REPARANDO UMA INJUSTIÇA HISTÓRICA 2: Comecei The Legend of Zelda

Saudações aos leitores.

Sim, amigos, até os últimos dias eu nunca havia jogado o clássico eterno The Legend of Zelda da forma como se deve: em um NES, com seu controle e plugado na televisão. Sim, já havia jogado em emulador e tal, mas nunca é a mesma coisa(como já mencionei antes). Nada é mais genuíno do que (desculpem o pleonasmo) jogar um jogo da forma como foi originalmente projetado. Mas enfim foi possível:


O cartucho em toda sua glória dourada e perfeito estado de conservação


Com direito a manual e mapinha


Hyrule e seus desafios

Quando tiver terminado, prometo que postarei um texto completo contando a experiência – por enquanto terminei os dois primeiros templos e peguei a White Sword – mas já garanto que gostei bastante do que joguei até aqui. Bem melhor que os Zeldas do Aonuma, sem sombra de dúvida. O aspecto primitivo dos gráficos e sons não prejudica a experiência em nada a meu ver, acho até o contrário, pois o achei sensacional o climinha de suspense dos templos.

E por enquanto vou ficando por aqui. Em breve postarei mais sobre essa experiência, reitero.

Até o próximo post.

AvcF – Loading Time.

4 thoughts on “REPARANDO UMA INJUSTIÇA HISTÓRICA 2: Comecei The Legend of Zelda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.