of consoles out there to 24.45 million.On the software front, the company anticipates shipping 177 million units during fiscal 2009, up from 119.6 million units during 2008. Nintendo claims a life-to-date tie ratio of 6.07 games per console worldwide.”

Perceberam o que temos aqui? Comparando os dados das duas reportagens, temos o crescimento de quase dois pontos no attach, porém esses são dados mundiais. Ainda sim, procurei por dados dos Estados Unidos e encontrei reportagem do Joystiq, também do dia 24 de abril:

With Nintendo announcing its global software tie ratio (attach rate) this morning, we were curious to know what the current software sales ratio was in the States for current-gen consoles. We contacted NPD, which gave us its latest figures. The data represents the amount of software sold per console divided by the number of consoles sold in the US.

Xbox 360: software sales ratio: 7.5

Wii: software sales ratio: 5.3

PS3: software sales ratio: 4.6

The Xbox 360 has maintained its solid lead, but the Wii has rallied from 3.4 to 5.3. As always, we do have to take “software” top-seller Wii Play skewing the data into account, but Super Smash Bros. Brawl and Guitar Hero III also helped.”

Tanto no internacional quanto no americano, o Wii mostra crescimento do attach rate, enquanto o Xbox mantém dados parecidos. Ou seja, nem isso pode ser mostrado como prova de que o Wii vende mal seus jogos.

De volta a questão

Retornando ao gráfico da senhora Denise, ainda permenece a pergunta: mas qual é o peso dos jogos da Nintendo nessas linhas? O site Kotaku fez essa pergunta e obteve essa resposta:

Mais as seguintes observações:

“You want third party software sales data for the Wii? You got it. The always helpful, always ready with a sales charts folks at Nintendo have provided us with a handy line graph showing off the success that third parties have had on its console. It’s devoid of confusing first-party data, which mucks up the numbers, and “demonstrates that third parties on Wii are tracking ahead of both PS3 and 360.”On display are the first nineteen months of each console’s lifecycle. That impressive upward tick on the blue line — the Wii line — starts its ascent right around the time that Guitar Hero III made its way to the Wii platform. Now who says third party games don’t sell on the Wii? Oh, everyone who’s not Activision? Well, zip it.”

Ainda preciso dizer alguma coisa? O mito está praticamente demolido, mas ainda sim, eu tenho mais. Pesquisando por mais dados, cheguei ao relatório de resultados financeiros, publicado pela Nintendo em abril desse ano. Esse é um documento oficial, aberto, produzido pela própria companhia para informar seus investidores. De lá eu retirei esses gráficos:

Como podem ver, se existiu alguma verdade nessa história, foi a de que o Wii vende mal jogos third no Japão, e somente lá, fato inclusive admitido pela Nintendo em seu relatório. Portanto senhores leitores, depois de todas essas linhas (desculpem o texto longo, me esforcei ao máximo para não ser prolixo) não sobra mais nada a ser dito. Se alguém tiver algum dado adicional, relatório, declaração de executivos e tal, pode mandar nos comentários que eu discuto numa boa sobre isso. Me dispeço de vocês e até o próximo post. Até!

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

Edit:

O site Gamedaily publicou mais uma matéria, desta vez com declaração do próprio NPD Group. No começo do texto é mostrado o gráfico (que já foi postado aqui) só com as vendas de 3rds. Logo após, vem uma declaração de Anita Frazier, analista do NPD:

“Eu realmente penso que dado os números de comentários feitos pelos executivos da indústria, na E3 (por aí), sobre como eles não colocaram recursos suficientes contra desenvolvimento de jogos do Wii, que a indústria percebeu que a velha idéia de que apenas os jogos 1st party vendem nos sistemas Nintendo é absolutamente incorreta. Eu acredito que você esteja certo de que os dados farão algumas sombrancelhas se levantarem”

O site ainda levanta uma teoria interessante sobre de onde pode ter surgido esse mito:

So where does the perception that third-party games don’t sell on Wii come from? Most likely it stems from the respective sales ratios for the three consoles. While third-party software sales comprise well over 80 percent of total game sales on both the Xbox 360 and PS3, on the Wii that number dips all the way down to 56 percent. On the whole, however, because total Wii software sales are so high, even 50-something percent of a huge chunk yields a larger total for third-party sales. But there’s still no doubt that Nintendo’s incredible first-party success leaves a smaller part of the Wii software market for third parties to fight over. The key, however, as Nintendo has said, is to expand that market so all can benefit. So far, so good. “

O site Cnet também deu sua visão sobre o assunto, em que na visão deles ambas as companhias estão corretas em seus pontos de vistas. Ainda sim, o site fez uma perguntinha incômoda: “Se a Nintendo não competia contra a Microsoft, porque se importar com as reinvidicações de domínio da Nintendo?

