Sega Genesis completa 20 anos

Sega Genesis

Saudações aos sonhadores.

O tempo passa, o tempo voa. E nessa brincadeira o Genesis (ou se preferirem Mega Drive) um dos consoles-símbolo de sua geração e maior rival do SNES, completa vinte anos. O maior sucesso que a Sega conseguiu emplacar em sua existência como empresa de hardware, foi um aparelho que deixou sua marca na história dos videogames. E mais importante, uma boa marca. No post de hoje um pouco sobre a história do console e a experiência que tive com ele naqueles tempos. Acompanhem.

No dia 14 de agosto de 1989 era lançado o Genesis, versão ocidental do Mega Drive japonês lançado um ano antes, em território norte americano. Assim a Sega estabelecia o ponto de partida para a quarta geração de consoles, conhecida e lembrada até hoje como a geração 16-bits. O console foi lançado custando US$ 189 e vinha com o port de arcade Altered Beast (“RISE FROM YOUR GRAVE”, se lembram?), haviam também mais cinco joguetes a disposição: Space Harrier II, Super Thunder Blade, Tommy Lasorda Baseball, Last Blade e Thunder Force. O que havia de comum entre esses jogos eram suas qualidades técnicas similares aos dos jogos em arcades, que eram as referências de qualidade naqueles tempos. Assim, o Genesis mostrava na prática sua superioridade sobre o NES e seus jogos tecnologicamente mais limitados.

Outra tática que se mostrou eficaz foi a Sega ter assinado contratos com estrelas do esporte para figurarem games com seus nomes. A sega também acertadamente atraiu a Electronic Arts, que ignorou a Nintendo durante o ciclo de vida do NES, para seu sua primeira parceira terceirizada no ocidente. Jogos de ação estilo arcade e simuladores esportivos sempre estiveram entre os favoritos do público americano, contribuindo assim para o Genesis ganhar grande popularidade rapidamente. Ainda no ano de lançamento a Sega assinou contrato com ninguém menos que o rei da música pop Michael Jackson, resultando no lançamento do game Moonwalker, levemente inspirado no filme homônimo protagonizado por Jackson.

Mesmo com todos esses artifícios o desempenho comercial do Genesis não foi o suficiente para superar a incrível popularidade do NES, que vivia seu auge e recebeu seus melhores games justamente no quadriênio 1988 – 1991. O console de 16-bits da Sega foi capaz de estabelecer seu nome no mercado e junto ao público, mas tinha capacidade para chegar mais longe e ser muito maior do que foi seu antecessor, o Master System. A Sega acreditava nisso e começou uma campanha agressiva para bater de frente com a Nintendo, simbolizada pela célebre campanha “Genesis does what Nintendon´t”

Genesis does what Nintendon´t


A Sega no seu auge

O Genesis já tinha uma boa quantidade de títulos em seu início de ciclo, mas ainda faltava aquele jogo capaz de vender consoles, de atrair mais gente para o console, de impressionar a todos para valer. Faltava “O” jogo. Esse game veio somente em 1991 com o lançamento de Sonic the Hedgehog, o maior sucesso da Sega até hoje e um dos maiores clássicos da história dos vieeogames. Sabiamente a Sega colocou Sonic como o jogo que vinha junto do aparelho, substituindo Altered Beast, e além disso diminuiu o preço do console de US$189 para 149 dólares. O Genesis finalmente explodiu e tornou-se um console matador, deixando os executivos da Nintendo (que até então não viam o console da Sega como uma ameaça) de cabelo em pé. Pela primeira vez na história dos videogames viu-se uma rivalidade e uma disputa tão acrirradas pelo topo do mercado de videogames. Foi uma briga que deu gosto de ver, e toda essa disputa ajudou a surgir diversos clássicos que são lembrados com carinho por quem vivenciou aquele período. Falando especificamente do Genesis, jogos como Sonic the Hedgehog 2, 3 e Sonic & Knuckes, Quack Shot, Gunstar Heroes, Phantasy Star III, Shinobi, Comix Zone, Streets of Rage 2, Toe Jam and Earl e vários outros que vocês se lembrarão e me xingarão por não ter lembrado.

