Semana Game Boy final: os modelos do console

Saudações as vossas excelências.

E finalmente chegamos a postagem derradeira do que deveria originalmente ser uma semana, mas enfim chegamos ao final. No texto de hoje, falarei um pouco sobre cada um dos modelos do antigo Game Boy, como o classic, pocket, pocket light e color. Como o conceito original dessa série de artigos era falar mais do Game Boy original,  eu descartei o modelo Advance, por entender que é praticamente um portátil distinto, que obviamente mereceria um texto a parte. Então vamos em frente que atrás vem gente. Texto na continuação do link.

Pleonasmos a parte, vamos começar pelo princípio:

Game Boy “Classic”

Essa é a forma original em que o Game Boy veio ao mundo. Soa como um trambolho para os padrões de hoje, mas era o ícone portátil em 1989. A infame telinha “dot matrix” esverdeada ao menos vinha com ajuste de contraste, o direcional e botões eram bastante responsivos e ainda tinha som estéreo quando ouvido com fone de ouvido, recurso que nem o próprio NES tinha. Apesar de necessitar de quatro pilhas médias (as “AA”), tinha boa autonomia de consumo, inclusive essa foi uma das principais vantagens em relação ao concorrente Game Gear. No finalzinho de sua vida útil, a Nintendo lançou a campanha “play it loud”, com novas cores para o aparelho. O modelo “Classic” foi o principal até 1996, quando foi substituído pelo Pocket.

Game Boy Pocket

Menor, mais leve e com tela maior, o Pocket era uma melhoria em tanto em relação ao modelo anterior. No lugar das quatro pilhas médias, entravam apenas duas do tipo AAA, menores e que pesavam menos. A tela deixou de ser esverdeada, tinha contraste bem melhor, a visualização também me pareceu ser superior ao modelo antigo. O aparelho também teve diversas cores, algumas especiais como o Ice blue e o Pink. Esse modelo foi o principal até o lançamento do Game Boy Color em 1998.

Game Boy Pocket Light

Modelo lançado exclusivamente no Japão em 1997. Era idêntico ao Pocket, mas tinha iluminação por trás da tela, facilitando a visualização em ambientes mais escuros (era dureza mesmo jogar o Game Boy em alguns lugares). Foi lançado com apenas duas cores (prata e dourado) , ainda sim acabou virando peça para colecionador e é um tanto raro. Nos sites estilo Ebay da vida, quem estiver disposto a gastar uma grana em um até encontra.

Game Boy Color

Após nove anos de existência, finalmente o Game Boy ganhou um upgrade real em suas especificações técnicas, não apenas melhorias externas. Além de maior clock no processador, mais memória ram e afins, como o próprio nome diz, enfim os jogos passaram a ser coloridos, cuja tela exibia até 56 cores simultâneas. Era totalmente compátivel com os jogos antigos, além de ter dez paletas básicas pré-gravadas, adicionando algumas cores aos jogos que previamente eram exibidos em tons de cinza. Como não poderia deixar de ser, o Color teve vários modelos especiais, boa parte deles baseados na franquia Pokémon. Por ter um hardware um pouco mais avançado, ganhou o selo “only for Game Boy Color”, com vários jogos que só rodavam nele, como Alone in the Dark e Metal Gear Solid, por exemplo.Tal qual os outros modelos, o Color vendeu milhões de unidades pelo mundo, até ser substituído pelo Game Boy Advance em 2001 (mas teve jogos lançados até 2002).

Se você acabou lendo os textos da semana Game Boy pelo final, não tem problema. Abaixo seguem os links dos textos anteriores, na sequência, do mais recente até o primeiro, de cima para baixo:

Tetris

Comerciais Brasileiros do Game Boy

Bad Trip- série Mortal Kombat

Game Contraste – Mega Man

Duck Tales 2

Metal Gear Solid

Certinho? Quem quiser ler na ordem, os links estão aí. Até o próximo post e abraços.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

15 thoughts on “Semana Game Boy final: os modelos do console

  1. Brendo, como eu escrevi no começo do texto:

    “Como o conceito original dessa série de artigos era falar mais do Game Boy original, eu descartei o modelo Advance, por entender que é praticamente um portátil distinto, que obviamente mereceria um texto a parte.”

    Mesmo assim, espero que tenha gostado do texto. Continue acompanhando o blog!

  2. Cara, esse seu texto ficou irado, porque eu sou fã da nintendo e sempre serei. E te peço que no seu próximo texto você fala um pouco sobre o nintendo 64. A REVOLUÇÃO 64 BITS.

  3. Pessoal eu não sei a idade de vocês mas eu tenho 32 anos quando eu vejo este tipo de matéria fico até emocionado hehehe
    Eu lembro a primeira vez que é vi um game boy ,foi na escola. um colega tinha levado eu fiquei alucinado com o game que tava rodando”Mario land” muito bom…

  4. ficou mesmo mto legal o texto….
    concordo com o vitor… seria legal uma materia sobre o n64…
    afinal tenho um n64, um gba, um gbc, um game cube e um ds…
    sera q sou fã da nintendo???
    kkkk

  5. O Game Boy Light foi lançado em duas versões: Gold e Silver, ou seja em duas cores, dourado e prata. Além disso, usava pilhas AA, para aumentar a duração quando se jogava usando o backlight, já que pilhas AAA, ao contrário do que diz o texto, duram menos do que pilhas AA. Outra diferença do aparelho é que sua tampa que cobria as pilhas era saliente, para comportar as pilhas maiores. Apesar dos pequenos erros neste e em outros posts dessa matéria, está legal.

  6. Foi legalzinho, mas poderia ter sido muito melhor. Tive todos os game-boys(dos principais nada de versões exclusivas) que sairam ^^ pra min não tem wii ou play3 que bata essa linha de console… Vida longa aos portateis da Big N

  7. ótima mateira, desses eu só tive um color, e como era bom jogar Pokemon la.
    Eu particularmente gosto mais de portateis do que consoles de mesa 😀

  8. Saudoso Game boy! Eu tive o classic, uma versão transparente do classic, a versão roxa do color e a versão verde agua do color também… Derreti as fitas de pokemon mas os games que não saíam do meu gb era megaman e mario land.
    abs

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.