Semana Game Boy: Cool Vibrations – Tetris

Saudações, nobres existências.

É impossível falar de Game Boy sem falar no clássico eterno Tetris. Um dos games mais vendidos e conhecidos de todos os tempos, perfeito dentro de sua simplicidade auto-suficiente. Esse é um daqueles games que até mesmo quem nunca nem chegou perto de um videogame já deve ter ao menos jogado alguma vez na vida.

Tetris foi lançado junto do Game Boy em 1989 e foi responsável direto por catapultar o portátil a condição de fenômeno mundial de vendas. O joguete é genialmente simples, tornando o gênero puzzle popular até mesmo para quem odiava jogos desse tipo. Criado pelo engenheiro russo Alexey Pajitinov (hoje um tiozão bonachão), o conceito é primário: peças de diversos formatos descem, cabendo ao jogador emcaixa-las para fazer as linhas desaparecerem. Só isso. Soa repetitivo, mesmo assim, bastante divertido por horas a fio. Porque? Não sei, mas é só jogar para ver que tenho razão.

Outro elemento curioso mas não menos importante é aquela musiquinha hipnótica que toca durante as partidas. É uma daquelas melodias que grudam no cérebro feito chiclete, costumam demorar dias para sair. Por falar em mente, quem nunca sonhou com bloquinhos caindo após umas horas de Tetris? Podem me chamar de louco, mas já aconteceu comigo algumas vezes. É sério, ou não.

O resto vocês já sabem, Tetris serviu de base para um putilhão de clones lançados para qualquer aparelho que tivesse uma telinha e algum componente eletrônico por mais vagabundo que fosse. Desde aqueles infames Brick Games chineses até fornos de microondas já devem ter tido alguma versão de Tetris ou de suas muitas imitações. E pensar que tudo começou com o Game Boy. Abraços e até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading time

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.