Especial 10 idéias idiotas 2 – Shenmue (parte 9)

Saudações aos taciturnos.

É agora que a porca torce o rabo e cutucarei a onça com vara curta. No post de hoje mexerei com o último dos mitos sagrados das viúvas seguistas, o mitíco Shenmue, lançado para Dreamcast. Um jogo tão bom, mas tão bom e tão complexo que ninguém jogou. Para aqueles que após essas duas linhas e meia já estão indignados ou querem me bater, aviso que não se trata de atacar o jogo em si, e sim a o contexto em volta dele. Explicarei tudo durante o texto. Vamos em frente.

Quando alguém está prestes a ir para o buraco, sempre há aquele momento em que este algo ou alguém se agarra em suas últimas forças em uma desesperada tentativa de adiar uma situação inevitável. Mas é aí que sempre surge também aquele algo ou alguém que protagoniza o célebre “chute ao pau da barraca”, e a vaca vai de vez para o brejo. No caso da Sega, quando sua barraquinha já estava a um passo para o desabamento, ela própria chutou o pau que servia como precário sustentáculo. Dentro dessa metáfora não seria absurdo dizer que o modelo da chuteira empregada para o ponta-pé decisivo foi Shenmue. Um projeto arrastado, problemático, caríssimo e que qualquer empresa comercialmente sensata jamais levaria a cabo. Mas a Sega levou, esquiou montanha a baixo com os pés na jaca e o final foi o pior possível.

A geração anterior ao Dreamcast já havia sido um desastre financeiro para a Sega, com milhões em prejuízo acumulado e o Saturn em posição que completa irrelevância em qualquer lugar que não fosse o Japão. A situação só piorava ano após ano, parecia que nada do que Sega fazia podia remediar aquela celeuma toda. No meio disso houve uma ideinha que germinou no meio de todo esse caos, um projeto aparentemente inocente, mas que futuramente se tornaria o símbolo da derrocada seguista. Sim amiguinhos, estou falando de Shenmue. O conceito era idiota desde o princípio, já que o objetivo inicial era criar um rpg protagonizado pelo personagem Akira, da série de luta Virtua Fighter, e obviamente ambientado no universo da franquia. Eu sei que a Sega sempre teve competência no ramo dos rpgs gamísticos, mas agora tentem imaginar um protagonizado por aquele clone do Ryu, em toda a sua graça, dramaticidade e personalidade que seriam pobres até perto de um Charles Bronsom da vida. Não é por acaso que a Capcom nunca perdeu tempo em fazer algo semelhante com Street Fighter.

Alguns tech demos chegaram a sair, houve todo um trabalho, mas o projeto não seguiu em frente devido ao fracasso do Saturn, retirado de forma prematura do mercado já em 1998. Foi então quando o projeto seguiu para o Dreamcast (então conhecido como projeto ‘Berkley’) e teve seu desenvolvimento todo modificado. O esquema Virtua Fighter saiu e entrou conteúdo original, o protagonista passou a ser um personagem novo, assim como enredo e tal. Mas os produtores não se deram por convencidos e resolveram fazer o jogo da forma mais ambiciosa possível, e começou todo aquele hype com mil promessas e vendendo Shenmue como se fosse ser a maior criação gamística de todos os tempos (e sabemos que não foi nem de longe). Embora a situação financeira da Sega fosse pior que a defesa do Fluminense, o pessoal mandou ver e gastou “a vonts” na produção do jogo. Após prováveis estouros, o orçamento da criança chegou a 70 milhões de dólares, um número pornograficamente alto para uma empresa então a beira da falência.


