Somente a Nintendo poderia salvar a Sega

Saudações aos leitores.

há Não mais do que uns dez ou doze anos atrás o título desse post não apenas soaria bizarro, como até compreensivelmente seria considerado até uma heresia por muitos. Mas o fato é que a situação hoje é completamente diferente, o mundo mudou bastante de lá para cá, e o fato é que no post de hoje mostrarei porquê acho que o título faria sentido. Curiosos para saber? Então cliquem no link e acompanhem.

Pois é, amigos, tem sido duro não ler qualquer sobre com a palavra “Sega” que não seja relacionado a uma notícia negativa. As duas últimas que saíram então, nem se fala. Imagino que deva estar difícil para trabalhar em um lugar onde primeiro é anunciado que a Sega estima que terá prejuízo de mais de 86 milhões de dólares. Além disso, empregos serão cortados tanto nos Estados Unidos quanto na Europa. O pior de tudo porém, é que se você procurarem na internet por resultados financeiros de 2011, 2010, 2009 e por aí vai, os resultados serão semelhantes. Ou seja, há anos a Sega tem operado ou no vermelho ou próximo disso.

A derrocada seguista e a falta de direção

Em suma, a Sega vem de anos de situação financeira claudicante, alternando desempenhos razoáveis com ruins. Isso porque ela é sustentada pela Sammy e seus pachinkos, caso contrário já teria ido para o espaço faz tempo. Desde os tempos de Dreamcast, a Sega tem diminuído, sobetudo agora como mostrado essa última notícia, porém o fato é que o buraco é ainda mais embaixo. Lá no começo do blog, quando publiquei a série de textos “mitos da Sega”, eu me lembro de ter traduzido uma citação do fundador da Sega, David Rosen, dizendo que por ele a Sega já tinha o Mega Drive como seu último console de mesa.

Por outro lado, passado os desastres comerciais (eu disse comerciais, hein viúvas seguetes?)conhecidos por Saturn e Dreamcast, o fato é que a Sega se perdeu feio, e até hoje não parece ter encontrado seu caminho. Há diversos sinais que mostram isso, e o mais eloquente deles é sem dúvida o que foi feito da principal marca da empresa, Sonic the Hedgehog. Nem preciso me estender sobre a enxurrada de jogos ruins lançados com o porco espinho, basta uma rápida “googlada” e material farto sobre isso aparece instanteneamente. Além disso, a Sega fez o favor de enterrar séries clássicas lançando atrocidades do nível de Golden Axe Beast Rider, Virtua Fighter 5 ou Altered Beast 2005 ou decepções do porte de Nights Wii. Ainda sobre isso, tive o desprazer recente de jogar o demo do Sonic 4 Episode 1 e nunca mais meu PS3 terá essa coisa instalada no hd (sim, tenho um PS3, acreditem).

E se alguém ainda acha que a Sega não está perdida, vejam esse sensacional game:



Como se mijar para jogar não fosse ridículo o suficiente, você ainda pode salvar seu high score!

Sim, a Sega lançou um game para banheiro. Querem mais fundo de poço que isso?

A situação dos jogos da Sega chegou a um ponto tal, que a mesma chegou considerar apagar o registro de seus jogos ruins. Sim, amigos, a idéia era limar todos os games com média abaixo de 50 das listas do Meta Critics e assemelhados, talvez como uma tentativa desesperada de reescrever sua história recente e fingir que não lançou/lança games ruins. E por falar em games ruins, a Sega conseguiu a proeza de perder a conta de jogos baseados em filmes da Marvel, pois creio que a ruindade desses jogos chegou a tal extremo que as vendas devem ter sido prejudicadas. Sim, porque em se tratando de jogos baseados em filmes, qualidade é um quesito menor (e bota menor nisso), e o que importa mesmo é sair junto do filme e vender bem. Portanto, se a Marvel não renovou com a Sega, não é porque esteja preocupada com as notas ruins, e sim porque as vendas desses joguetes devem ter sido baixas a ponto de não justificar o já baixo investimento sobre eles. E sinceramente, quando se lembra que a Sega já foi um dos maiores nomes do mundo dos video games, uma notícia como essa não é nada menos do que um vexame.


