Meu centavos sobre o Wii U

"

Saudações aos leitores.

Falei ontem que iria dedicar um post ao Wii U, e aqui está. Antes mesmo de começar o post já aproveito para deixar claro que não farei aqui qualquer previsão quanto ao possível sucesso ou fracasso do console, uma vez que não tenho bola de cristal e não vejo graça de brincar de Michael Patcher (aquele que erra todas as previsões). O que farei de fato é uma análise daquilo que foi apresentado sobre o console até o presente momento (em alguns momentos até o que não foi apresentado ou apresentado pela metade).

Certo, amigos? Então vamo que vamo.

Como vocês todos já sabem a essa altura do campeonato, a Nintendo fez uma tripla apresentação – Japão, Estados Unidos e Europa – sobre o Wii U, mostrando as funcionalidades do console, alguns títulos de sua linha inicial de jogos e (finalmente) o preço da criança.

Bom, o resumo da ópera é esse:

Dois pacotes – standart e premium – custando $300 e $350 respectivamente. Versão premium com 32GB de armazenamento interno, console e Wii U Pad pretos e mais uns cacarecos inclusos na caixa. Ah, e vem o joguete Nintendo Land também. Por outro lado, o pacote normal vem o console e pad brancos e só. Ambos os pacotes serão lançados em 18 de novembro nos Estados Unidos, 30 de novembro da Europa e 8 de dezembro no Japão. E além disso tudo, os games do Wii U passarão a custar $60, que é o mesmo patamar do X360/PS3 e $10 mais caro que o patamar dos games de Wii.

Agora vamos por partes

A Nintendo realmente passa por uma fase bizarra, tem coisas deles que realmente tenho dificuldade em entender. Por exemplo, a questão da cor dos consoles. Quem quiser um console preto necessariamente terá de escolher o pacote premium necessariamente. Por que diabos vincular a cor do console ao pacote? Por que não deixar o consumidor escolher, e então fazer ambos pacotes com as duas cores? Outra bizarrice se refere ao jogo que virá no pacote, no caso Nintendo Land. Ok, entendi que a Nintendo espera que esse jogo seja o Wii Sports do Wii U (não acredito que será, mas essa é outra discussão), mas por que não incluiu New Super Mario Bros.U no pacote premium? Cacetada, não consigo compreender como a Nintendo não percebeu que um game com o pedigree de Mario não atrairia muito mais gente do que o Nintendo Land. Sem contar que NES, SNES e Nintendo 64 foram lançados com Mario incluso com o console, receita que deu muito certo para esses três consoles. Mas não, a Nintendo prefere fazer o consumidor gastar $60 a mais para levar Mario para casa. Não parece algo muito inteligente a meu ver.

Outra bizarrice diz respeito ao controle, o Wii U pad. A sempre genial Nintendo of America não disponibilizará o controle para ser comprado separado, o que siginifica que caso alguém compre um console e tenha qualquer problema com o pad, bem…salcifufu. Como nada foi dito quanto a sistema de troca ou qualquer coisa do tipo, é o que posso concluir quanto a isso. A justificativa da NoA é que como não há jogos com suporte a dois pads simultâneos dentro da linha de lançamento, não há porquê disponibilizar o controle separado para venda. Fico a me indagar se o pessoal da Nintendo realmente acreditou que alguém comprou essa versão. Para mim o que realmente parece claro é que a Nintendo na verdade está é com medo da reação do público quanto ao preço do pad, que passa tranquilamente dos $100. Basicamente o controle mais caro que um console já teve.

Por falar em preço, tal qual aconteceu com o 3DS, novamente a sensação geral é de que o console é um tanto salgado. E é mesmo. Até porque se consideramos, por exemplo, comprar um pacote premium e mais o New Mario U, a brincadeira sai por $400. E se for considerar mais jogos e/ou controles extras (o pacote premium não inclui wii mote nem classic controller) a coisa só piora. E aí fica a pergunta: quem nesses tempos bicudos terá dinheiro e disposição para gastar em um video game? Parece que a Nintendo ainda acha que estamos em 2006, quando o mundo atravessava bonança econômica e graças também a isso o console ficou esgotado nas lojas americanas durante três anos (Eu estive em Orlando em 2009 e testemunhei isso).