Shenmue II e sua capa cafona

Essa grana toda serviu para colocar toda sorte de perfumarias gráficas e sonoras, além de encher a lingüiça do jogo com coisas que não necessariamente adicionavam relevância ao gameplay. No fim das contas, Shenmue foi lançado no final de 1999 no Japão e quase um ano depois no ocidente, sendo um fracasso retumbante e histórico. Os gênios do departamento comercial da Sega se esqueceram de considerar que baixíssima base instalada do aparelho tornava qualquer expectativa de sucesso impossível para um game tão caro como Shenmue, mas mesmo assim permitiram seu lançamento. Para terem uma idéia do tamanho da encrenca, até fevereiro de 2000 a Sega sequer tinha alcançado dois milhões de consoles vendidos no Japão, mas mesmo somando as vendas ocidentais, Shenmue provavelmente teria que ter sido comprado por TODAS as pessoas que tinham um Dreamcast. Isso para o jogo conseguir se pagar, para gerar lucro teria que ter um desempenho comercial sobre-humano.

Claro que não teve. Para piorar, o jogo não teve apelo nem entre os seguistas, visto que as vendas de Shenmue foram pífias. Tirando uns poucos rardecores, ninguém foi atraído pelo mundo de Shenmue, ninguém se encantou com um jogo que permitia-nos fazer algumas coisas que já cansamos de fazer no mundo real. As tais revoluções propostas pelo jogo como a tal “quick time events” não passavam de truques que já havíamos visto em velharias como Dragon’s Lair, e a proposta de criar um ambiente que simulasse um mundo vivo foi feita de maneira muito mais eficiente em games como GTA III. De forma alguma digo que Shenmue seja medíocre ou mesmo ruim, apenas que o jogo é muito menor do que seus inventores apregoavam, mas era financeiramente muito maior e mais pesado do que qualquer outro game até então. Pior que a Sega insistiu em uma seqüência, que vendeu menos ainda, o que mostra que a primeira versão não gerou qualquer interesse até mesmo por alguns dos que jogaram. Uma prova de que tanto Shenmue II também foi incapaz de atrair as pessoas foi seu relançamento no Xbox, uma plataforma que gerou uma base instalada mais de três vezes maior que a do Dreamcast, mas mesmo assim Shenmue fracassou novamente.

O dano causado por Shenmue foi irreparável, um verdadeiro elefante branco que consumiu a Sega financeiramente, mas nada deu em troca. O jogo também meio que arranhou a imagem do designer Yu Suzuki, criador de vários clássicos da Sega, que após o jogo viu sua carreira definhar. Anos depois, em um sopro de bom senso, a Sega cancelou o projeto Shenmue Online, que provavelmente seria mais um custoso fracasso. Mesmo com sua qualidade, poucos se lembram de Shenmue, exceto por algumas poucas viúvas seguistas que insistem que a Sega ressuscite um jogo que só lhe trouxe problemas e prejuízo. Lançar Shenmue foi certamente a idéia mais idiota que a Sega teve naquele difícil momento que ela atravessava, as conseqüências foram devastadoras, como sabemos. Claro que é injusto colocar todo o crédito da derrocada seguista sobre o elefante chinês, mas como disse no começo do texto, foi o modelo da chuteira usada no chute ao pau da barraca.

Que nunca mais se levantou.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

38 thoughts on “Especial 10 idéias idiotas 2 – Shenmue (parte 9)

  1. Eu tb fui um Seguista, mas parei no Mega Drive. 😛 [2]

    Seria interessante comparar o Shenmue com o Final Fantasy, que foi lançado pela então Squaresoft em circunstâncias parecidas para as duas empresas, mas com resultados obviamente diferentes.

  2. Eu tb fui um Seguista, mas parei no Mega Drive [2]
    tanto é que é o vg mais “novo” da sega que eu tenho.. (tenho master e mega hehehe)

    fico pensando como é a gameplay do jogo… se eu lembrar, em casa até procuro no youtube pra ver…. mas é a única crítica do seu post… eu não tenho idéia como era esse rpg…..

  3. Vixi André prepara um backup do seu blog aew que a ultima vez você se lembra o que aconteceu né?

    Mas gostei muito to texto, realmente o jogo foi um fiasco só servia para mostrar o potencial gráfico de DreamCast e nada mais.