De minha parte, não me lembro se cheguei a conhecer o Mega Drive já em 89, mas me lembro de quanto deslumbrado eu fiquei quando joguei Sonic. Aquela musiquinha da Green Hill Zone ficará na minha cabeça até o dia que eu for para o caixão. Me lembro também de uma das primeiras vezes que joguei o Mega Drive e fiquei impressionado como o Fatal Fury era “igualzinho ao do fliper” (podem rir, mas eu devia estar na primeira ou segunda série só). Nas locadoras de games sempre jogava alguma coisa do Mega Drive, dividindo o tempo e atenção com o SNES. Também me lembro até hoje das tardes que passei jogando desde Pit Fighter até Captain America and the Avengers. Foi um belíssimo console cuja biblioteca de jogos tem vários games clássicos. Pena foi atrapalhado pela própria Sega com sua coleção de estutices que resultou no lançamento daquelas tralhas constrangedoras que só serviram para emporcalhar a bela história do Genesis.

O Brasil e a Tec Toy

Não para falar de Mega Drive sem falar no competente trabalho realizado pela Tec Toy naqueles anos. Como representante oficial da Sega no Brasil, seu trabalho de apoio e localização de jogos foi brilhante e ajudou muito a popularizar o console no país mesmo com todas as dificuldades econômicas do período pré-plano real. Haviam muitas propagandas nas revistas, os jogos podiam ser encontrados em tudo quanto era loja e os preços eram bem mais acessíveis que os praticados hoje. Foi uma época de ouro em que havia um mercado nacional de videogames aquecido.

Propaganda do Sonic

A Tec Toy também foi a empresa pioneira na localização de jogos para o português, traduzindo jogos do Master System e do Mega Drive. No caso do console de 16-bits foram traduzidos os jogos Phantasy Star II e III, Yuyu Hakusho, Shining in the Darkness, Where in the World is Carmen Sandiego? e Where in Time is Carmen Sandiego? Por outro lado teve aqueles sprite swaps safados com a Turma da Mônica e os horrorosos jogos originais do Pica Pau e do Duke Nukem, esse em especial é constrangedor de tão ruim. Tirando esses deslizes, foi um trabalho de primeira, muito melhor do que o suporte da Gradiente cpara os consoles Nintendo, por exemplo. Quem viveu aquele período sabe do que estou falando.

Por fim fica a lembrança de um belo console, que apesar de alguns pesares fez bonito e deixou sua marca para sempre. Uma marca muito positiva e saudosa, a ponto de ter criado uma legião de fãs que estão aí até hoje morrendo de saudades daqueles tempos que não voltam mais. Embora eu não tenha tido um Genesis/Mega Drive em casa, me diverti muito com ele e passei muitas horas agradáveis com seus games.

Por isso eu digo, por mais piegas que possa parecer: muito obrigado Sega.

*Com informações do livro The Ultimate History of Videogames

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

17 thoughts on “Sega Genesis completa 20 anos

  1. Meu primeiro contato com consoles em 1992 foi com Castle of illusion (já no mundo dos games foi com o “fliper” do Mortal Kombat). Foi paixão a primeira vista. No mesmo ano ganhei o Master System e logo depois um Mega-Drive, e só depois o SNES. O mega e master tem um lugar especial na minha memoria, onde juntavamos a familia inteira para ver quem chegava mais longe no Sonic hehe. Tinhamos até marcações no manual que acompanhava o jogo. Na minha escola tinha um Mega onde os alunos jogavam no recreio, e a febre era Altered Beast, pena que não dava pra zerar pois tinhamos somente 20 minutos e o game não contava com passwords hehe!!!! Os games da monica eu sempre achei que era criação da Tec Toy mesmo huahua, nunca imaginei uma recolocação de sprites huahua, eu sempre adorei aqueles jogos. Alugava quase toda semana até zerar, pois era muito dificil e como não tinha muitas habilidades, já viu neh hehe!!! Enfim, como nostalgia sempre é bem vinda, valeu pelo Post e como vc falou, valeu Sega!!!

  2. Infelizmente eu nunca tive o prazer de ter nenhum console Sega (com exceção do Saturno, justo o pior dela…).
    Mas eu cheguei a passar bons momentos com o Mega.

    Eu tinha um amigo no prédio do meu pai que tinha.Jogava direto na casa dele.Ele tinha poucos jogos, mas eram ótimos como Sonic, Phantasy Star III e Golden Axe.Era diversão garantida.E como eu levava o meu SNES também, a gente alternava uahaua.
    Teve vezes inclusive que trocavamos: eu levava o Mega dele pra jogar por uma semana em casa e ele ficava com meu SNES.Pena que numa dessas eu perdi meu Mario Kart, mas enfim…

    Realmente, mesmo com todos as burradas e porcarias, a Sega teve ótimos consoles.

