Quem disse que Ninja Gaiden é impossível?

Saudações aos deficitários.

Alguns posts atrás, vocês viram o episódio (post logo abaixo do sobre Heavy Rain e Wii Fit, nessa mesma página) em que James Rolfe, o Angry Videogame Nerd, passou por uma verdadeira tortura para tentar alncaçar o final de Ninja Gaiden. Nem mesmo o meticuloso treinamento ninja pelo qual passou foi capaz de lhe conferir habilidade necessária para terminar aquele que foi um dos games mais difíceis de seu tempo.

Esse post completa de certa forma o post anterior sobre esse assunto, dando-lhe um final, por assim dizer. Acompanhem.


A trilogia Ninja Gaiden era mesmo osso duro de roer. Exatamente como disse no post anterior sobre esse asusnto, esses jogos são capazes de fazer os atuais rardecores correrem feito menininhas assustadas. Pois bem, para mostrar que seus videos não são pura graça, ou feitos com ajuda de emuladores, AVGN publicou as seguintes fotos:


Seu amigo e ajudante nos videos, Mike Matei

Pois bem, quem disse que os games Ninja Gaiden são impossíveis? Os games daquela época não eram de fato impossíveis, mas sim exigiam muito dos jogadores. Dai que ao serem batidos, geravam uma sensação de recompensa enorme em quem realizava tais proezas. Por isso que alguns desses games são lembrados e venerados até hoje. Sem contar que não podemos esquecer que CRIANÇAS terminavam jogos como Ninja Gaiden, Mega Man 2 ou Batteltoads. Já os jogos considerados rardecores hoje são risíveis nesse aspecto. Não morri mais do que uma ou duas vezes para terminar Resident Evil 4. Twlight Princess fechei sem morrer NENHUMA vez. Mario Galaxy é uma colônia de férias perto de New Super Mario Bros, isso sem contar as fases do mundo 9. E NSMB Wii é mais fácil que Super Mario Bros 3. Quando joguei Doom 3, a despeito de seus monstros e testosterona, foi ridículo de fácil.

Nos comentários da página do Cine Massacre, James e Mike explicam um pouco de como foi terminar esse jogo, bem como o processo necessário para a produção dos capítulos do show do AVGN. Mostra que ele não um simples piadista, mas alguém que verdadeiramente aprecia e respeita os games do passado. Os bons, é claro.

Pois os ruins já sabemos que destino levam. It’s gonna take you back to the past…through the shitty games that suck ass…

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

13 thoughts on “Quem disse que Ninja Gaiden é impossível?

  1. Dificuldade alta pra mim nem sempre é algo legal. Nada contra os jogos citados, muito pelo contrário, a maioria fez parte de minha infância / adolescência gamística e terminá-los realmente deu uma satisfação enorme, mas hoje eu vejo que a questão da dificuldade nos jogos anda meio perdida.

    Alguns se utilizam da dificuldade como uma forma forçada de prolongar o jogo, enquanto outros se tornam chatos de tão fáceis. Não quero jogos frustrantes de difíceis nem mongolóides de fáceis, quero jogos que me divirtam sem que eu me canse ou enjoe em meia hora de jogatina. Tem que ser aquela dificuldade aonde você visualiza claramente o objetivo e que as coisas se tornem uma questão de prática.

    Agora outro ponto que pra mim é claro, é que a evolução da jogabilidade facilita sim os jogos atuais. Outro dia estava acompanhando uma discussão sobre Zelda, justamente sobre Twilight Princess que é alegadamente fácil, e que as versões mais antigas (no caso da discussão em questão a comparação era entre A Link To The Past) eram mais difíceis. Por coincidência eu estava jogando as duas versões, e notei que grande parte da dificuldade era sim pela jogabilidade limitada. E mesmo assim, não lembro de ter achado ele difícil na primeira vez que o joguei alguns anos atrás.

    Mas claro, isso são gostos e opniões pessoais.

    Comentário do AvcF: claro, é questão de bom senso, tem que ter jogos para todos. Nunca quis dizer que todos os games têm que ser difíceis, nem mesmo naquela época todos eram do mesmo nível dos citados. Porém, uma coisa que tenho notado é que parece que hoje os produtores têm verdadeiro pavor de fazer os jogadores perderem, além de que os jogos hoje são feitos para necessariamente ser terminados. Já os games das eras 8 e 16-bits eram feitos para ser divertidos independente de onde o jogador fosse capaz de chegar, pois a filosofia de seus game designs era ligada aos arcades. Um moleque zé mané botava uma ficha no Street fighter 2 e perdia na segunda ou terceira luta. Já o “viciado” ou “pro-player”, fechava o jogo e ainda dava um espanque no Bison. Mas ambos se divertiam. Hoje, até um bêbado em coma alcóolico fecha Tekken. Quando eu ganhei o NES, não conseguia fechar Super Mario Bros. Chegava nas fases finais e tal, mas acabava morrendo em algum ponto lá na frente. Mesmo assim eu SEMPRE me diverti com aquele game, embora só conseguisse terminá-lo anos depois.

