Você queria produtos eletrônicos (incluindo video games) mais baratos? Então espere sentado…

Saudações aos leitores.

Não é segredo para ninguém que os preços praticados no produtos eletrônicos no Brasil beiram o absurdo, e uma das principais razões desse estado de coisas é brutal carga de impostos e encargos (como os impostos sobre importações) que jogam os preços  – sobretudo dos video games e seus jogos – para as alturas. Pois bem, meus caros, leiam essa notícia da Folha e tentem não se revoltar:

Oitenta países devem assinar no final desta semana a atualização de um acordo comercial para eliminar tarifas de importação de mais de 200 produtos de tecnologia, de videogames a semicondutores.

Trata-se da primeira grande negociação para corte de tarifas na OMC (Organização Mundial do Comércio) em 18 anos. O Brasil está fora do tratado internacional de tecnologia da informação (ITA).

(…)

O presidente da AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil), José Augusto de Castro, diz que a ausência do Brasil em um acordo que envolve 80 nações, num setor com alto potencial de crescimento nas transações, reforça o isolamento do país no comércio internacional.

“Ou nos integramos ao mundo ou o Brasil ficará cada vez mais à parte”, afirmou.

Segundo ele, o país não pode pensar apenas na proteção de sua indústria, que já tem na taxa de câmbio atual uma barreira à invasão de importados, e deve considerar que o isolamento comercial também afeta a competitividade de outros setores.

Já o presidente da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), Humberto Barbato, defende a posição brasileira. “Nunca quisemos participar do ITA. Se isso acontecesse, praticamente não teríamos mais indústria eletroeletrônica no país”, diz ele, ao destacar os baixos preços dos itens chineses, os altos custos de produção no Brasil e o câmbio valorizado dos últimos anos.

Quando lembramos que precisamos trabalhar 5 meses só para pagar os escorchantes impostos que nos são cobrados de tudo, no mínimo dá vontade de jogar um tomate na cara do tal Humberto Barbato. Incrível como em pleno 2015 um sujeito ainda tenha a mentalidade dos anos oitenta do século passado, quando protecionismo era a palavra de ordem. O resultado a gente sabe bem qual é. Melhor ainda é a empafia da frase “Nunca quisemos participar do ITA“, sim porque legal mesmo é ficar de fora do resto do mundo. Coréia do Norte que o diga.

É pessoal, esperem sentados se quiserem video games mais baratos. A fase do Brasil é ruim mesmo.

AvcF – Loading Time.

 

 

One thought on “Você queria produtos eletrônicos (incluindo video games) mais baratos? Então espere sentado…

  1. Se esperarmos sentados, aí é que nunca vamos ver nada acontecer. Na minha concepção, aquela movimentação que aconteceu no Paraná deveria ser uma constante, todo mundo, desde empresários até as camadas mais pobres, pressionando esses vagabundos pra que eles realmente trabalhem em prol do povo. Não existe funcionário que trabalhe direito se for deixado “à vontade” demais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.