  4. Concordo que Shenmue foi custoso e que foi um projeto ambicioso demais. Mas dizer que ele não foi ‘revolucionário’ para sua época é leviandade, mesmo vindo de um nintendista! Tenho os dois Shenmue para Dreamcast, o jogo é maravilhoso (não digo isso só pelo fato de ser segista não)! Foi o único RPG que consegui terminar, e terminei tanto o Shenmue 1 quanto o 2!
    Ainda os tenho guardado e espero uma oportunidade para jogá-los no meu emulador(tô trabalhando muito), uma vez que, vendi meu DC quando fiquei desempregado há alguns anos.
    Admito que o Replay do jogo não é dos maiores, mas se eu não me engano, GTA3 ainda não havia sido lançado, então não se pode comparar o mundo de Shenmue com o mundo da Rockstar. Os quick Time events não eram tão revolucionários, mas eram divertidos e tinham a ver com a história, que era bem rica, rica até demais, já que queriam esticar a saga até o episódio 16(?)!
    Não devemos esquecer dos gráficos que são belos até para os padrões de hoje.
    Não esquecer também da luta memorável contra os 86 inimigos ininterruptos quando o jogador deve resgatar Nozomi (gostosa!). Com certeza o nosso blogueiro nunca jogou shenmue!
    Shenmue não foi ‘um fracasso até para os seguistas’, ele atingiu um nicho, assim como No More Heroes para Wii.
    Enfim, sim, foi uma idéia tosca, lançá-lo nas condições em que a Sega se encontrava, mas era a arma que ela dispunha para enfrentar o Play2. a Sega sempre pagou caro pelo pioneirismo, vide Dreamcast, Shenmue ou F355 Challenge. Se der mole o avcf vai dizer que Metrópolis Street Racer, foi uma idéia idiota também.

  5. Bom, eu joguei o she tanto o 2 quanto o 2 e tenhos os dois para o meu dc, e antes que venham dizer que sou seguista, vou logo dizendo que tenho meu n64 que amo apesar dos varios jogos toscos mas com perolas como 007, zelda e mario 64, ainda as vezes jogo o cubo, que pelo meu ver foi não foi nenhuma grandeeeeeeee console mas teve seus meritos, e digo o dc e she me divertiram muito principalmente o 1 que joguei varias vezes, acho que você tem razão em dizer que foi um erro lançar ele nas condições financeiras que estava a sega, mas dizer que ele não teve seu peso na historia ou dizer que foi um jogo ruin acho errado, se for assim podemos dizer que a nintendo tbm teve varios erros e grotescos e se não fosse o pequeno game boy estaria na mesma condições da sega atualmente e bom não sou seguista nem nintendista, adoro jogoar mario 64 adoro gta san andreas, zelda gosto de todos da era supernes para ca mas tbm acho um erro dizer que foi um jogo ruin she.
    a sim atualmente estou jogando zelda 64 e bully e nada da sega.

  6. Shenmue realmente foi meio megalomaníaco mesmo,quase um suicídio comercial,o “vai ou racha” da Sega.Mas como disse bem o Duquerei,a Sega mais uma vez pagou por estar a frente de seu tempo.
    E eu não sei da onde você tirou a informação que apenas as “víuvas seguistas” lembram desse jogo.Shenmue é celebrado por boa parte da crítica como um dos jogos mais revolucionários de todos os tempos.Recentemente na data(9/9/2009) que marca os,10 anos da chegada do Dreamcast nos Estados Unidos,Shenmue era um dos jogos mais comentados.
    No mais,achei o post muito forçado.Com a clara pretensão de causar polêmica.

  7. Nem me lembre disso, Fernando. Foi uma dor de cabeça tremenda aquela fase.

    Agora, duquerei, não qual é o porquê de ficar nessa de nintendista. Quem lê o blog sabe que não há ismo aqui. Vejo que a sua noção de revolucionário é diferente da minha, pois não vejo como algo que foi um enorme fracasso e ajudou a falir uma empresa possa ter sido revolucionário. Você citou No More Heroes, mas esse jogo não foi de forma alguma um fracasso, pois vendeu mais do que a expectativa dos produtores (o Suda até fez uma cervejada para comemorar), além do custo ter sido baixo.