    Sobre Zelda, joguei todos desde A Link to the Past. Discordo que tenha mecânica ou jogabilidade limitados, pelo contrário, é a base de tudo aquilo que popularizou a série, mais até que as versões NES (essas sim arcaicas e limitadas – por sinal mereciam remake, assim se tornando mais acessíveis as gerações mais novas). Joguei ALTTP via port do GBA (ou seja anos depois de lançado, portanto não há qualquer fator nostalgia no meu julgamento), e tive mesmo alguns momentos durezas, especialmente em alguns chefes e calabouços. Mas não porque o jogo era “limitado”. Da mesma forma que Majora´s Mask tem desafio mais alto que Ocarina of Time. No geral são todos excelentes jogos, menos Wind Waker que foi o que menos gostei até hoje e o único que não tive vontade de zerar. Não foi apenas por isso, mas é fato de que WW é o mais fácil de todos, uma verdadeira moleza. Eu gostei de Twlight Princess, tive uma experiência muito boa quando o terminei. Mas o único desafio real do jogo era aquela caverna com cinquenta salas (esqueci o nome agora).

  2. Eram extremamente dificeis mesmo, principalmente por não poderem salvar e a cada porrada levada os personagens ficavam inativos ou faziam movimentos que o levavam a morte em uma abismo ou combos enormes dos inimigos hehe. Resident Evil 4 eu tive um pouco de de dificuldade a primeira vez que joguei principalmente por ser um novo sistema e até me acostumar levou um tempinho, já o 5 foi muito rápido, terminei morrendo tres ou quatro vezes, e a duas delas foram no chefe final hehe!!! Mas com todos recursos modernos os games se tornaram filmes interativos, onde vc cumpre uma série de movimentos repetitivos até ver a sequencia mega foda no final. The End!!!!

  3. @AvcF

    Explicou melhor que eu o lance da dificuldade, esse exemplo da SFII exemplifica bem, como eu disse, era questão de prática e não de frustração.

    Quanto a Zelda, eu creio que a noção espacial, distância dos inimigos, movimentos de esquiva aumentou sim a facilidade de se evitar dano, isso desde de Ocarina Of Time. Quando eu disse limitação em A Link To The Past foi justamente da ausência destes elementos, e não de uma jogabilidade ruim. Quanto a WW não joguei ainda, não tenho como falar.

    Obs.: a caverna é a Cave Of Ordeals.

  4. @Avcf, rapaz já vi que existem coisas que é só questão de gosto mesmo, porque eu comprei o Twilight quando lançaram e finalizei, considero o Zelda mais fraco no sentido de dificuldade e não sei porque não gostei muito dele (aliás até sei, mas seria uma lista extensa), já o wind waker eu considero uma obra-prima, super divertido e não menos que genial. Você disse que não quiz finalizá-lo, o que é uma pena pois eu o considero o melhor Zelda (depois do Ocarina claro), não sei se eu sou o único no mundo que sentiu que o Twilight não tem nada de novo nele, ele é lindo graficamente tem sons ótimos, jogabilidade refinada, mas falta inovação e elementos que o tornem um verdadeiro Zelda. Não possui nada de novo como no maravilhoso Majora’s Mask, ou o Wind Waker que possui gráfico inéditos na série e é o único na série que possui enredo ligado diretamente a outro episódio no caso o melhor de todos: Ocarina of Time.

    Comentário do AvcF: considero Majora´s Mask melhor que Ocarina of Time. Polêmica. (Isso porque esse post era sobre Ninja Gaiden…)

  5. @George Sadat

    Concordo com vc… Wind Waker é muito bom!
    Só de imaginar as musicas daquele jogo ja saio assobiando com vontade de jogar ^_^

    Um dos melhores da serie sem duvidas…

  6. Pois eu não consegui manter o interesse em wind waker, e nos outros episódios que o seguiram em estilo e jogabilidade (phantom hourglass e spirit tracks).
    Talvez eu esteja mesmo perdendo grandes jogos, já que muita gente gosta desses games, mas eles estranhamente não me atraem.
    Link to the past, ocarina of time e twiligth princess não precisaram de mais do que 5 minutos pra me ganhar por completo, mas quando tentei jogar o phantom hourglass, senti que faltava a grandeza e a imponência que surgiu na série desde o ocarina of time (não gostei do majora’s mask, mesmo sendo mais bonito e mais dificil que o ocarina).
    O jogo é chato no começo.

    Ninja gaiden já mostra desde o começo a que vem (tenho o primeiro, no master system), e é um jogaço! Morro direto, mas não me canso dele!