Enfim, postei essas informações extras apenas para mostrar que não sobra qualquer sombra de dúvida de que esse mito está morto e enterrado. Até a próxima.


20 thoughts on “O primeiro dos mitos do Wii é derrubado [atualizado]

  1. Eu nunca entendi essa preocupação com o console alheio. O cara compra um console “Y”, mas pra se sentir satisfeito tem que ficar desmerecendo o dos outros a torto e a direito? Sabe de uma coisa? Queria ter uma sala maior…

  2. Cara, muito bem escrita sua defesa, apesar de erros grotescos de digitação, mas é perdoável num texto longo (ao menos se comparado com o encontrado na net hoje). Mas, você falou, gritou, escreveu pra chegar ao fim e… não tornar possível ao leitor tirar alguma conclusão, sabe por quê? Simplesmente pelo fato de não ter comparado com os demais consoles a relação de vendas 1st x 3rd parties. Ok, é muito bonito ver que metade dos jogos pra Wii são de 3rds, mas… Quem garante que a relação pro 360 e PS3 seja maior (ou bem maior), talvez uns 70%-80%? Logo, a afirmação contina válida, já que, como você deve ter estudado em física, tudo depende do ponto de vista. Pra uma empresa que vive de jogos, concorrer num mercado que só tem 50% de visibilidade (e ínfimos 10% no Japão), sendo que pode estar em outro com quase 1/3 a mais (supostamente), é muito significativo. Então, se você encontrar base pra provar que quem defende essa teoria está errado (mostrando resultados de outras companhias), podemos ser mais conclusivos e claros.

    Mas parabéns pela iniciativa, e não tente se explicar e atacar istas e tudo mais. Quem se defende sem ser acusado já está se acusando. Sem +

  3. Hum, dei uma pesquisada rápida, e logo de cara vi isso: http://www.vgchartz.com/forum/thread.php?id=27550 (retirado do VGC). Era isso de que eu falava. PS3 tem média de 78% na relação 3rd x 1st (mundial), enquanto que o 360 chega a incríveis 87% (também mundialmente, variando bastante nas regiões). Logo, se comparar com a N, que deixa “apenas” 50% de mercado pra que dezenas de empresas se matem, vemos que quem reclama não está tão errado assim. Aliás, a situação é bem pior, pois a N tem dado facilidades ainda maiores (não que seja ruim para nós, jogadores) de qualquer empresa produzir jogos, o que tem inserido no mercado uma quantidade cada vez maior de jogos, com uma quantidade ainda maior de produtoras, se comparado com os concorrentes. Logo, seu produtos fica no meio do bolo e, quando tem esses dados, há o apanhado de todos os jogos (dã, óbvio), mas devem ser em quantidade bem maior em variedade do que os concorrentes. Enfim, o que estou tentando dizer, já que me compliquei, é que o a relação de unidades vendidas por jogo no Wii não deve ser muito grande, pois a variedade é enorme e, num montante de 50%, não deve ser grande coisa, mas isso é apenas suposição. O fato é que produzir jogos pra PS3 e 360 é melhor pras 3rds, praticamente 50% a mais de mercado do que o Wii.

  4. E fato que o Wii esta bombando! Eu no começo tb achei que seria moda e depois passaria… Mas hoje, so não enxerga os fatos quem quer. Apesar de preferi o 360 o Wii tem todo seu espaço e merito! A prova disso e o sucesso dele!

  5. Emanuel,
    Responderei seus dois posts de uma vez, para ser mais objetivo. Bom, se há erros de digitação, por favor me mostre, pois preciso corrigi-los. Não postei as relações de 1stx3rd dos outros consoles, simplesmente porque esses dados não foram liberados por suas fabricantes (se tivessem, eu postaria). Considero justas suas críticas, porém discordo que não ofereço uma conclusão, por um simples fato: eu apresentei uma hipótese (wii vende mal jogos terceirizados), desenvolvi meus pontos e concluí, no caso provando que essa hipótese é falsa.

    Com relação ao segundo post, tome cuidado com esses sites estilo VG Chartz, pois boa parte das informações deles são baseados em achismos e conjecturas deles, sem fonte confiável. É mais ou menos como se basear no Wikipedia para fazer uma pesquisa. Você menciona a quantidade de jogos vendidos por Wii, isso é o attach rate que mencionei no texto, o do wii é 6.07 no mundo e 5.3 nos EUA. O attach “americano” do Xbox é maior, pois tem menos consoles vendidos que o Wii e mais jogos publicados lá, o que obviamente gerará uma média maior, como mencionei no texto. Enfim é isso.