    ARPN,
    Lógico que não são só as viúvas que lembram do jogo, quando digo isso no texto, entenda como figura de linguagem, um sarcasmo. Agora que nem os próprios seguistas não deram muita bola para o jogo, isso não tem muito como questionar, pois o primeiro Shenmue vendeu muito mal e sua sequência foi pífia nesse sentido. Fora que nem o Xbox salvou o jogo.

  8. se o jogo fosse adaptado pro ps2 e nao pro xbox…será q teria sido um fracasso…? sim o jogo ficaria feio pq o ps2 e bem mais fraco q o dreamcast!

  9. Poxa, também terei de discordar em partes com o texto. Tudo bem que Shenmue foi um projeto custoso, desnecessário no momento que a Sega se encontrava, porém, tirando os problemas da falência da Sega, temos em mãos um jogo muito valioso. É inegável que Shenmue inovou em diversos momentos: liberdade do jogador, puzzles, possibilidades, incluindo os gráficos. Compará-lo com os atuais GTAs é o mesmo que comparar Another World com o Metal Gear, lembrando que a criação de Eric Chahi também foi um fracasso comercial na época em que foi lançado.

    Sinceramente, acho que seu julgamento quanto ao jogo em si soou muito “joguei 5 minutos e já enjoei”. =P

    PS: Mas nem sonhando que sou Seguista, hahahaha, só tive um DC e olhe lá.

  10. Concordo com o Berjê, só quem jogou o Shen Mue na época do DC mesmo é que pode dizer, alias prefiro um héroi “clone do Ryu”, como diz nosso ilustre blogueiro do que ficar pagando pau para um jogo totalmente xaropão que é ficar andando em cidadezinha matando qualquer um igual a um zé mané, com “cerveja”, joguei GTA III por apenas 5 minutos e desisti,. Não sou hardcore, seguista talvez, mas vida longa a Shen mue!

  11. Para Eduardo: Eu tenho 2 pistolas de DC estragando paradas em minha casa, se vc as quiser para o seu Dream; ou se quiser vender-me seu Dreamcast, podemos negociar, vai?

  12. “a sega pagou por estar muito a frente do seu tempo”
    essa frase resumiu tudo o que o shenmue foi… cara, ficar olhando meu amigo jogar esse jogo era um saco, por isso na epoca tomei raiva dele, mas olhando bem tinha umas paradas bem legais nele. no fim foi meio que uma burrice msm… mas o jogo em si parecia ser muito bom… [o unico contato que tive com ele foi esse meu amigo que ficava jogando ele o dia todo, e me dava no saco! rs]

  13. Opa blz duqyerei tenho vontade de ter estas pistolas sim, mas vender o dc nem pensar tiro altas disputas de marvel x capcon 2 nele seria como perder parte de mim kkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Mas me envia um email para conversarmos.
    [email protected]
    E vida longa ao dc, não o melhor console mas mesmo assim foi muiiiiiiiiiiitttttttttttooooooooooo divertido sem sonbra de duvida e não me arrependo de ter comprado quando foi lançado assim como não me arrependo do n64 ( mas este me deixou varios traumas se não fosse mario 64 e 007 teria desistido de esperar o zelda, ainda bem que não desisti).

  14. Ufa cara, li o título já xingando tua décima geração(rs..brincadeira), Shenmue é o maior jogo pra mim, o que mais me arrepiou, está acima de qualquer jogo, e nem adianta chiarem, foi a obra mais a frente de seu tempo, mas comercialmente foi um fracasso total, não queria ter visto o semblante de tristeza da alta cúpula da Sega naqueles momentos, cometeram suícidio, não, suícidio não, seppuku.

  15. Bom texto. Com tanta coisa da Sega para entrar na lista (XD) Shenmue foi, de fato, o fim do estopim.

    Incrível que ainda tem quem acredite num Shenmue 3. Yakuza é o Shenmue que a Sega queria, e nem gera tanto a$$im no ocidente.