  3. Infelizmente também sou outro gamemaníaco que nunca teve um Master System ou um Mega Drive! Lembro que fui direto pro SNES… e isso quando em 1998, quando tinha uns 8 anos de idade.

    Porém uma prima minha tinha um namorado que possuia um Mega e uma caixa de sapato cheia até a boca de fitas! Passava tardes mágicas jogando desde Streets of Rage e Golden Axe até Alex Kid, Phantasy Star, Dolphin (é um pouco gay, mas eu adorava) e muitos outros.

    O Saturno eu nem gosto de lembrar… mas o Dreamcast, Caramba, outro sucesso da Sega que foi pro saco! =(

  4. num sei uq vcs tem contra o saturn [ah eu sei…rs] mas ele at tinha alguns jogos legais…
    bem… voltando ao megadrive, meu primeiro contato com ele foi com o sonic 2… amava aquele jogo… agora tirando os sonics, phantasy stars, goldens axes, streets of rages e os jogos da treasure [yu yu hakusho e gunstar heroes são, depois dos sonics, os melhores jogos do megadrive pra mim] são poucos os jogos q eu gosto… acho os jogos de megadrive muito dificeis, tudo bem q facilidade demais eh chato, mas quando eu era moleque era bem decepcionante jogar alguns jogos. bem… tenho meu “multimega cdx” guardado até hoje… prefiro 1000000 de vezes o snes, mas mega drive tambem foi historicamente importante…

  5. O problema do Saturno pra mim, fora os que todo mundo já esta cansado de saber, é que ele não tinha uma biblioteca muito boa.
    Eu mesmo só tinha 4 jogos:Sonic R, Nights, Deep Fear e Resident Evil 1.Me proporcionaram muitas horas de diversão, mas uma hora só esses 4 não davam mais conta.
    Haviam outros jogos interessantes, mas a maioria eram jogos zuados ou fracos.

  6. Queria escrever um texto longo para descrever o quanto eu gosto do Mega e como ele me ajudou a deixar de ser um maldito ISTA (não podia nem ouvir o nome SEGA naqueles tempos).Mas com mil diabos, resumo tudo com uma frase:
    ESSE CONSOLE É DUCARAIO!!!!
    A propósito, o texto está à altura do console, excelente!

  7. Meu primeiro console de mesa foi um master system, que peguei em troca de um gameboy pelos idos de 1993, se não me engano. Me lembro das versões em português dos jogos que a tectoy trazia, e me diverti muito com eles.

    Com o mega, me divertia demais na casa de amigos, com golden axe, beavis and butt head, thunder force, streets of rage, sonic, primal rage e uns outros.
    Tínhamos o melhor dos 16 bits, já que três amigos tinham o mega e eu tinha (até hoje tenho) um snes lotado de cartuchos.

    Pode ser saudosismo meu, mas nunca mais os videogames trouxeram a mesma diversão.
    Às vezes vejo os filhos de amigos meus jogando e, quando a molecada se depara com um mega ou snes, os olhos deles até brilham.

    Sega, TecToy… valeu!

  8. Depois de passar muito tempo no Atari, ganhei em 1990 o Mega Drive, console japones, que meu tio trouxe de presente. Ele foi com certeza um dos meus xodós.

    Não digo que não existia, mas com certeza essa mania de ISTA que assola o mundo atual dos games era extremamente fraca naquela época (inicio a meados dos anos 90). Não tinha essa frescura de “Ah, eu só jogo esse video game porque eu odeio esse outro ou essa marca por qualquer razão imbecil ou só pra ser o do contra”. Eu ia muito na casas dos meus amigos jogar Snes enquanto todos eles viam na minha pra jogar o Mega. A gente tava mais preocupado em se divertir jogando do que ficar odiando marcas.

    Bons tempos aqueles 🙂

  9. Acho que o adendo do Roger merecia até um post (se já tiver, perdoe-me pela preguiça de procurar antes de comentar) sobre essa questão dos videogames atuais, apesar de toda tecnologia gráfica, da alta capacidade e dos grandes lançamentos, não conseguem ser tão divertidos quantos os clássicos (pelo menos na minha opinião e na de um monte de gente que eu convivo).

    Apesar do Wii, sempre que algum colega consegue arrumar um SNES… poutz, o videogame fica ligado a todo vapor!