    Agradeço as criticas e considerações e espero que continue a ler os textos do Loading time. Abraços.

    André V.C Franco.

  6. Eu tenho os 3 consoles: XBox 360, PlayStation 3 e Nintendo Wii e o que tenho a dizer sobre os 3 consoles é o seguinte:
    Se os jogos não produzidos pela Nintendo vendem ou não vendem, isso pouco me interessa, já que existe público para qualquer lixo que se produza (vide CD’s de funk) e não me interessa o que essa povo compra. Terminei Mario Galaxy, Paper Mario, Zelda, SSBB, Mario Kart, Zack & Wiki a mais um ou outro jogo do Wii e fiquei muito feliz com esses jogos, mas depois disso, meu Wii está parado em casa faz um 6 meses. A verdade é que não sai quase nada que presta para o Wii e nem tem previsão de sair grandes coisas. Já terminei muitos mais jogos para o PS3 e XBox 360 e me animo toda semana com o anuncio de um jogo legal para esses consoles. Já para o Nintendo Wii, é só decepção. Depois que ví o ununcio do Capitão Arco-íris (Captain Rainbow) para o Wii, foi-se minhas esperanças com esse console. rsrs
    Abraços

  7. Só mais uma questão. Talvez eu não tenha entendido bem o seu texto e por isso gostaria que me esclarecesse isso.
    Pelo que entendi, é mais ou menos o mesmo número de vendas de 1st e de 3rd nos EUA e Europa, mas pelo que eu saiba, são fabricadaos muito, mas muito mais jogos 3rd do que 1st. Por tanto, isso não quer dizer que os títulos da Nintendo vendem muito mais do que os 3rd? Se tem muito mais jogos 3rd do que 1sd e mesmo assim a fatia nas vendas dos dois são iguaus, então os títulos 3rd não vendem tão bem assim. Estou correto?

  8. Òtimo trabalho AVCF, já percebi que o pessoal tem um grande problema com paradigmas, quando a nintendo anuncio seu produto todos meus amigos falavam “mano imagina vc chegar do trabalho cançado ai depois ter que ficar se matando num controle remoto, balançando de um lado para o outro”.
    Agora todo meus amigos idolatram o Wii(que por sinal a maioria já comprou o seu).
    Agora estou vendo muitos subestimarem poder do Little Big Planet, para min vai ser uma grande arma da Sony, pois para ser capaz de enfrentar a Nintendo só com criatividade mesmo.
    Abraços e valew novamente pelo seu trabalho André V.

  9. Muito boa matéria. Inclusive eu, que tenho um Wii, achava justamente que a Nintendo detinha uma esmagadora maioria de vendas de jogos. Ainda bem que eu estava errado! Bom, sobre o percentual, como alguns leitores comentaram logo acima, acho que mesmo assim o mito foi derrubado, pois como vimos: “consumers purchased 8.11 games for every Wii console sold in December. This relates to 7.76 games for every Xbox 360 sold during the month and 5.04 games for every PlayStation 3 purchased in the same time frame.” Ou seja, se dos 8.11 jogos vendidos para o Wii a Nintendo detém 50%, ainda sobra 4.05 jogos, um número relativamente similar ao 360 e levemente inferior que o PS3. Meus parabéns ao autor por juntar tantas informações para defender a proposta do artigo e queria recomendar a extensão “Verificador Ortográfico PT-BR” para o Firefox 3 (addons.mozilla.org) para auxiliá-lo no que tange os erros de digitação (nem tão freqüentes, assim).
    Um abraço e até mais.

  10. Valeu pelo post!
    Eu sou fã da Nintendo desde o Nintendinho (uma pena o meu ter quebrado e dou graças que hoje em dia os Emuladores possam ajudar os saudosistas).
    tenho ainda o SN, Gboy e N64 e estou louco por um Wii.
    Bom, o GC eu pulei, pois que o meu Play ainda dava pro gasto contra ele e o Play2 estava muito caro. quem sabe agora eu compro um… ja que o governo brasileiro não ajuda os seus consumidores (eu espero ainda viver para ver o governo brasileiro perceber que quanto menor a taxa tributária, maior é o apetite do consumidor).
    Mais voltando ao Tópico. bom, se não estou enganado, o Wii esta vendendo quase que 2 para 1 no mundo todo (somando o 1 como P3 e Xbox), então… deixa ver… 1000 wii contra 350 xbox e 200 p3 mais ou menos… bom eu iria preferir 50% de mil do que 78% de 350 e vocês?
    um abraço e valeu pelo comparativo!

