Jogo épico é épico

Saudações aos leitores.

Quem acompanha o blog há algum tempo sabe que ano passado eu dediquei um post sobre Zelda II: The Adventure of Link, um grande game que por algum motivo passou a ser considerado como uma ovelha negra. De qualquer forma, seja para quem leu ou queira relembrar o texto, ele está aqui. Mas então por que voltei a falar de Zelda II? Porque dessa vez resolvi revisitar o jogo e ir até o fim.


Muitas vidas perdidas e muitos desafios superados para se chegar até essa tela.


O cartucho dourado é um símbolo do valor do jogo.

Jogo épico é épico, amigos.

Bom fim de semana a todos.

AvcF – Loading Time.

2 thoughts on “Jogo épico é épico

  1. É de fato bastante legal. Mas eu ouso dizer que prefiro o clone que a Taito fez dele – o Cadash.

    Também tinha um jogo para PC Engine (um dos consoles mais subestimados de todos os tempos) e para alguns computadores japoneses (como PC88, PC98 e Sharp X1 Turbo, além do mais tradicional MSX2) chamado XZR: エグザイル (conhecido por vezes como Exile) que seguia a fórmula de Zelda II à risca, embora fosse bem mais elaborado.

  2. esse jogo então deve ser injustiçado igual ao Metroid II – Return of Samus, que também é um ótimo jogo e é várias vezes criticado, provavelmente por quem nunca jogou

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.