Bad Trip especial: jogos do Schwarzenegger

Saudações aos errantes.

Saindo do esquema E3 dos últimos posts, apresento-lhes mais um Bad Trip Especial, com um resumo da carreira gamística do glorioso governator Arnold Schwarzenegger. Nosso querido e um dia bem nutrido tiozão austríaco não foi nada bem no mundo digital, como será mostrado no post de hoje. Vamo que vamo. Aproveitem bem essa viagem rumo a ruindade gamística.

É bastante comum na vida de muitas pessoas o enfrentamento de diversos percalços até se “chegar lá”, ou se preferirem, atingir o sucesso. Com nosso querido tio Schwarzza não foi diferente. Vencedor de um daqueles toscos concursos de “Mister Mundo”, em que um bando de homens musculosos besuntados em óleo “competem” para decidir que é mais musculoso e besuntado em óleo. Ninguém podia imaginar que um halterofilista austríaco pudesse fazer sucesso com filmes em Hollywood. Após encarar papéis épicos como Conan (do que vocês estão rindo?), o sucesso veio com filmes como Predator e Total Recall.

Como não poderia deixar de ser, os jogos baseados em filmes vieram junto. Agora tirem as crianças da sala pois vai começar a baixaria. Tio Schwarzza até que não começou tão mal, “estrelando” o obscuro game Red Heat (aqui no Brasil o filme se chama Inferno Vermelho), lançado em 1989 para computadores como Commodore 64 e Amstrad. Ficou só na Europa, e acho que ninguém além dos produtores jogou essa joça.


Video da versão para computadores AMIGA. Fase da sauna daria inveja em Cho Aniki

Mas a coisa ficou boa mesmo quando resolveram fazer games do futuro governator para o NES. Uma dupla do barulho, que aprontou altas confusões da pesada no mundo muito louco dos 8-bits: Predator e Total Recall. Dois verdadeiros lixos atômicos, mas daquele tipo que de tão ruins até podem ser engraçados. Predator tem um avatar de Schwarzza com botas cor de rosa, pedras que andam sozinhas e fases lisérgicas com o Predator voando pela tela. Total Recall por sua vez conseguiu ser um dos piores jogos de toda a biblioteca do NES, cortesia de quem? DE QUEM? DA ACCLAIM, TINHA QUE SER.

Os posteriores sucessos cinematográficos de tio Schwarzza foram os filmes Terminator e Terminator 2: Judgement Day, esse um dos maiores sucessos entre os filmes de ação. Foram dois filmes muito bons, cheio de efeitos especiais, porradas e perseguições, sem contar o sensacional vilão do segundo filme, o exterminador T-1000. Assim, era óbvio que games baseados nesses filmes sairiam aos montes. E como quem tinha a licença era a Acclaim (olha ela aí de novo), até mesmo forno de microondas, bicicleta 18 marchas e Aquaplay estavam aptos para receber um game baseado nos dois filmes.

Mas o primeiro foi o Sega Genesis (tá Mega Drive, como preferirem), com Terminator, lançado em 1991. Tratava-se de um joguete medíocre de ação, estúpido de difícil, sem nada que motivasse o jogador a perder tempo com aquilo. No ano seguinte vieram os jogos baseados em Terminator 2, e claro, todos muito ruins. Angry Video Game Nerd que o diga:

O Super NES foi o último a receber as porcarias baseadas nos filmes Terminator, isso em 1993. Mas como vocês puderam ver nos videos, conseguiram ser os piores games. Por outro lado, houve ainda uma versãozinha meia boca para computadores AMIGA:

Mas os Schwarzza games (que esculhambação) não pararam por aí, pois o SNES recebeu mais duas pérolas baseadas em filmes do governator. Last Action Hero foi lançado em 1993 pela, pasmem vocês, Sony ImageSoft (sim, é essa mesma Sony que vocês estão pensando). Olhando o jogo, não me admira que Sony e Nintendo tenham virado inimigas depois:

Pior que até mesmo o filme em que esse joguete sem vergonha foi baseado era muito ruim. Entre os filmes protagonizados pelo Schwarzenegger, Last Action Hero só não conseguiu ser pior que Kindergarten Cop (Um Tira no Jardim de Infância) e Junior, esse sem dúvida um dos filmes mais constrangedores da história do cinema. Já o game Last Action Hero conseguiu ser o pior game de ação para SNES. Mas o pobre console ainda iria receber mais uma bomba, no caso True Lies, lançado em 1994…ADVINHEM POR QUEM…

Uma curiosidade é que na época meu irmão ganhou um cartucho pirata desse jogo, que não só permitia escolha de fases desde o início, como tinha uns bugs bizarros, como fases que não terminavam, paus de sprite e o avatar podendo atravessas algumas paredes. Tirando esse detalhe, True Lies não passava de um jogo de ação vergonhoso de tão ruim, que obviamente foi um fracasso. Afinal, considerando seu ano de lançamento, quem deixaria de jogar Mega Man X, Super Metroid ou Donkey Kong Country para perder tempo em um jogo baseado em um filme genérico de ação, com um avatar anão do Schwarzenegger?