O gráfico considera o pacote mais barato no caso dos consoles que foram lançados duas ou mais versões (Wii U, Xbox 360, PS3, etc)

Por outro lado, como o Wii U estará no mercado no mínimo um ano antes dos concorrentes, não apenas pressionará o preço dos rivais como nada impede a Nintendo de cortar preço bem na época do lançamento do “X720” e “PS4”. O problema é que se for esse o caso, teremos uma situação parecida com os “embaixatrouxas” do 3DS, que pagaram caro um console para em pouco tempo esse mesmo console baixar de preço o suficiente para você se sentir um otário.

Peças que faltam

Por incrível que pareça, mesmo após todas as apresentações, a Nintendo ainda peca pela falta de informações ou imprecisões quanto ao que será seu console. Por exemplo, como serão o browser e a rede do Wii U em funcionamento? E os jogos do Virtual Console,sabemos que serão transferidos do Wii para o Wii U, mas será vinculado a conta ao apenas passará de um aparelho para o outro? Aliás, os jogos de Virtual Console continuarão custando o mesmo? Alguma plataforma antiga será adicionada? Quais vantagens oferecem a conta premium afinal, uma vez que na apresentação japonesa foi mencionada que havia decontos para downloads de jogos? E o eShop? Quando está disponível? E quais jogos serão lançados além de Toki Tori 2 e Nano Assault Neo? Aliás, quanto custarão? Incrível como depois de uma E3 e quatro apresentações (houve uma japonesa antes das da última semana) a Nintendo ainda consegue deixar arestas soltas quanto ao seu próximo console. Não foi assim com o Wii quando ele foi mostrado em 2005 e 2006, pelo contrário, todos sabiam exatamente o que esperar dele. Enfim, é meio chato ter que esperar por informações sobre o console nesse esquema conta-gotas.

A linha de jogos e o curioso fenômeno Bayonetta

Muito já foi dito sobre a linha de jogos de lançamento do Wii U, indo do nintendismo extremo à “OMG! Comprarei todos, só clássico iariariar!!!” até aqueles comentários dos demais istas “herp derp, mario lixo, monte de port, daar”. Quanto a mim, acho uma linha de lançamento razoável, nada estelar e muito longe de qualquer coisa brilhante, porém é inegável que por outro lado há uma boa quantidade de opções em vários gêneros. Quanto aos ports, não vejo nada de errado com eles em si, pois todo lançamento sempre tem alguns deles, pois são a opção mais rápida e barata que as produtoras têm para disponibilizar jogos nas prateleiras ao logo de um novo console. O problema mesmo a meu ver é quando esses jogos são feitos tão às pressas que além de não apresentarem nada novo em relação as versões originais, ainda apresentam problemas de gameplay, framerate, som com qualidade inferior e etc. Ainda sobre isso, acho engraçado quando alguns istas vem acusar a linha de lançamento do Wii U de ter muitos ports (alguns até sentem como se os jogos estivessem sendo roubados pela plataforma da Nintendo), ao mesmo tempo que esquecem do que foi os lançamentos de PS3 e X360. Vamos fazer um rápido exercício de memória? Então olhem só:

X360: Amped 3, Call of Duty 2, Every Party, Gun, Kameo, Perfect Dark Zero, Quake 4, Peter Jackson’s King Kong, Ridge Racer 6 e mais uma cambada de esportivo versão 2006.

PS3: Ridge Racer 7, Resistance: Fall of Man, Call of Duty 3, Marvel Ultimate Alliance, Mobile Suit Gundam: Crossfire, Genji: Days of the Blade e mais umas tranqueiras.

Agora peguem essas listas e comparem honestamente com a do Wii U. Sério que algum caixista quer reclamar de algo quando o maior destaque do lançamento do Xbox foi o constrangedor Perfect Dark Zero? E o que dizer do pavoroso port de Quake 4 e do medíocre Call of Duty 2 (que era bem melhor no PC, aliás)? O Playstation 3 foi pior ainda, incluindo vários títulos adiados (embora nenhum deles era digo de nota).

Voltando ao Wii U, embora repito, não seja nada brilhante, ao menos tem uma estrela: New Super Mario Bros.U; que caso tenha sido produzido com uma boa dose de capricho (parece ser o caso, mas ainda estou desconfiado), tem potencial de ser algo próximo ao que foi Super Mario World para o SNES. Para quem curte games de ação e plataforma, há ainda o promissor Rayman Legends:


Link

Há mais uma ou outra coisa que possa ser interessante (como o tal Zombie U), mas pra mim não sobra muita coisa. O duro é que tirando o vindouro Monster Hunter, não há nada sobre os games que virão após o lançamento. Considero ruim mais essa falta de informação, pois muito do que gera o interesse em um console é saber que games virão no curto e médio prazo. Ok, sabemos que os clássicos da Nintendo inevitávelmente aparecerão, mas quais? Tudo bem, Mario Kart é certo, mas o que mais podemos esperar?Mais uma vez a Nintendo deixa o público no escuro.