You are doing it wrong, Sega

Se o problema da Sega se concentrasse apenas nos jogos de filmes, até que não seria algo tão complicado, mas ainda por cima, a Sega tem tomado seguidas decisões idiotas, ainda por cima. Por exemplo, o que explica distribuir os horríveis jogos da High Voltage? Depois do fracasso da ridícula imitação de shooter hardcore conhecida por Conduit, não apenas a Sega também distribuiu a continuação, como também lançou bombas do nível de Tournament of Legends. Sério que em algum momento alguém da Sega imaginou que jogos que desde o princípio gritavam “nós somos bombas!” seriam grandes sucessos de vendas e gerariam rios de dinheiro?


Jogão, hein?

Porque a Nintendo salvaria a Sega

Entendam que quando me refiro a salvar, não é apenas no sentido comercial. Me refiro quanto a qualidade também. Talvez pela pálida exceção dos games Yakuza (que são de nicho e nem saem do Japão), hoje a Sega virou sinônimo de porcaria, quase como via de regra. Quando não perde tempo lançando porcaria de terceiros, perde estragando suas séries clássicas ou lançando o enésimo game do Sonic (isso porque eles já disseram algumas vezes que dariam um tempo). Ismos a parte (nem comecem com esse blábláblá de nintendista, que não cola) e deixando a discussão de consoles de lado, o fato é que Nintendo por sua vez costuma cuidar bem da maior parte de suas séries. Peguem Mario e Sonic, por exemplo. Na atual geração, enquanto a Nintendo lançou apenas três Marios (Super Mario Galaxy, Galaxy 2 e New Super Mario Bros.Wii), a Sega lançou sete jogos (2006, Secret Rings, Black Knight, Unleashed, Sonic 4, Colors e Generations). E se por um lado Mario mantém uma coerência e padrão de qualidade elevados, a Sega não tem a menor idéia do que fazer com Sonic, enfiando-o em um monte de temas e contextos sem pé nem cabeça (romance furry, lobisomem, idade média e por aí vai).

Mas não é só Sonic, infelizmente. Além dos jogos que já citei acima, a Sega ainda enterrou outros games como Streets of Rage (cancelou um projeto para tornar o game 3d) e Phantasy Star (de referência em jrpg para mmo genérico), ao mesmo tempo que negligencia outros games clássicos como Alex Kidd, Wonder Boy ou mesmo Skies of Arcadia. Agora, em contrapartida, peguem as séries da Nintendo. Não é a oitava maravilha do mundo, mas mesmo jogos de “segunda categoria” como Punch Out e Kid Icarus tiveram cuidado e boas produções. Isso sem contar o belo trabalho que estúdios second party execeram com títulos como Metroid Prime 3, Donkey Kong Country Returns e Xenoblade Chronicles, por exemplo. Agora tentem imaginar os jogos da Sega na mão dos profissionais desses estúdios. Melhor ainda, imaginem um Sonic feito pelo mesmo time responsável pelo NSMB Wii ou mesmo o time de Galaxy. Certamente sairia algo melhor do que qualquer coisa que o Team Sonic fez nos últimos anos.

Além disso, ironicamente os jogos da Sega tem seus melhores resultados comerciais em plataformas Nintendo. Se vocês quiserem verificar os resultados fiscais anuais da Sega, verificarão que as maiores vendas de jogos quase sempre foram no Wii e DS. Mesmo com o desdenho com o qual a plataforma muitas vezes era tratada, os games multiplataforma as vezes vendiam mais no Wii do que os consoles HD somados.Agora vejam que ironia: logo que a Sega anunciou Sonic Generations, não deu cinco minutos para que a versão Wii fosse descartada sob a ridícula alegação “O objetivo primário das versões para consoles de Generations era reimaginar as zonas clássicas da série em gráficos vívidos, de alta definição”. O resultado foi que Generations em todas as plataformas vendeu quase a mesma coisa do que Sonic Colors vendeu sozinho no Wii. E pior: Mario & Sonic at the London 2012 Olympic Games, um mero spin-off com mini games esportivos, vendeu mais do que Generations também com todas as plataformas somadas. Agora imaginem se a Sega tivesse se empenhado e caprichado mais nos jogos, e tivesse um respeito maior pelo Wii. Obviamente os resultados seriam bem melhores para ela.