    (Sei que ainda tem muita coisa idiota, mas se não for o controle de movimentos da Sony, deve ser algo bem cabeludo mesmo)

  16. Também dá pra fazer outras comparações, do tipo “Shenmue” é o “Duke Nuken Forever” que saiu, ou é o “Cleópatra” dos video games.

  17. Até que tem bastante gente que tem/teve Dreamcast!

    Eu só ví essa peça rara uma vez, numa dessas locadoras onde vc joga a hora. Neste dia eu joguei RE: Code Veronica, cujos gráficos me deixaram embasbacado na época!

  18. Poxa, eu lembro do Hype que esse game causou, a midia especializada (???) só falava dele o do DreamCast antes do lançamento, mas depois de lançado nem comentavam, tanto que depois de um tempão que lembrei que tinha visto sobre o game e procurei saber se tinha sido lançado antes do DC ser descontinuado. E como podemos ver, depois desse game a SEGA se afundou completamente em todos os sentidos. Até hj ela só conseguiu lançar alguns games bons de verdade, Yakuza, que tem Shenmue como base, é um deles.

  19. Eddy, tmbm fiquei impressionado na época com os graficos de Code Veronica. Estou jogando Final Fantasy X (na época do lançamento não tive oportunidade de jogar, e depois não me interessei o suficiente) e estou lembrando o quanto fiquei impressionado com aqueles gráficos na época. O mesmo vale para Metal Gear Solid 2 e Devil May Cry hehe. Mas eram realmente os mais impressionantes naqueles tão distantes dias né!!!!

  20. Quando li o título já sabia como iria ser o texto, mas esperava mais “comentários bomba”, hwa hwa hwa.

    Shenmue foi um jogo que me agradou bastante, eu pirei jogando ele, achei “ducarai”, mas foi um puta tiro no pé da SEGA. Entre fazer as coisas pela metade e não fazer eu prefiro não fazer.

    Agora quanto ao revolucionário ae eu já discordo, aliás esse termo é muito empregado quando se fala de Dreamcast e afins sem fazer muito sentido. Mas enfim…

  21. Adoro essa noção distorcida e nostálgica de tempos passados. Seria apenas negação ou a glória de cantar canções de lutas e supostas vitórias passadas que movem os fiéis da crença Seguista? Bem, eu tive um Dreamcast. Foi um bom console e eu aproveitei o curto tempo que este durou. Não foi nenhuma sensação orgástica, tampouco algo perto de ser revolucionário: foi apenas legal. Porque então os fiéis remanescentes da santa igreja Sega insistem em glorificar o passado? Talvez a explicação esteja no presente lamentável da empresa? Ou porque eles não têm mais onde se firmar? Perder a guerra é dolorido, mas negar a derrota é simplesmente burrice.

    Shenmue é outro que sofre essa distorção nostálgica e exaltação, pois ele é o mais sólido que estes guerreiros abandonados têm onde se firmarem contra qualquer outro que ouse contrariar a palavra da santa marca que eles defendem. Shenmue é legal, assim como o Dreamcast, nada além disso. Não há nada de memorável em sentido coletivo, mas talvez para alguns possa ter sido marcante de alguma forma, isso eu não questiono. Mas estamos analisando aqui um sentido macro e não micro da sociedade, e nesse aspecto Shenmue foi realmente “mais um jogo legal”. Nada mais.

    Enquanto à Sega sobra mais suas canções de épocas gloriosas, de batalhas vencidas e perdidas, em meio a um presente não muito satisfatório. Isso explica a exaltação ao passado e negação ao presente. Eu fui até o Dreamcast, mas tudo acabou e agora aproveito a nova geração que, por sinal, está muito bem sem a Sega. Chega de “ismo” não é coleguinhas? Cresçam, amadureçam e aprendam a ter senso crítico e refletir mais racionalmente sobre o que vêem.