Mas o mais curioso mesmo foi o anúncio-surpresa de Bayonetta 2, evento que causou uma onda de ira e humor involuntário por parte dos gloriosos rardecores. Vocês viram um pouco desse “espetáculo” no post anterior, porém ainda é curioso como o game da Sega continua causando choro e indignação pela internet:


Por um momento achei que fosse o Cartman da vida real.

Continuo achando incompreensível tanto choro para um jogo que não foi um grande sucesso e tampouco vendeu consoles. Mais curioso ainda é que tanta campanha negativa pode acabar causando efeito contrário, gerando curiosidade e atraindo mais jogadores para o jogo – incluindo gente que normalmente não se interessaria por Bayonetta. Sem contar, que como já mencionei no post anterior, não fosse esse acerto entre Nintendo, Platinum e Sega, Bayonetta 2 sequer existiria.

Encerrando…

Dividindo prós e contras, o resultado parece ser alguma coisa positiva para o Wii U. Ainda vejo muitos problemas e lacunas não devidamente esclarecidas, mas a reação das pessoas diante do Wii Pad em geral tem sido positiva (vejam essa reportagem do Uol Jogos, por exemplo), e console parece tentar ser ser atrativo tanto para o público expandido do Wii, quanto para os jogadores típicos de X360 e PS3. Eu ainda vejo um certo problema nisso, pois com o Wii, o foco da Nintendo era expandir os games e levá-los àqueles que ou não se interessavam pelos jogos tradicionais, tanto àqueles que abandonaram os games pela crescente complicação que se tornaram após principalmente a 5° geração. O Wii U por sua vez parece querer “abraçar o mundo”, e aí tenho minhas dúvidas quanto ao que a Nintendo conseguirá com essa aparente falta de foco. Porém aí só o tempo dirá.

O console tem sim seu potencial (diferente do GameCube, que já nasceu morto), mas ao mesmo tempo que mostra qualidades, boa parte delas ficam ofuscadas por erros da própria Nintendo. Também me incomoda certas perfumarias como aquela inutilidade de Wii Tivii(que nome é esse…), por exemplo. Por fim, espero que tá o dia 18 de novembro a Nintendo esclareça tudo a respeito do console, e que o console tenha um lançamento organizado. Ferramentas e experiência a Nintendo tem. Basta fazer direito.

AvcF – Loading Time.

12 thoughts on “Meu centavos sobre o Wii U

    1. ~Olá, só pra esclarecer, porque vc entende que o Gamecube nasceu morto? de resto concordo com suas opiniões.[2]

      Acho que o AVCF viajou ai, mas respeito a opiniao dele.

  1. Olá cara, não sou do tipo nintendista,haja vista que comprei um wii e depois troquei o mesmo por um xbox 360,mas,lendo seu texto tive a impressão que você não gosta da nintendo( apesar disso ser um direito seu).Concordo com você,com relação a cor do console,os consumidores deveriam escolher a cor pensando naquela que mais lhe agrada e não focando no preço.Outra,a Nintendo sabe que Super Mario Bros U,vai vender feito água,então pense bem, se você tem algo que as pessoas querem,você entregaria a elas de graça?( onde está a falta de inteligência nisso?).Todo mundo sabe que os primeiros jogos de um novo sistema,dificilmente serão os melhores,mas, como você mesmo disse,se comparado à outras plataformas, a biblioteca inicial do Wii U promete bastante.Também concordo com você que a Nintendo esconde um pouco as informações,mas isso faz parte do jogo.Agora não entendi o que você quis dIzer com “a nintendo passa por uma fase bizarra???Os caras conseguiram voltar ao topo das vendas de consoles caseiros(portáteis nem se fala) e agora pretendem lançar um sistema que tem como principal missão atrair os jogadores hardecores e você fala que a Nintendo não tem foco.Se ser bizarro é liderar as vendas de consoles,inovar trazendo uma experiência diferente(controles por movimento)quando os adversários apostaram no mesmo(gráficos),eu acho que a Nintendo não vê problema algum em ser bizarra.Como disse anteriormente, troquei os controles de movimento pelos gráficos,mas agora com a proposta da Nintendo de unir essas duas coisas( mais as suas próprias franquias, que com certeza farão sucesso)o Wii U já me faz olhar para a empresa com outros olhos.Valeu pelo espaço e gostaria também de elogiar você pelo excelente site,apesar de às vezes não compartilharmos da mesma opinião.Abraço e até a próxima.