A volta dos que não foram

Após um período de hibernação, tio tio Schwarzza voltou ao mundo dos games com o lançamento do medíocre Terminator 3: Rise of the Machines, para PCs. Eu perdi meu tempo jogando o demo dessa joça, que conseguiu ser um dos piores games de tiro que já joguei. Muito ruim e sem graça.

Acho que o recente filme Terminator Salvation deve ter gerado alguns games, mas nem me importei em jogar. Considerando todos os outros games baseado nessa série de filmes, nem me dei ao trabalho.

No fim das contas…

Fazendo uma análise rápida dos joguetes protagonizados pelo glorioso Schwarzza, hoje eu entendo o porquê dele ter patrocinado na Califórnia aquele patético projeto de lei contra os video games. Após ter protagonizado tantos jogos ruins, até eu iria querer barrar os video games no meu estado. O fato é que se por um lado Arnold Schwarzenegger teve uma respeitável carreira como protagonista de filmes de ação e tem ido bem como político, sua passagem pelos games foi constrangedora e absolutamente esquecível. Mas pelo menos nós jogadores  podemos rir disso.

E vou ficando por aqui. Se teve algum game que esqueci de mencionar, basta me avisarem nos comentários. Abraços a todos. I ‘ll be back.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

Total Recall, Predator, Terminator games (1,2 e 3), Last Action Hero, True Lies, Read Heat (Ocean 1989)

15 thoughts on “Bad Trip especial: jogos do Schwarzenegger

  1. Disser que Um Tira no Jardim de Infância é um filme ruim é foda, foi o filme que me incentivou a seguir a careira de pedagogo, é um clássico do Governator junto de Hércules em Nova York(filme que conta com de Bertil Fox, que é um dos fisiculturistas mas injustiçados,assim como Arthur Jones).

    Comentário do AvcF: é sério isso do Tira no Jardim de Infância?

  2. É cara, dessa vez acho que você foi um pouco injusto. O True Lies é um bom jogo sim, não é melhor do snes, principalmente comparado com os jogos que você citou, mas ainda assim divert e não tem defeitos graves. Sobre os jogos que você esqueceu, tem aquele terminator que saiu pro gc, acho ele um jogo legal.

  3. krk, arnold e james belushi no mesmo filme… vou correr atraz desse “inferno vermelho” pra ver se presta… e pow, o filma “last action hero” até que é divertidozinho sim…

  4. Esse True Lies do SNES é um bocado diferente da versão Mega Drive. Vai ver foi por isso…

    Mas a cena da sauna no Red Heat foi de matar! Parece um Sword Of Sodan gay – e notem que não se pode ver as “pernas” dos personagens, hahahahaahahahaahahahhhhh!

  5. nossa, que podres!
    heauehuaeueahuaehaeuuaea
    eu gostava do filme true lies.
    A SENA em que a metralhadora cai no chão de desce girando pelos degraus da escada e mata todo mundo é o melhor! huahuehaeuheuheauhua
    -Hello?
    -Boris? Doris?

    \o/

  6. Infelizmente,Terminator faz parte da regra em que a maioria dos jogos baseados em filmes são ruins.Cheguei também a jogar esse True Lies,nem sabia o nome dele,só lembro que era um jogo difícil e confuso.Mr Geek.

  7. Se eu não me engano, teve um jogo baseado no filme Queima de Arquivo para PC. Fez tanto sucesso que ninguém ficou sabendo…

    Acho que o grande problema do tio “Shwazz” foi ver seus filmes sendo licenciados por produtoras estúpidas, como a Acclaim, que nessa época essa a principal lançadora de jogos baseados em filmes.

    Você poderia ter citado também o “Robocop X Terminator” do Master System, que também é uma grande bomba, já que o personagem “exterminador” é diretamente ligado ao artista, tanto que no Exterminador 4 ele aparece apenas como uma animação por computador ao invés de contracenar de verdade no filme.

  8. caras, eu sei que nao, mas pra mim o bombadão da série contra é o schwazeneger e ponto final.

    quando tava viciadaço e jogava o contra 3 no hard com meu primo, eu era o schwazeneger e ele o “schwazenêgo”, naquela época sonhava em metralhar tudo e todos, me tornando um possível psicopata.

    ai vejo esses frutinhas hoje em dia matando por causa de gta. faça-me o favor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.