Game Contraste: Vice: Project Doom – NES

Saudações, pixotada.

Mais uma postagem em que compararei a qualidade entre um jogo e a sua respectiva capa. Falarei de mais um game da geração 8-bits: Vice: Project Doom, clássico do eterno NES. Cliquem no link e apreciem com moderação. Até.

Pois é, dessa vez eu admito que peguei pesado escolhendo um troço desses. Quer dizer, quem pegou foi a Sammy permitindo que algo desse baixíssimo nível pudesse chegar às lojas. Indo direto ao ponto: quem permitiu, ahn, “isso”? Quem teve a capacidade (ou falta de) total de talento e noção de desenho?Incrível como tudo é ruim, o traço, as cores, programação visual, estética… Luvas de plástico postas, vamos examinar melhor a excrescência em seus detalhes. Ah, não se esqueçam do Plasil. Vão precisar.

A princípio é claro notar que a tentativa aqui era imitar de alguma forma o visual do Mel Gibson do filme Máquina Mortífera, mas infelizmente o resultado foi tão patético que o galã de banda de enterro provavelmente seria recusado até em um teste para estrelar um comercial do Grecin 2000 ou do Corega. Quando eu cheguei a achar que havia um limite para o mau gosto, não é que o cretino responsável por essa “obra” achou bacana desenhar essa macacão rasgado de mecânico de filme do Brasileirinhas, em um horroroso azul-calcinha. A pose com esse muquinho a lá “eu subi a escada e fui trocar a lâmpada” – arqueie o braço, force o bíceps e gire o pulso enquanto fale – é simplesmente patética e cafona, como a capa em seu todo. A rampeira de beira de estrada (também com seu vestido rasgado) acompanha o trash geral, com um olhar meio esquisito, que tenho medo de tentar saber o que possa significar. O pior é que além de piranha é vesga.

A escolha das cores é a pior possível, nada combina e o contraste torna tudo muito feio. A união do péssimo gosto com escolhas equivocadas criou uma espécie de textura que parece um misto daquelas horríveis toalhas de praia pintadas por caiçaras com aquelas ilustrações feitas com spray vendidas em praças por artistas fracassados. Como quase toda a composição foi feita com cores quentes, o logo praticamente desaparece em relação ao fundo, em especial o “Vice” que visualmente perde para aquele amarelado medonho dos raios elétricos da parte superior. Na parte de baixo da imagem, junto aos logos das companhias, há uma bizarra fumaça ou uma tentativa frustrada de névoa que não faz o menor sentido naquela composição. Seria isso o resultado de uma animada feijoada com batata doce de sobremesa? Não precisa responder.


Vice: Project Doom rodando

Felizmente o jogo é milimetricamente oposto a esse atentado em forma de capa. É um game competente, variado e desafiador, com ritmo semelhante à Ninja Gaiden ou Shatter Hand. A ação é dividida em dois tipos de fases: uma em que se controla um carro e o jogo passa a ser de corrida e tiro e as outras com side scrolling tradicional, com um chefão ao final de cada estágio. Ao final delas roda uma animação muito bem feita para os padrões do NES, contando a trama do jogo, rolando até um climinha de suspense em algumas delas. Quem gostava das animações da série Ninja Gaiden também vai apreciar as de Project Doom, pois são do mesmo nível.

Gameplay e som acompanham a qualidade geral, tudo funciona perfeitamente de acordo com o que foi proposto, ou seja, o conjunto é harmônico. O jogo tem todos os elementos dos maiores clássicos do NES, cuja experiência ainda pode ser divertida mesmo dezessete anos depois do lançamento original. Acho, inclusive, que é uma pena que Vice: Project Doom ainda não esteja disponível para download no Virtual Console do Wii. Eu pagaria US$ 5 fácil por esse jogo. Sério mesmo.

Esqueçam o retrato da dupla dinâmica do projeto de Alexandre Frota com a quenga e dêem uma chance a Project Doom, nem que seja por emulador. É um belo game muito mal representado. Não se enganem pelas aparências. Até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

7 thoughts on “Game Contraste: Vice: Project Doom – NES

  1. Cara, se continuar nesse rítimo com o Game Contraste, vai acaabar sendo processado por mortes de cardíacos e suicídios de pessoas deprimidas, hwa hwa hwa.

    Essa capa ae é tão ruim que nem precisava de texto.

  2. O pior é que a “mulher” tá parecendo traveco…….:(
    Pior que essa capa só a do Strider e as do Megaman…
    Já que é pra fazer lixo, por que não deixam as capas japonesas que HUMILHAM as americanas?…ah, é: a capa tem de ser ao gosto americano e blá blá blá…..

    Já o jogo é sensacional…..entra fácil no TOP TEN do Nes com clássicos como Mario 3, Battletoads, Contra, Ninja Gaiden, Megaman….:D

  3. Eu joguei este jogo no NES. Realmente, para época era um excelente game!Não consegui terminar, época das locadoras, não podia ficar com o game o mes todo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.