  2. Na minha opnião a Nintendo quer nesse primeiro momento atrair mesmo o público “hadécore”, aproveitando enquanto Sony e Microsoft não lançam seus consoles. Particularmente acho isso um erro, visto que não é a praia dela, mas vai saber. Mas o importante é saber quando ela vai atacar com as suas franquias de peso, porque ae sim eu vou tirar o escorpião do bolso, assim como todos aqueles que tem como único interesse nos consoles Nintendo os jogos exclusivos.

    1. E qual seria a praia dela então meu caro Rafa ??? Ter consoles que se caracterizam apenas por Marios, Zeldas, e Metroids, e alguns macacos ??? Sem desmerecer a qualidade destes títulos.
      A Nintendo já provou que é auto-suficiente, que é capaz de viver apenas de sua franquias, mas nem sempre foi SÓ assim.
      Muitos jogadores, e até muitos nintendistas, abandonaram a Nintendo justamente por ficarem refens apenas das franquias dela. Ok , o Game Cube foi um fracasso, mas vamos concordar que nem mesmo as franquias principais da big N, estavam representadas em suas melhores formas no console.
      Eu lhe digo, que desde o Super Nes, não fico tão empolgado com um console da Nintendo.
      Um console que traz a qualidade das franquias próprias, aliado a toda biblioteca de games third parties ,…….é o console perfeito.
      Um console que tenha um modelo de negócios parecido com seus ancestrais Nes, e Snes.
      Um console que traga de volta o jogador entusiasta, e que mantenha os casuais.
      Ai esta se anunciando o WiiU, um console que a cada dia se mostra cada vez mais uma compra certa, pelo menos para mim.
      O problema, é que os nintendistas tiveram que defender uma filosofia diferente no Wii, e agora ter de abraçar outros valores, ai fica complicado.
      Mas isso passa.

      1. Microsoft e Sony se apoiam em hardware (resoluções mirabolantes, teraflops de processamento, etc) e franquias de terceiras. Nintendo sempre se apoiou em inovação e não dependência de terceiras. O que eu quero dizer não é que ela deva virar as costas para as outras produtoras e viver sozinha, mas por mais que as pessoas façam birra com relação a isso, o diferencial dela é justamente Mario, Zelda e alguns macacos, uma vez que tecnologias são facilmente copiadas. Se você tirar isso o que sobra? Apenas mais uma empresa igual a Microsoft e Sony (sem nenhum demérito as duas). O problema na minha opnião é apenas o foco. No mais, eu compro consoles Nintendo desde sempre por conta de suas franquias exclusivas, e isso vem bem antes do Wii: esta é a minha fiosofia.

  3. Concordo muito com voce, em vários sentidos. A Nintendo lançou um console caro, com um controle complexo e, mais uma vez, caro, com poucos atrativos em curto prazo, e o que tem agora, já cheira a naftalina. Torço pra dar certo, mas os fatos apontam pra outro lado. Quanto a Bayonetta 2, eu joguei o primeiro, gostei, mas não é excepcional. Eu como usuário de PS3, e Xbox, confesso que fiquei com vontade de jogar, mas nada que me causasse revolta toda que as pessoas estão demonstrando. Totalmente desnecessário

    1. Concordo plenamente!
      Ainda não entendi o pq da bayonetta tb, se a PG decidiu que lançar para um console que está surgindo e tentar criar um jogo console seller, bom para ela, os gamers deveriam respeitar a decisão e não ficar de mimimi.
      Sinto que esse Wii U vai ser como o 3DS, vai até deslanchar mas não será rápido e será por uma queda de preço.

  4. ACVF você anda muito amargo cara!
    Pra que escrever de maneira agressiva? Ultimamente você tem feito muito isso….
    Por exemplo, por que alguém que comprou o 3DS no lançamento é um “embaixatrouxas”. Se a pessoa quer comprar e tem o dinheiro, ninguém tem nada com a vida dela. Tem gente que paga muito mais caro pra importar certo aparelho, só pra ter logo certo console/jogo no lançamento.
    Eu sou um embaixador do 3DS e não me arrependo nem um pouco. Adoro todos os jogos e compraria todos, sem contar que peguei o 3DS logo no início e me diverti muito.
    Na sua perspectiva, como todo console acaba invariavelmente tendo queda de preço em algum momento, só não seria um “embaixatrouxa” quem comprasse um console no seu último ano de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.