Retornando à questão da parceria, se uma mera coletânea de mini games se mostrou bastante popular (os três jogos com temática olímpica foram million sellers), claramente um game de ação e plataforma estrelado por Mario e Sonic seria um acontecimento histórico. Um “New super Mario Bros. & Sonic” da vida teria o potencial de vender putilhões de unidades, sem sombra de dúvida. Indo para o lado dos consoles portáteis, o Nintendo 3DS não deveria ser tratado apenas como um porto para receber Sonics de segunda linha, e sim para dar espaço a personagens menores e games esquecidos pela Sega. E certamente uma colaboração da Nintendo nesse sentido seria uma ferramenta e tanto. Além do mais, ambas as empresas tem a mesma raíz, os jogos arcade. Nintendo e Sega são especialistas eu uma espécie de jogo que a Microsoft e Sony não conseguem fazer, uma vez que o foco e a natureza das duas são os jogos de computador. Não entrarei no mérito de quem é melhor, Mas se Sega (talvez sob a batuta da Nintendo) e Nintendo se juntassem para fazer o que sabem fazer de melhor, não exitaria em comprar tais jogos.

Como isso aconteceria, realmente não sei responder. Não sei se seria – ao menos em tese – possível a Nintendo comprar a Sega da Sammy, ou mesmo comprar os direitos de jogos da Sega (como fez com a série Fatal Frame da Tecmo). Mas o fato é que sozinha a Sega não parece ter mais a capacidade de fazer grandes games. Pergunto a vocês: qual foi o último clássico da Sega que vocês jogaram?

Encerrando

Eu acho sinceramente que somente a Nintendo poderia salvar a Sega, em todos os sentidos. À parte daquela rivalidade adolescente dos anos 1990, sempre gostei da Sega e seus jogos (até comprei um Genesis, recentemente) e me entristece vê-la em tamanha decadência. A Sammy e seus pachinkos e jogos obscuros em nada ajudou a Sega nesses anos, e me parece que a gerencia seguista está mais perdido do que cego em tiroteio. Não foi por nada que um monte de gente será demitida, jogos serão cancelados e etc. E considerando-se a atual crise econômica mundial, a tendência é piorar. Caso nada diferente seja feito, cria-se assim um círculo vicioso, pois menos jogos serão lançados, menos vendas serão feitas, menos dinheiro entrando, logo…pois é.

Diferente da Sega, a Nintendo, somando acertos e erros, continua bem. Caso uma parceria ou colaboração mais efetiva fosse realmente estabelecida, excelentes resultados seria colhidos por ambas.

E vocês, o que acham disso tudo? Parece absurdo? Aproveitem para comentar.

Até a próxima, amigos.

AvcF – Loading Time.

17 thoughts on “Somente a Nintendo poderia salvar a Sega

  1. Pois eu te falo que já pensei nesta situação várias vezes, fora que é algo que meche com a imaginação de quem viveu a era 16-bits, lembro de quando fui jogar F-Zero GX no GameCube e vi os dois logotipos juntos e somente aquilo para mim já foi um acontecimento.

    De fato a habilidade da Nintendo e manter um determinado nível em suas franquias é algo que sempre faltou a SEGA, principalmente em tempos atuais. Sinceramente eu não acredito muito que algo assim possa acontecer, mas se acontecer ae é que eu não largo os consoles da Nintendo mesmo.

