Cool Vibrations: Contra 4 – Nintendo DS

Saudações aos manos e minas.

No Cool Vibrations de hoje falarei de um game cheio de testosterona, macho de verdade, com culhões. Daqueles com dedo nervoso no gatilho, que nem perdem tempo em perguntar e já metem balaço na jaca do primeiro idiota que aparece pela frente. Um jogo que não tem medinho e não pede para sair. Ok, chega dessa p%&*# e fala logo: refiro-me a Contra 4, lançado para o portátil de duas telas da Nintendo. Esse é o jogo só para quem tem nervos de aço. Assista novamente o DVD do Cobra (aquele do Stallone e suas tiradas ao estilo “você é a doença e eu sou a cura”), pegue os óculos espelhados e coloque um bom Heavy Metal no talo. Ok é cafona, mas macho que é macho não liga pra essa tal de moda. Se mascar um fumo enquanto joga, melhor ainda. Ah, e não esqueça do palito entre os dentes.

Após as medíocres versões 3D para Playstation e Playstation 2, a Konami tomou vergonha na cara e contratou a produtora WayForward para projetar um jogo cujas características remetessem aos áureos tempos dos 16-bits, principalmente se baseando em Contra 3 do Super Nes e Hard Corps do Genesis. A produtora seguiu a receita a risca, com sprites, cenários, efeitos e trilha sonora inseridos de forma a mimetizar o que havia de melhor naqueles games dos anos noventa. Para quem jogou, as referências pipocam a todo instante e é muito legal notar esses detalhes durante as fases, quer dizer, quando é possível notar, já que o ritmo é intenso e a exigência por reflexos e atenção do jogador é alta.

De cara, é bom dizer logo: o jogo não é difícil, é MUITO difícil. Sem save points, sem ajuda do computador, sem continues ilimitados e sem tutoriais, Contra 4 lhe jogará direto ao inferno sem choro nem vela. Para desespero da geração Playstation, acostumada a facilidades como o memory card e save points mil, Contra 4 foi considerado brutalmente difícil pelos editores do site IGN, só para ficar em um exemplo rápido. A ação ocorre simultaneamente nas duas telas, o que torna a ação ainda mais frenética e dinâmica (um momento de bobeira e uma vida a menos na hora), já que o level design foi muito bem projetado nesse sentido. Entre um estágio e outro, as famosas fases de bases do Contra do NES voltaram, porém desta vez foram feitas com polígonos, mas até essas estão mais difíceis que as da versão 8-bits.

Contra 4 é celebrado também porque é uma volta as raízes da série, e como mencionei na abertura do texto, se perdeu de uns anos para cá com horríveis versões em 3D para Playstation e Playstation 2. Contra 4 é um daqueles games que quanto menos frescura melhor, o esquema é o manjado e extremamente divertido correr-atirar-matar (não necessariamente nesta mesma ordem), mas com um design de fases variado, inteligente e construído de forma a incentivar a habilidade do jogador às ultimas conseqüências. Outra tradição da série que foi resgatada foram seus chefões gigantes e apelões, daqueles que quando falta só mais um mísero tirinho, tiram sua última vida de forma impiedosa. Porém ainda sim, eles são capazes de causar um estranho sentimento masoquista que nos faz enfrentar tudo de novo apenas para tirar aquela revanche contra o safardana.

Outro ponto muito legal foi o Challenge mode, em que o jogador cumpre tarefas específicas (e muito apelonas), para habilitar uma série de extras, que vão desde entrevista com o diretor do jogo, artworks e até mesmo jogar Contra e Super C. Além de alongar a vida útil do jogo, é muito bacana ver a evolução visual e artística que a série passou através dos anos, isso sem contar as duas histórias em quadrinhos que estão lá para matar a curiosidade de quem for capaz de superar os desafios para abrí-las.

Contra 4 tem tudo o que faz da franquia um clássico: vários personagens para habilitar, modo cooperativo, estágios extremamente desafiadores e divertidos, chefes apelões, trilha sonora de qualidade, esta que inclui uma versão remixada da música da fase Jungle do NES. Até fizeram um filminho de introdução para contar o fiapo de história que o jogo possui (como se precisasse, mas enfim). É por tudo isso que é fácil afirmar que Contra 4 merece figura em qualquer galeria dos melhores jogos para o Nintendo DS, isso porque o jogo bom é o que não falta ao portátil.

Como diria um dos personagens do jogo: “COME AND GET SOME!!!”

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

4 thoughts on “Cool Vibrations: Contra 4 – Nintendo DS

  1. O joguinho dificil, hein! Mas tá bom, é essa mesma a alma de Contra. Eu acho excelente para jogar com um amigo, além de ficar um pouco mais fácil!!!!

  2. caramba, eu amo esse jogo…zerei no normal sem tomar um tiro XD fico faltando zerar no hard, e achar alguem corajoso o bastante para jogar comigo…melhor contra de todos os tempos, e um dos melhores e mais desafiadores jogos do DS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.