Artigos traduzidos: 20 anos depois, poucos jogos Nintendo foram tão bons quanto Super Mario RPG

Artigos traduzidos: 20 anos depois, poucos jogos Nintendo foram tão bons quanto Super Mario RPG

SuperMario RPG

Saudações aos leitores.

Há vinte anos (9 de março de 1996, para ser preciso) foi lançado Super Mario RPG, não apenas um dos últimos grandes lançamentos do finado Super Nes, como também um dos grandes RPGs de console de seu tempo. Para comemorar essa marca, resolvi traduzir um excelente artigo publicado no site Kotaku, “20 anos depois, poucos jogos Nintendo foram tão bons quanto Super Mario RPG“, de Jason Schreier. Boa leitura a todos.

_____________________________________________________________________________________________________

20 anos depois, poucos jogos Nintendo foram tão bons quanto Super Mario RPG

Jason Schreier

Entocado em um esconderijo secreto dentro de Monstro Town, um vilarejo  ao lado de um penhasco em Super Mario RPG, há um guerreiro roxo chamado Culex. Você pode passar o jogo inteiro sem nunca ter encontrado esse homem; descobri-lo requer você retornar para uma cidade anterior, comprar fogos de artifícios caros, e trocá-los com um NPC por um cristal que abre a porta para seu covil. Assim que você encontra o enigmático cavaleiro, ele te desafia para um duelo. Aceite a oferta e você enfrentará um chefe mais desafiante do que qualquer outro no jogo.

Sidequests difíceis como essa – sidequests que uma fração de jogadores sequer vai descobrir, quando menos completar – são raros em jogos Nintendo. Mas Super Mario RPG , que faz 20 anos hoje, não era um jogo Nintendo comum.

Não é difícil encontrar fãs de SMRPG, uma colaboração de 1996 entre Nintendo e Squaresoft que inseriu o onipresente encanador em seu próprio jogo estilo Final Fantasy. Misturando os sistemas de jogo intricados da Square com um roteiro original estrelando divertidos habitantes do Reino dos Cogumelos, Super Mario RPG era uma mistura dos sonhos. Jogadores amaram tudo nesse jogo – amaram o mundo, a música, a maneira como foram guiados por uma história que sempre parecia épica, mas sem se levar muito a sério. Na época, eu senti como se Mario e RPGs fosse uma parceria natural para os anos seguintes; eles estavam juntos como chocolate e uma generosa manteiga de amendoim.

Infelizmente, Nintendo e Squaresoft não eram nem um pouco compatíveis. A Square deixou o N64 e seus antiquados cartuchos pelo encanto do Sony Playstation, e o relacionamento entre as companhias nunca mais foi o mesmo. Super Mario RPG 2 nunca aconteceu, mas a Nintendo continuou a fazer Mario RPGs, achatando seu encanador para a criativa série Paper Mario e adicionando seu irmão à mistura para os jogos portáteis Mario & Luigi. Foram lançados nove RPGs estrelando Mario desde os dias de Super Mario RPG, cada um com seu próprio conjunto de artifícios. Alguns deles são excelentes; outros nem tanto.

Poucos desses jogos foram tão bons quanto Super Mario RPG. Após duas décadas, nenhum dos outros RPGs de Mario tiveram personagens tão iconicos e memoráveis quanto Croco, o lagarto ladrão ou o boneco mágico Geno, que é pedido tão frequentemente para Smash Bros que os criadores do jogo de luta da Nintendo adicionaram uma roupa apenas para ele. O mais próximo que a Nintendo chegou em recriar a grandeza de Super Mario RPG foi no GameCube, com Paper Mario: The Thousand-Year Door, um jogo que abraçou totalmente sua herança RPG, recompensando o jogador esperto e curioso com todos os tipos de segredos incluindo items e membros para o grupo.

c8amx3wbjkl6dbtzvalj

Por qualquer razão – baixa vendagem, análises ruins, o desgosto de Miyamoto por história – a Nintendo não estava satisfeita com The Thousand-Year Door, e eles passaram os anos seguintes levando Paper Mario para uma direção totalmente nova. Em 2007 eles lançaram Super Paper Mario, um jogo de Wii que abandonou o combate por turnos em favor de plataforma em tempo real. Alguns anos depois veio Paper Mario: Sticker Star, um jogo que era menos RPG e mais uma aventura aponte-e-clique. Sem sistema de níveis, poucos locais interessantes, e uma ênfase em tentativa e erro ao invés de combate estratégico, Sticker Star foi mais visto como um erro para a série.

Semana passada, a Nintendo anunciou Paper Mario: Color Splash, e as reações têm sido tépidas. Nós ainda não sabemos muito sobre esse jogo, mas o material inicial parece mostrar o mesmo foco de ação em detrimento do RPG. Fãs sinceros de RPG estão ativamente perguntando porque a série abandonou o que as pessoas gostaram tanto em The Thousand-Year Door, e Super Mario RPG antes desse. Assim como muitos apontaram, os Mario RPGs de hoje não têm a importância de seu ancestral de SNES.

Não é só papo de nostagia. Mesmo hoje, Super Mario RPG se mantém como um exemplo estelar do que jogos de RPG podem fazer. Ele subverte expectativas, encoraja raciocínio inteligente, e nunca falha em fazer o jogador rir – eu nunca vou parar de apreciar a piada interna de Mario, o protagonista silencioso, gesticulando loucamente para explicar vários desenvolvimentos da trama. Eu sempre apreciarei desafios tão recompensadores como a luta contra Culex, com ou sem a música de Final Fantasy.

Feliz vinte anos, Super Mario RPG. Talvez um dia, veremos um jogo como você novamente.

______________________________________________________________________________________________________

AvcF – Loading Time.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.