Especial Bad Trip 10 idéias idiotas: Nintendo/Philips CD-i – parte 03

Saudações aos senhores usuários.

E continuamos a baixar cada vez mais o nível das idéias. Nessa oportunidade eu falarei de uma das maiores (sim, há outras ainda piores) burradas da Nintendo em conjunto da Philips: o CD-i. Um aparelho constrangedor de tão tosco, que foi retirado da lata de lixo dos piores da história só para ser relembrado aqui. E o que a Nintendo tem a ver com isso se o aparelho é da Philips? Senta que lá vem história…

Antes de falar da idiotice em si, vamos voltar um pouco no tempo para contextualizar as coisas. No ano de 1992 a Nintendo anunciou que também lançaria um leitor de CD-ROM para o Snes, tal qual o Genesis com seu Sega-CD. Além disso, uma parceria com a Sony foi anunciada, para a co-produção do acessório, notícia que gerou grande expectativa naquele ano. Depois de idas e vindas, o acordo foi para o brejo, a Nintendo desistiu e largou a Sony com um abacaxi nas mãos (que por ironia do destino se tornou um abacaxi para a própria big N). Aí vocês me perguntam: “ah, então essa é a idéia idiota?” Essa foi também, mais houve uma idéia ainda mais estúpida que essa.

Com medo de que a Sony pudesse se tornar uma parceira perigosa, os executivos nintendistas amarelaram e no fim assinaram uma parceria com a Philips alemã. Na superfície parecia uma idéia boa, afinal uma gigante européia dos eletro-eletrônicos seria uma parceira e tanto. Pois é, “seria”, mas não foi e pior, foi um desastre histórico. Embora a Philips seja uma empresa respeitável em quase tudo que se propõe a fazer, esse não era o caso dela em relação aos videogames. Para se ter uma idéia, ela já havia feito um console no passado distante, o Videopac G7000, que aqui ficou conhecido como Philips Odyssey e nos EUA era chamado de Magnavox Odyssey 2. Mesmo lançado depois, era inferior tecnicamente ao Atari 2600, sua biblioteca de jogos era uma porcaria e continha quase que exclusivamente clones dos jogos do 2600. Até teve um desemprenho comercial razoável, mas foi para o saco rapidinho.

Ainda sim, esse histórico foi ignorado por alguns gênios que trabalhavam na Nintendo naquele período. O mais tosco é que não deu em nada também, só a Philips que ganhou alguma coisa nessa história, pois ela angariou games com persongens Nintendo para o seu formato CD-i. Lançado por volta de 1991, era mais um daqueles aparelhos multimidia que prometiam um monte de coisas e era medíocre em tudo. Uma das funções era obviamente os games, e a biblioteca conseguia ser pior que de outros aparelhos reconhecidamente ruins, como o Jaguar, por exemplo, e aí os jogos da Nintendo poderiam dar aqueeela força. Ou não.

O que aconteceu foi o lançamento do conjunto de games mais constrangedores que já vi, envolvendo personagens das franquias Mario e Zelda. Sabem quando alguém diz “junta tudo mais não dá um”? É esse o caso, mas não dá nem meio jogo. Produzidos por algum grupo de alcoólicos anônimos turbinados com cachaça Nabunda, os jogos Hotel Mario, Link: Faces of Evil, Wand of Gamelon e Zelda’s Adventure são ruins a ponto de fazer o Miyamoto ter chiliques de ódio se for perguntado sobre eles. Se perguntam como jogos podem ser assim tão trash, dêem uma olhada nesses videos:

Como é que uma companhia sempre tão preocupada com suas franquias permitiu algo desse nível tão baixo? Como é possível que alguém permita games tão horríveis chegarem a ser lançados? Como alguém pôde ter dedicado horas a fazer lixos como esses e ainda permitir colocar o nome nos créditos? Porque a Philips investiu tanto tempo e dinheiro em um aparelho que falhou de todos os modos possíveis? São perguntas que provavelmente permanecerão sem respostas para todo o sempre.

O resto da história vocês conhecem, a Sony devolveu a humilhação pagando na mesma moeda e acrescentando juros, com o lançamento do Playstation, que pintou e bordou sobre o Nintendo 64. A marca Playstation surrou os concorrentes durante os últimos dez anos, até finalmente sofrer um revés com o Playstation 3. Essa história mostra como uma idéia idiota pode desencadear uma sequência de outras idéias idiotas, culminando nesses desastres que já vimos. Tem gente na Nintendo que deve ter vergonha até hoje desses quase-jogos do CD-i. Qualquer jogador de verdade deve ter também.

Até a próxima postagem!