    Só pra constar: o preconceito diz muito mais do indivíduo preconceituoso do que da vítima de preconceito. Pensam…

  22. “Shenmue” foi a última obra prima da Sega, se é que ela teve alguma antes…auhauahau! (Nintendista Mode). Um projeto muito ambicioso, um jogo aparentemente muito bonito e muito bem feito. Pude jogar apenas algumas horas do Shenmue II, o suficiente para me interessar bastante e ter vontade de ter um Dreamcast só para jogar este game. Vontade que passou rápido, pois eu poderia muito bem pegar um Dreamcast emprestado. Enfim, Shenmue II me pareceu ser um excelente jogo e eu realmente não concordo com algo do que foi escrito no seu texto aí em cima. Todavia, foi o suicídio da Sega. Podem observar que depois disso ela nunca fez algo tão grandioso, fica apenas “reciclando” Sonics e outros “joguetes” que são bem mais rentáveis que um projeto multimilionário.
    Um dia, ainda jogarei Shenmue com certeza. É uma obra de arte, conceptualmente falando. A jogabilidade não aparentava ser muito revolucionária…a corrida do personagem não era tão precisa, mas ainda sim não tirava o brilho do jogo. Ainda esperando um Shenmue III.

  23. João Vitor Guedes.
    Nós não glorificamos o passado. Apenas fazemos questão de deixar nossa opinião em relação aos jogos que eram criados pela Sega, que naquela época em que tinha seus próprios consoles, dedicava uma atenção e um capricho em seus jogos que até hoje só se vê em alguns casos.
    Exemplo: Se vc pegar o cd do Virtua Fighter Remix para Saturn, terá uma bela trilha sonora. Daytona, idem. Posso citar vários outros títulos, como Sonic & Knucles, Burning Rangers, Metrópolis, Sonic Adventure, Last Bronx, Panzer dragoon, Crazy Táxi e etc.
    Não é apenas um “ismo” pois quem nunca teve um Sega, não conhece a qualidade imposta pela empresa naquela época. assim como não posso dizer que tudo feito pela Nintendo era lixo. Particularmente acho o N64 um tiro no pé, mas teve suas excessões.

  24. Bom, eu gostei de Shenmue (nada fantástico como tem gente que acha) e lembro do meu irmão mais velho falando que não era o momento ideal para lançar um jogo que nunca agradaria a todos. E deu no que deu.

  25. Exatamente. Ela já se dedicou, não mais o faz. Isso é suficiente para essa exaltação ao Shenmue. Já disse, é um bom jogo, nada mais. Tornaram-no um expoente de uma geração, um pseudoclássico, justamente por esse apresentar algumas características marcantes como o gráfico e um enredo padrão que funcionasse. Não existe um espetáculo, apenas um jogo bacana.

    Não questiono seu gráfico ou o capricho da Sega para com este, porém um filme bom não se faz de efeitos especiais, assim como uma pessoa não é somente sua beleza. Existem milhares de pequenos detalhes que torna o todo inesquecível. Shenmue pode ser inesquecível para alguns (o que concerne à experiência particular de cada um com determinado jogo), mas em sentido geral é apenas mais um jogo bom. Isso que quero dizer.

    Retomando: eu tive o Genesis e o Dreamcast. Respeito o passado e o que a empresa já fez ao mundo do entretenimento eletrônico, mas sempre tomando cuidado para não entrar em uma nostalgia glorificante de tudo o que representa aquela época – o que acontece com a exaltação atual dos anos 80, onde exaltasse objetos e situações mesmo que insignificantes em memória a um passado distante que, normalmente, remete a nossa infância.

    Esse é o Shenmue.

  26. Ter saudade de um epoca, de momentos, associados ao jogo, nao fazem dele melhor.

    Me falavam mtu desse game, e quando eu joguei, certamente o que falavam, era mtu mais glorioso do que o game em si.

    O jogo é bom…mas pra tirar a sega do buraco, naquela epoca, precisaria de mais, MUITO mais.