  2. Também já imaginei isso, AVCF, e Gilmar, uma fusão definitiva entre Sega e Nintendo.Mas a pergunta que eu faço, mesmo assumindo ser ser uma ” Viúva Seguete”, é :
    A Sega realmente faz falta no cenário do mundo dos games da atualidade ???
    Para mim não.
    O que eu acho, é que depois de sua saída do ramo de hardwares, a Sega perdeu seu “referencial de qualidade”. Os jogos dela, sempre tiveram seu desenvolvimento muito baseado em hardwares criados por ela mesma. Veja o caso do proprio Sonic, que foi imaginado em cima das características técnicas do Mega Drive e de sua grande velocidade de processamento. O Snes, mesmo sendo um hardware mais poderoso, jamais conseguiria reproduzir o Sonic do Mega Drive com 100% de fidelidade, ou quiçá até fazer um bom jogo, já que tinha um processador mais lento.
    As placas de arcades, System 16, 32, Model 1, Model 2 , e por ai vai. Como você disse AVCF, a Sega tem suas raizes fincadas nos Arcades, e derivado deles, seus consoles de videogame.
    Hoje , a Sega desenvolve no hardware dos outros, e a partir daí, o caldo começou a entornar.
    É impressionante como uma produtora com tantas franquias excelentes, á muito não consegue fazer nada que preste.
    O fato da Nintendo cuidar muito bem de suas franquias, poderia sim ser muito benefico para Sega sem duvidas, e se elas se unissem, e lançassem um novo console, eu compraria na hora.
    Mudando de assunto: Então você tem um PS3 hã !? , passa ai seu ID da PSN , que sabe a gente possa jogar algo juntos qualquer dia.

    Abs.

  3. Então, eu concordo com quase tudo que vc disse. Na verdade a SEGA tem acertado muito pouco, não que só tenha feito porcaria. Alguns jogos ainda se salvam, casos de Virtua Tennis e de dois entre as inúmeras tralhas que lançaram do Sonic, no caso Colors e Generations. E os Yakuza. De resto, a empresa aparentemente tá vivendo de relançamentos. Daytona USA e Sonic Adventure por exemplo. E agora querem lançar mais coletâneas e Shenmue em HD. As decisões da empresa estão cada vez piores.
    Mas chegando ao ponto principal do seu post, há tempos eu venho pensando isso sobre a Nintendo comprar a SEGA. E, olha, eu tô muito mais para Seguista do que Nintendista, embora goste muito da Big N. Algo que serve de exemplo de como seria incrível a “fusão” entre as duas são exatamente os jogos de olimpíadas dos mascotes das empresas e seus amigos. Os jogos foram desenvolvidos pela SEGA e supervisionados pela Nintendo (acredito não estar enganado). Vc tem muita razão quando fala da competência que a Nintendo tem para cuidar das franquias dela. Talvez o time de desenvolvimento da SEGA não seja dos piores, mas as idéias do comercial ou dos produtores é que são terríveis.
    Enfim, eu também sou da opinião do Tchulanguero, acho muito difícil acontecer, mas se acontecer eu abraço a Nintendo de vez. São dois nomes muito fortes juntos.
    NINTENDO, COMPRE A SEGA!

  4. Belo texto, bem argumentado. A sega há tempos deveria ter juntado os trapos com a nintendo; Hoje os consoles nintendo já são a casa oficial do ouriço. Por que não todo o resto?