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

10 thoughts on “Especial Bad Trip 10 idéias idiotas: Nintendo/Philips CD-i – parte 03

  1. quando revi o link no primeiro video eu fiquei rechocado!
    acredito q foi muita cachaça Nabunda mesmo
    pq q pessoa em sã conciencia fazia um vg tao ruim e jogos tao [email protected]!
    PS:ASSIM Q TERMINAR OS 10 PIORES,FAZ OS 10 MELHORES
    ps2:quero ver o ps2,ps,nes e o snes nos primeiros 4 lugares dae 🙂

  2. “AVCF”, existem ‘não-verdades’ em seu texto, queres que eu as comente ou as deixo passar em branco ?

    Falta parcialidade e compreensão quando tratamos do quesito “CD-i e seus jogos”…se quiseres que eu comente, ok ! Se achares que sou um…como é mesmo….ah, um “Nintendista”, um “Seguista” ou seja lá o que for a ponto de estar enchendo sua paciência, ok, não posto as ‘verdades’ sobre o projeto CD-i, disponíveis inclusive, no próprio site deles !

    “Qualquer jogador de verdade deve ter também. [vergonha]”

    Olhe..não sei onde consigo um diploma para ser considerado um ‘jogador de verdade’ ! [rs…essa foi ótima Estamos rindo com seus textos…muitos são engraçados, acho que é essa a idéia destes artigos !]

  3. Gilius,

    Como disse o Coringa no filme recente do Batman, why so serious? De fato, como pode perceber, os textos do Bad Trip são aloprados, extremos, em que esculacho mesmo. Já assistiu ao Angry Videogame Nerd? É mais ou menos essa linha. “Jogador de verdade” é uma expressão apenas, não precisa de diploma, apenas quer indicar quem gosta de jogos realmente bons.

    Você nem nenhum leitor enche minha paciência, pelo contrário, adoro discutir sobre games, afinal, é minha área, meu estudo e meu trabalho. Inclusive, pode comentar as “não-verdades” que for, se eu estiver errado, eu corrijo.

    Por falar em seguistas e nintendistas, o único texto que você gostou foi o virtualboy. Porque será? (brincadeira, cara ;))

  4. Fico feliz que não esteja enchendo sua paciência…pensei que estivesse ! [rs]

    Sobre o Virtual-Boy, eu tive o ‘prazer’ [???] na época de experimentar o Mario Tennis, no stande da Playtronic, há anos atrás, dentro do Mappin ! [cheiro de múmia desenterrada agora…rs]
    O jogo era legal…mas ficar perdido quanto ao mundo alheio era trash ! [rs]

    Já agora….
    …o “projeto” do CD-i, se baseou em toda uma cultura, que é bem diferente da nossa…
    …os propósitos do CD-i, seguiam firmemente essa filosofia de jogos ‘legais, bacanas e interativos’ ! Imagine uma pessoa alegre, feliz, jogando video-games e aprendendo com isso !

    Era ESSA a imagem que o pessoal da Philips, e sim, da Nintendo [conhecida por seu conservadorismo] tentaram passar com o CD-i…
    …mas
    …convenhamos que o que atrai a atenção das crianças [e de nós adultos], é a violência, o sangue jorrando, a mãe dizendo ‘desliga esse jogo menino que isso vai te fazer mal”,rs…ou seja, o oposto das estórias “bacaninhas e infantis”, nas quais o CD-i se propôs a empenhar [e de maneira louvável até] !

    O CD-i foi um console inteiramente holandês-Alemão, e na Europa, para angariar mais fundos no Velho Continente, a Nintendo estivera ameaçada de vez retrocedendo, e muito, com seu SNES em frente ao 3DO Panasonic, ao SEGA-CD e ao Neo Geo/SNK !

    Qual seria a solução ? Lançar os ‘desenhos’ da Nintendo em um video-game que se propòs para isso !

    Os resultados já sabemos…mas poxa, eu, como sou colecionador de video-games, percebo a ‘magia’ que cada um deles trespassou…
    ..e o CD-i era o que possuía a dita Magia Celestial, em se tratando de intensões ‘censuradas e proibidas’ ! [poxa, eu tenho esse jogo do hotel-mario aqui nesse console! rssss]

    Bom…fico feliz em saber que estamos tendo um diálogo coeso e respeitável por aqui…rs

    Vou dormir agora colega…amanhã responderei os demais textos !

    Saúdos !
    XVIII-X-MMVIII

  5. Acho que a Nintendo queria de alguma forma tentar convencer os consumidores que jogos em CD eram ruins, pra tentar desbancar a Sega e outros futuros desenvolvedores de games em CD.

    De fato a Nintendo por alguma razão devia ODIAR esta mídia. Jamais desenvolveu um console com CD…

    1. “De fato a Nintendo por alguma razão devia ODIAR esta mídia. Jamais desenvolveu um console com CD…”
      Game Cube, Wii e Wii U não conta ???

      AvcF: er…não, pois nenhum dos três lê CDs. Pelo visto você acha que toda midia óptica é CD.

  6. Pingback: Mania Gamer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.