  11. OK, analizando os dados de TODAS as 3ª contra Apenas a Nintendo da os + ou – 50%, 50% para a Nintendo e 50% para todas as 3ª dividirem esse bolo, talvez não seja tão lucrativo assim, vc deveria analizar as vendas de uma ou duas 3ª relacionadas aos 3 consoles, pq elas sim sabem se estão vendendo satisfatoriamente seus jogos, pois vejamos o exemplo da CAPCOM, suas franquias mais populares não são lançados no Wii, apenas jogos menos expressivos ou grandes sucessos do passado, como Resident 4, mas q o Resident 5 não foi anunciado para este console, eu não estou dizendo q as vendas da Capcom para o Wii são inferiores às vendas dos outros consoles, mas este pode ser o motivo, até pq foi anunciado em uma materia da UOL Jogos q o Street Fighter IV só seria lançado para Wii se os consumidores pedissem, me pareceu q a Capcom não tem segurança sobre a vendagem deste título.

  12. Olá!

    Obrigado pela resposta.

    Quanto aos erros, cito alguns:

    “despertar paixões e ódios dos jogadores mundo a fora” (o correto é afora)

    “padrão pré-estabelecido, os preconceitos” (dois espaços após a vírgula)

    “eu trabalho com fatos e dados para compor minhas opniões” (faltou ‘i’ no opiniões)

    “julgamentos de qualquer tipo quanto a biblioteca de títulos e tal.Correto? ” (‘quanto à biblioteca’, craseado, e espaço após ponto)

    “Dois anos depois, boa parte” (novamente dois espaços após vírgula)

    “começou a serie de “verdades” baseadas em nada” (o correto é série)

    “os profetas do apocalypse senteciaram” (apocalipse, com i, e senteNciaram)

    “e um ou outra coletânea de mini games” (correto é ‘uma ou outra’; mini-games, com hífen)

    “Denise Kaigler, vice presidente” (vice-presidente)

    “correrem para tentar todas as formas desesperadas desmerecer a informação.” (‘correrem para tentar de todas…”. Sugiro “desesperadamente correrem para tentar, de todas as formas, desmerecer a informação”).

    “Mas para eu dei uma pesquisada spbre o assunto e achei esses dados no site IGN:” (faltou alguma coisa depois do “para”, além de estar escrito “spbre”

    Agora, no texto editado, li agora e também tem alguns erros:

    “(que já foi já foi postado aqui)” (duas vezes ocorre o ‘já’)

    “sombrancelhas” (ahaha, essa foi engraçada, desculpe! O correto é sobrancelhas, sem M)

  13. Legal as novas informações, corrobora justamente o que falei acima, principalmente o comentário da Cnet. Deve-se levar em conta, como falei, que a N tem muito mais jogos “porcaria” lançados, ou seja, a visibilidade de um jogo é ofuscada por tanta produção. Espero que esse caminho seja sólido o suficiente pra não repetir a era negra dos consoles, na década de 80, com o finado Atari.

    E viva os players por terem tantos jogos pra jogar, de todos os tipos. E viva ainda mais quem te grana pra isso, ahahaha! Eu não sou um deles :/

  14. Vc é muito nintendista, cara! Pára de fingir que é imparcial! Se não fosse, vc não ficava fazendo só essas matérias contra-quem-é-contra-a-nintendo e pró-nintendo!

  15. Sim, sou suuuper nintendista. O texto do especial Sega (que você também não gostou), eu falei do mito e defendi a…Sony. A seção Cool Vibrations tem dois jogos do…Mega Drive. No dia seis de setembro eu dediquei um texto ao lançamento do Playstation 2, que todos sabemos é um console da Nintendo.

    Se você leu o texto com atenção, deve ter percebido que não fiz qualquer juízo de valor em relação ao Wii, X360 e PS3, nem falei de algum jogo em específico. Eu tratei exclusivamente de uma hipótese, a qual foi trabalhada a idéia central do texto.Só isso.

    E sim, eu tenho um Wii, gosto bastante de alguns de seus jogos e acho que o console tem qualidade, da mesma forma como eu tenho um PSP com diversos jogos. Um blog é antes de mais nada um espaço de opinião, e mesmo que alguém torne uma preferência clara, isso não torna uma pessoa fanática. Agora, achar que um ponto de vista diferente do seu é sinal de fanatismo, aí já pode ser alguma coisa errada contigo, não sei. Nem sempre o inferno são os outros.

  16. Paulo…imparcial de cú é rola. Ninguém é imparcial, nem cientista. A partir do momento que vc pensa em falar sobre alguma coisa, é pq no mínimo há alguma afinidade…logo, não existe imparcialidade. Achar que eu, você ou o avcf somos neutros é pura utopia. Sabendo-se disso, larga a mão de ser chato e dê sua opinião sem ficar medindo ego. Ok?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.