  5. Lembro do dia que vi o anúncio do primeiro game da SEGA para uma plataforma Nintendo. Foi meio chocante. Até então eu nunca tinha tido um console da SEGA mas gostava bastante dos games que eu tinha jogado. Mas ver o notícia numa revista me pareceu tão surreal, como se uma parte da minha infância deixasse de fazer sentido. E eu havia sido BEM nintendista quando moleque mas em vez de sentir satisfação pela derrocada da rival senti muita melancolia.
    Hoje, não resta duvidas, é uma zumbi. Vive das lembranças do passado.
    Tenho dois consoles da dita cuja. É visível que havia um esmero em seus jogos. Mesmo no mal fadado Dreamcast, fica claro que seu fracasso não tem nada a ver com a qualidade de seus jogos( e quem tem um sabe disso) mas sim com uma sucessão de decisões equivocadas.
    Na verdade, a SEGA tem feito cagadas administrativas desde os tempos do MD.
    Todo o talento que ela tinha para fazer games não via reflexos na parte executiva da empresa.
    Lembro por exemplo da estúpida decisão de lançar Sega Rally REVO no mesmo dia que um tal HALO 3. REVO conseguiu boas notas, tinha boas sacadas, poderia ajudar a manter alguma dignidade da franquia e da SEGA mas foi esquecido. Isso em parte por ter sido lançado no mesmo dia que um dos maiores e mais hypados games da geração.
    A verdade é que a SEGA é administrada por um bando de toupeiras e essa estupidez afugenta os talentos da empresa que buscam coisa melhor pra trabalhar. Vide Tetsuya Mizuguchi, um dos mais criativos e talentosos game designer que eu já vi, abandonou a barca pra fundar a própria produtora.

  6. Quando a SEGA se juntou com a Platinun vi esperança. Achei que ela se reergueria.
    Agora estou chegando a conclusão que não haverá surpresa se a Platinun adquirir a SEGA.

  7. Acredite, essa tua ideia ta rolando em MUITOS foruns. Um exemplo é o Retrogames Brasil, que o teu amigo tchulanguero faz parte…
    Olha, será que nao tem como fazer uma campanha, sei la, alguma coisa pra que isso alcance um debate ainda maior?! Porque sinceramente, nao tem empresa melhor no mercado que a Nintendo, pra adquirir a Sega.

    Comentário do AvcF: não sabia dessa dos fóruns. Mas por outro lado, não vejo sentido em uma campanha, sobretudo aqui no Brasil. Afinal, nem a própria Nintendo dá atenção (se desse estaria diretamente aqui)

  8. É que na real, acho mais facil uma Microsoft, comprar a sega e transformar ela em uma Rare, do que a Nintendo, pao dura, gastar um dinheirao pra comprar a Sega. Mas realmente, seria interessante.

    Porem, nao discordo quando tu fala que nem a Nintendo da atenção aqui, o que é uma pena, diga-se de passagem.

  9. Excelente texto!
    Sinto pena do desperdício de talento das pessoas que formam a Sega, má administração dá nisso mesmo, games e lucro é uma relação complicada nesse ramo, requer polimento nos produtos, qualidade em diversos aspectos e o mais importante de tudo: que caia no gosto popular! Se isso acontecer é sinal que algo de bom há naquele game. É bem verdade que a Sega detém diversos clássicos como Alex Kidd, Streets of Rage, Shinobi etc. Pena que não souberam usar e manter um padrão de excelência. E digo + a parceria com a Nintendo no game F-zero GX foi excepcional, até mesmo para os padrões atuais o game é lindíssimo graficamente, sonoramente e no quesito diversão é imbatível!!! Tomara que um dia ela (Nintendo) compre e faça disso uma mina de ouro, talento os caras até têm vide o game Bayonetta que excede qualquer espectativa de quem o joga.

  10. Triste mais a Sega já era! Certamente a Sega vai chegar ao ponto de fechar as portas eu espero que ela não seja comprada por um empresa de merda como foi feito com a SNK comprada pela Playmore que é um porcaria só vive lançando re-make mau feito de KOF e os novos jogos sem ser Re-make são terríveis!
    Seria bom ter um videogame com o logo Sega estampado relambrando os velhos tempos mais isso nunca vai acontecer, quem comprar a sega vai matar seu nome e ficar com apenas os direitos sobre os jogos.

  11. Concordo com quase tudo, e sou a favor de que a Nintendo compre a Sega. Seria fantástico. Só discordo do que você falou sobre Virtua Fighter 5. O jogo é fantástico, não tem nada de “enterrado” nele. Sobre as outras “empreitadas” da Sega concordo que teve bastante coisa ruim mesmo, mas o VF é bom pra cacete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *