O mercado de mobile games em uma imagem

Saudações aos internautas.

Mudando um pouco o assunto em relação aos posts anteriores, segue abaixo uma extensa imagem mostrando uma série de dados que definem o que é o mercado de jogos portáteis voltado para tablets, smart phones, celulares e afins. A fonte é geekaphone. Vejam:


Cacetada, não sabia que Angry Birds era popular assim

Por enquanto é só. Durante a semana publicarei mais posts. Até logo.

AvcF – Loading Time

7 thoughts on “O mercado de mobile games em uma imagem

  1. Jogos para celulares são mesmo uma febre e um mercado incontestavelmente poderoso.Já vi entrevistas em que figurões do mercado de games se diziam preocupados com a forma que esse mercado pode ameaçar os games de “verdade”.E vi uma declaração do criador de Angry Birds dizendo que se ele pretendesse vender um pedaço de plástico a 40 US$ ele também estaria preocupado.No entanto EU não vejo nada de mais nesse mercado.Nunca gostei de games de celular e não pretendo começar a investir neles.Uma pessoa, que joga games de celular e de redes sociais dificilmente comprariam um console, muito menos tentariam zerar um RPG clássico.Da mesma forma, nunca um cidadão que compra consoles e joga os bons e velhos jogos tradicionais se daria por satisfeito com jogos para celular apenas.Esses são segmentos diferentes de mercado, todos os ramos da economia são altamente segmentados hoje em dia.

    1. DIz isso para o DS que se tornou o videogame mais vendido justamente na expansão desse mercado. Para o bem e para o mal o conteúdo ainda é rei. Basta bons jogos e que atinga públicos diferenciados que é sucesso, na maioria dos casos.

      OBS:Esses números de angry birds não leva em consideração que tem três versões diferentes do jogos, que em todos aparelhos android o jogo é de graça. Vendido mesmo não chegou nem aos 22 milhões (+ ou – 14 na série principal), contabilizando vendas em IOS. Tem ainda o lucro de DLC, que deve ser grande. Mas esse número superdimensiona o impacto do jogo. Um grande jogo, mas foi dado de graça na maioria das vezes.

      1. Mas foi exatamente o que eu disse oras! O mercado se expandiu muito alem dos antigos e tradicionais gamers.No caso do DS ainda se trata de um nincho mais tradicional pois é composto por pessoas que compraram o aparelho para poder jogar, não vem ao caso os tipos de jogos, pois dentro de uma plataforma eu não acredito em seção de casuais/hardcore.Mas no mercado como um todo a diferença existe, embora eu não goste de usar esses termos para definir esses ninchos.Os donos de DS foram nas lojas, compraram o portátil e compram games, não importa o tipo.O mercado expandido, comprou/acessa um celular/tablet/rede social.Não fizeram por causa dos games.Os games estão lá por causa das pessoas e não o contrário.

  2. Também acho que é um segmento de mercado diferente, mas bem próximo, no entanto eu vejo esse lance de uma forma mais otimista, afinal quanto mais gente jogando seja lá o que for, mais o mercado evolui. Também não concordo com essa visão de “jogadores de celular / rede social” e “jogadores de verdade”, pra mim é tão idiota quanto “casual” e “hardcore”, eu mesmo jogo tanto jogos de celulares (ótimo pra quem pega ônibus) quanto os “tradicionais” em meu GameCube, e isso não me torna um jogador diferente em nenhum aspecto.

    Em tempo: Angry Birds é um jogo excelente e altamente viciante.

  3. Exato!Tchulanguero, muito bem colocado, isso mostra bem a evolução do mercado de games, que passou de um mercado de brinquedos para algo hollywoodiano e depois se modificou mais uma vez para o que vemos hoje, com uma integração muito maior na sociedade, muito alem de simplesmente “ser maior que o cinema”.
    Alias, quando digo que não tenho planos de investir nesse tipo de games é por que meu telefone celular é MUITO básico, e eu não tenho nenhuma vontade de troca-lo por um Iphone.Um tablet então, menos ainda, acho uma maquininha muito estúpida.Jogos de redes sociais também não me atraem.Mas se me sobrasse algum dinheiro eu investiria num PS3 facim.
    Enfim, sou o tipo de cara que citei que precisa de mais que games “casuais”( também detesto a definição) e que garante o futuro da industria que faz games de “verdade”.Afinal, por mais que o numero de gamers casuais cresça isso não implica na diminuição do numero gamers de “verdade”.
    A segmentação do mercado é natural e necessária.Todos os mercados tem isso.Nos games começou na verdade como segmentação de generos de games apenas.O publico era muito homogêneo.O mercado começou, acredito, a se segmentar de verdade na quinta geração até que na sétima virou essa putaria que vemos ai.Os próprios estúdios vem esse racha de mercado mas não com preocupação.Varias grandes produtoras abriram estúdios de games casuais.Ou seja, os caram que fazem jogos para PS3, 360 e Wii, são os mesmos que fazem para o “publico expandido”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.