  27. HAHAHAHA,minha vontade ao ler o maldito título,foi pular no pescoço do autor miserável que fez essa matéria.O que me deixa mais indignado,são os nintendistas e sonystas(assim como Xcaixistas)que acabam com o jogo.Sim,concordo que a Sega se suicídou ao produzi-lo,no entanto,creio que valeu muito apena para muitos como eu,que apreciaram o jogo e conseguiram absorver a atmosfera do mesmo.Hoje em dia na minha máquina,tenho RE5,GTAIV,SFIV,LFD2,Crysis,Assassin’s Creed 2,Bioshock 2 e PES 2010;Minha opinião é simples,porém complexa:Shenmue’s'(1 e 2)foram de longe,os melhores jogos já produzidos na história,pena que estavam muito,mas muito além de seu tempo,e muitos não aceitaram essa idéia.
    Eu ainda espero,SEGA!

    Comentário do AvcF: sugiro uma cadeira, esperar sentado cansa menos.

  28. Já eu acho Shenmue um dos jogos mais injustiçados da história. Digo… tudo bem que hoje o jogo pode até parecer que “envelheceu mal”, mas ainda assim é um puta de um jogão (embora só tenha jogado o 1 até agora, e nunca o 2)! Um dos melhores do Dreamcast, e se forem parar prá ver numa dessas hoje em dia até que existem sim jogos que pegaram essa mesma mecânica de jogo (ou pelo menos uma boa parte dela) e a expandiram consideravelmente. Mas Shenmue merece sim o respeito por ter sido o pioneiro. E outra coisa: peguem a época em que o mesmo saiu (1999 no Japão e 2000 no resto do mundo) e constatarão que nada se comparava à ele (não só em termos de gráficos/realismo, mas quanto à proópria mecânica de jogo em si). O jogo, com seus inúmeros eventos, minigames e simulações corriqueiras de realidade conseguia fazer com que o jogador ficasse instigado, querendo mais e mais do jogo. Quando muito quem conseguia feito parecido na época era mesmo o primeiro Metal Gear Solid (as cópias como Syphon Filter não contam – afinal, são apenas cópias…).

  29. Eu só conheci shenmue em 2009, eu já tinha ouvido falar mas nunca dei tanta importância, Joguei o 2 em meu Xbox 360, e me arrependo de não ter conhecido o jogo na época, pois ele é mesmo único. O jogo é um dos melhores que joguei na minha vida. Acho que foi um fracasso, pois as pessoas não estavam preparadas para ele na época.

  30. @Michell: Então o público foi um fracasso, só pode ter sido isso! 😀

    Mas foi o que eu disse: esse é um clássico dos mais injustiçados da história. Tudo bem que o plano da Sega foi mesmo extremamente utópico para se garantir nas vendas, mas daí a martelar sem dó o jogo é sim uma senhora puta de uma injustiça! Ou vão me dizer que preferem Syphon Filter (já esquecido, diga-se de passagem) ou Fear Effect – dois títulos lançados mais ou menos na mesma época do primeiro Shenmue? E insisto de novo: tá certo que também teve jogo que expandiu essa fórmula do Shenmue, e que por conta disso Shenmue hoje parece “velho” (ou “envelheceu mal”). mas isso se deve ao fato de que a Sega não deu continuidade à série, logo não aperfeiçoou sua mecânica de jogo/interatividade. Mas ainda tá em tempo…

  31. @Trouble Man: Acredito que a série Yakusa seja a sucessora “espiritual” de Shenmue, que aliás parece estar fazendo muito sucesso.

  32. @Gelo: mas só se for no sucesso comercial mesmo, pois tem gente que reclama…

    Aliás, um bom jogo não necessariamente é o que mais vende, lamentavelmente. Já vi uns lixos (série Tomb Raider) vender horrores…

  33. NitroxxBR = engraçado essa bosta falar que o dremcast e superior ao ps2 e so ver as configurações que voce ve o resultados seguistas e foda eles chaman o ps2 de lixo e quando a gente chama o dremcast de torradeira eles ficam bravos se o ps2 fose lixo nem uma empresa ia lançar nada parar ele mesmo que ele vendi muinto isso e fato aprende o dremcast morreu alias me desculpa mas os primeiros graficos do dremcast parecem bastanti com os do n-64 por um vidiogame que era facil programar e uma vergonha ta ai a dica a ja sei se ele tivese mais uns anos ele ia mostra as forças secretas ta acredito no papai noel tambem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.