Bad Trip: Lethal Weapon (NES)

Saudações aos linfócitos

Descerei a lenha, meterei o pau (úi), assediarei moralmente mais uma sem-vergonhice do universo dos video games. Senhoras e senhores; meninos e meninas: com vocês, Lethal Weapon. Direto da era dos 8-bits para vocês. Sigam-me os bons.

Durante a era NES, sem sombra de dúvida a pior produtora e distribuidora de jogos foi a Acclaim. E vocês sabem quantas vezes já a homenagiei aqui no Loading Time. Porém é verdade também que ela teve uma concorrência na inusitada área dos joguetes vagabundos: a Ocean. No especial sobre as empresas mortas e desaparecidas eu dediquei um post sobre ela. A Ocean até teve alguma coisa razoável, mas é fato que sua herança 8-bits não é positiva. E Lethal Weapon é só mais uma porcaria dentre tantas.

Sim, é a velha maldição dos games baseados em filmes. O manjado esquema de enganar consumidores incautos escondendo lixos sob uma marca conhecida. Vocês sabem bem como é esse tipo de produto. Mas nesse caso particular houve também a maldição da mega preguiça por parte da equipe de produção. Vejam por vocês mesmos:

Creio que o pessoal responsável pela produção do jogo deve ter sofrido de uma contaminação coletiva por verminose, não é possível. Só isso seria plausível para explicar um jogo onde tirante os chefes de fase, O JOGADOR E TODOS OS INIMIGOS SÀO FEITOS COM A MESMA SPRITE. E sim, todos compartilham a mesma animação porca. Mas a esculhambação não ocorre apenas nesse campo. A trilha sonora é ruim, os efeitos sonoros idem e o design de fase não tem direção alguma. Gostaria de saber de onde o gênio que “trabalhou” nisso acha que é normal um parque (ou bosque, sei lá) terminar um DESERTO (???). Já imaginaram, por exemplo, dar um passeio no Parque do Ibirapuera (ou qualquer outro parque semelhante), e entre uma corrida em volta do lago e uma caminhada pela marquise, fosse possível sentar-se para apreciar umas dunas? Creio que nem as turminhas que fazem rodinhas para compartilhar “bagulho” (vocês me entenderam, vai) conseguem tal proeza. Se Lethal Weapon fosse feito nos dias de hoje, certamente alguém diria “iarirarirar dorgas mano” ao jogar uma fase assim.

De resto temos um jogo sem graça e repetitivo (isso porque em 1993 os jogos eram mais simples), com valor de produção pífio e que tirando o nome, tem muito pouco a ver com o filme que lhe serviu de base. Claro que quando Lethal Weapon foi lançado, o NES já estava bem em final de carreira, mas esse jogo seria ruim em qualquer ano que fosse lançado. Ainda bem que o filme Lethal Weapon (conhecido aqui no Brasil por Máquina Mortífera) é bem melhor que sua contraparte gamística. Trata-se de um filme de ação exagerado, canastrão na dose certa e que não se leva a sério. O problema foi que o pessoal da Ocean não entendeu isso direito, e acabou por não levar os jogadores a sério e exagerou na ruindade do game.

É isso aí amiguinhos, vou ficando por aqui. Até a próxima.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

9 thoughts on “Bad Trip: Lethal Weapon (NES)

  1. Ainda bem que eu não sabia nem que existia essa porcaria para o Nes, e mesmo se soubesse não me arriscaria também rsrs. Essa maldição de games baseados em filmes parece que é mais antiga que ”E o vento levou” essas pragas que programam os games ”Baseados” em filmes padecem de uma preguiça mortal, fora que dizem que tem menos tempo para fazer o game porque têm que entregá-lo antes mesmo do filme ser lançado.

    Comentário do AvcF: o pior é que nem a desculpa do prazo apertado eles tiveram, pois o filme Lethal Weapon é de 1987, enquanto que o game é de 1993. Foi pura ruindade mesmo.

  2. nem todos os jogos baseados em filmes eram ruins na época do nes e snes. Por exemplo, os games do batman eram bons…. Ja joguei um lethal weapon diferente, deveria ser do snes… nao lembro

  3. Vixi joga o Lethal Weapon (SNES) e faz a bad trip parte II qualquer dia.

    Hahaha não conhecia a versão de NES, muito double dragon genérico por uns instantes, aquela voadora :facepalm:

  4. @Avcf: é que esse jogo provavelmente foi “inspirado” no 3º filme que é de 1992 e tava tendo um certo “hype” naquele momento.

    Quanto ao jogo em si, é sim um rip-off (cópia) xexelento de Double Dragon. Ah Avcf, sugiro que faça um dia desses um artigo sobre os rip-offs, levando em consideração o fato de que NEM TODOS são ruins.

  5. Estava com (muita) saudade dos BadTrips e dos posts “polêmicos” detonando alguma coisa =D Se bem que tivemos Contra Force a pouco…

    Mas esse jogo também é um achado! hahaha… Muito trash! Poxa em ’93 estávamos no auge da guerra 16-bits com a chegada de 3DO e Jaguar64, o que levou a Ocean a pagar por uma franquia (cara) em um jogo de 8-bits péssimo como esse?! ¬¬ Imagino que dessa vez a estratégia “caça-níquéis” não tenha dado certo. o/

  6. @Trouble Man: Já existe! É o “Double Dragon V The Shadow Falls” lançado exclusivamente para Jaguar64. Um dos piores jogos de luta que eu já vi – e não joguei. (uFa!)

    Se eu não me engano, tem uma reportagem aqui no blog do Avcf que cita esse jogo em um especial sobre empresas falidas, nesse caso a Tradewest.

  7. @Gelo: Joguei ele no Mega Drive, e beeeem pouquinho no Super NES. No Jaguar eu não joguei, mas há quem diga que é um pouco melhor (ou menos pior) que as outras 2 versões. Realmente vomitável!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.