  10. ps1: AEEWW, O BLOG VOLTOU \o/ que foi isso que deu esses dias que tava fora? oO’

    bom, meu primeiro VG foi o SNES (em 97, BEM atrasado) mas quando era pequeno… em 92 ou 93, meus vizinhos tinham o master system 3 com alex kid na memória…. nossa, e como agente jogou isso… e nunca terminava! hahahahaha
    foi na casa de um outro amigo meu (da escola!) que eu vi o final do jogo… e fiquei puto! huaehuahaeuhaua
    Me lembro como no manual as coisas eram diferentes das mostradas na tela… como no manual não tinha fases que tinha no jogo… 😀

    meu primeiro contato com o mega foi na casa desse mesmo amigo que terminou o alex kidd, com o Sonic 2… eu ficava MUITO puto quando ele ganhava de mim huaehaeuheauha e não cheguei a ver o final do jogo até ele me emprestar o VG em 99 (acho) e eu pegar o sonic dourado e terminar… onde peguei emprestado yuyu hakusho (em japones mesmo) e descobri que otooto em japoneês é irmão mais novo (hahaha)… nossa, como esse yuyu é muito superior ao do SNES (que deveria ter seguido o de mega)….
    ainda corro atrás desse yuyu (mesmo em portugues) pq ele e o yuyu 3 do gameboy (salvar só com state save… password gigantesco >.<) são os melhores \o/
    O saturno eu gostei pra caramba do meu amigo (eu não tinha) gostava do kof e do xmen vs street e a possibilidade de trocar de chars, que no playstation não tinha. O dreamcast…. eu não gostei NADA dele (exceto o code veronica e crazy taxi \o/). Tenho um mega 1 que ganhei, mas preciso arrumar o 3 (que esse amigo do alex kidd e sonic me deu heehehe).
    Mas o jogo que mais gosto da sega é Alex Kidd do master… na verdade, é o jogo que mais me faz lembrar video games (e mortal kombat tb!) hahahaha

  11. Depois de um Magnavox Odissey II (quem não se lembra do “come-come”?) e do MSX, ganhei meu Mega Drive em 1991, ainda antes do Sonic ser lançado no Brasil, e me diverti ótimos horrores nele. Embora eu fosse sim “seguista”, não me furtava em jogar e me divertir horrores idem com o Super NES (e Neo Geo). Mas apesar de tudo eu preferia o Mega Drive pelos jogos deste parecerem mais velozes e pelo controle (quem jogou SF2 em ambas as plataformas sabe do que estou falando).

    E ainda tive um Sega CD (que continuo achando que foi uma idéia pessimamente aproveitada pela Sega), que foi o primeiro aparelho de CD aqui de casa! Enfim, acabei dando o Mega Drive com o Sega CD (algo que me arrependo hoje amargamente, principalmente pq eu tinha o Sonic CD), não comprei o Saturn por ser caro, o Playstation por ABOMINAR aquele controle e o N64 por sei lá qual motivo. Talvez por, assim como o Sean Malstrom, ter se sentido meio abandonado pelas majors com aqueles jogos 3d e controles bizarros, me “exilei” no PC até comprar um Wii este ano.

    Duas coisas que atiçam meu lado “viúva seguista” são: 1) como os Sonic do Mega Drive são colocados láááááá embaixo nas listas dos melhores jogos de todos os tempos, quando deveriam estar NO MÍNIMO num Top 20; e 2) Como que o controle do Mega Drive (aquele de 6 botões), que considero o melhor controle já feito em TODOS OS TEMPOS (não joguei no Saturn, e o Wiimote não entraria nessa categoria) teve seu design abandonado desse jeito.

  12. Um ótimo game também de Mega é o Alladin, que ficou melhor que o de SNES, que foi apenas razoável. World of Illusion também. Fui um dos poucos que prefere Mega ao SNES (tive ambos). Reconheço que o SNES foi melhor no geral, mas eu mesmo só ligava pra jogar FFVI e Tales of Phantasia.

  13. lembro da época do comercial com o sonic,,,lembro da apresentação de street of rage, de sonic correndo, altered beast se transformando em lobisomem e da jogabilidade de thunder force III com suas músicas magistrais,,,,cara esse video game foi o maior sucesso na época,,,,infinidade de jogos e muito injustiçado tempos depois do lançamento do snes,,,,,,saudades da época quando era vendido nas lojas de eletrodoméstico,,,,via o mega drive ligado expondo seus jogos,,,,,,,joguei muito,,,,,e ainda jogo!!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.