  7. Muito interessante os comentários de todos. Sou jogador desde que meu irmão mais velho ganheu um Dactar em 83. Hoje eu tenho menos tempo para jogos, mas é indiscutivelmente inegável que os jogos atuais são mais fáceis. Ninja Gaiden terminei 2 dos 3 (mas não lembro qual). Battletoads joguei tanto nessa vida que até hoje consigo terminar, pois praticamente decorei o jogo (não colocarei link pois nem sei se pode), basta procurar no You Tube que coloquei o jogo completo. Mas enfim, a grande mudança que vejo nesse anos todos é que antigamente, o jogador casual também gostava de jogar os jogos “impossíveis”, como o próprio Ninja Gaiden. O jogador casual não avançava no jogo (belo exemplo do SF II), mas ele sabia que bastava apertar Start e sair correndo pro lado direito da tela. Meus irmãos (jogadores casuais) amavam jogar Battletoads e Contra, por exemplo, mesmo morrendo cedo. Hoje em dia, qual jogo que não possui save e te força a iniciá-lo novamente? Nenhum me vem à cabeça. Não sei se estou ficando velho demais para jogos (tenho 29), mas tenho que admitir que já faz um bom tempo que não me arrepio mais ao ver um jogo pela primeira vez, como acontecia frequentemente antigamente (Battletodas, SF II, DKC, F-Zero, Mario 64, entre muitos outros). Abraços a todos.

  8. @Rodrigo Xingu

    Um jogo q te força voltar ao começo hj em dia q me lembre é so Contra 4… 😛 Mas ja era de se esperar…

    Apesar do jogo ter save, ele tb salva o numero de continues q vc tem, e toda vez q vc carrega o save, vc perde um continue (!), se de game over, ele apaga teu save… hehehehe, eu achei esse esquema mto bom, pois vc pode parar pra continuar depois, mas é como se vc apenas “pausasse” o jogo =)

  9. Aprendi uma lição com o Wind Waker: nunca se deixe enganar pela imagem ou estilo gráfico do jogo, digo isso porque eu nunca teria jogado o Wind se não fosse um amigo meu que me emprestou, eu tinha uma espécie de ”preconceito” bobo com o game e nunca tinha me interessado em jogá-lo, achava que o twilight sim é que seria a redenção da série, ledo engano, foi exatamente o oposto me apaixonei pelo Wind e fiquei avesso ao Twilight. @Avcf só não considero o Majora’s melhor pelo fato do Ocarina ter sido o divisor de águas na série na transição do 2-D para o 3-D com perfeição (além do fato de considerá-lo perfeito em todos os quesitos) mas no quesito originalidade o Majora’s é imbatível !! Na dúvida eu fico com os dois ^_^

  10. só pra constar o ninja gaiden do master system não é o ninja gaiden 1 e´meio que um “spinoff”. bem, eu tenho um amigo que acreditem ou não zera todos os ninja gaidens (1 ao 3) semp perder nenhuma vida (!) bem na verdade ele perde 1 vida em uma parte especifica do 3 (que é o mais facil…rs)… mas bem, quando eu era muleque eu tinha uma coisa, tinha medo de ficar preso nos jogos e não saber o que fazer (e isso acontecai volta e meia comigo em alguns rpgs) por conta disso peguei aversão a jogos muito extensos e/ou complexos. não é a toa que meu genero preferido é “rpg tatico em turnos” (como final fantasy tactics) que é bem complexo mas não há como vc “não saber o que fazer”. esse tipo de dificuldade “impossivel” é o que me afastava de alguns jogos… hj alguns deles nem são tão impossiveis. bom falei um monte de coisa sem sentido…rs ah e realmente muita gente tem preconceito com wind waker… tem um amigo meu que achava que era 2d! claro que emprestei o jogo pra ele e ele adorou… acredito que isso vai acontecer com 90% de quem diz que não gosta dele (os outros 10 5são muito orgulhosos pra dizerem que gostaram de um jogo com “graficos de criança” rs). bem, é mais ou menos isso ai… e pra finalizar, o link to the past nem é tão dificil assim… na verdade, parando pra pensar é o unico zelda que eu de fato “tive saco pra zerar”. derrepente pq foi num tempo que eu não tinha nenhuma preocupação nem estresse…rs (mas eu tenho todos os outros, só não joguei -os a fundo ainda…rs) abraços a todos…

  11. Abraços a todos.
    Tenho 32 anos e jogo desde os meus 6,ou 7 anos , passando por todas as geraçoes apartir do Odissey, até chegar hoje com meu PS3.
    Sem duvida alguma, um dos quesitos que mais foram desimados durante os tempos foi a dificuldade nos jogos.
    Talvez a explicação mais plausivel seja pelo fato de que hoje, os vidogames sejam um canal de entretenimento que atingiu um nivel popularidade a ponto de rivalizar com o cinema por exemplo. Eu explico.
    Na “época de ouro dos Videogames”,(leia-se , até a geração 16 bits) ,os jogos eram concebidos , planejados , e criados tendo um foco direcionado ao JOGADOR DE VIDEOGAMES, claro sempre houve os casuais, mas ele correspondiam a uma parcela bem menor do que nos dias de hoje. Dessa forma um dos quesitos mais relevantes dos games daquela época era a capacidade de testar a habilidade dos jogadores,habilidade esta que só se adquiria com treino e dedicação. Hoje os casuais em alguns casos são até mais considerados que os jogadores de fato ( o WII esta ai de prova) .
    A dificuldade leva a frustração , que leva ao distanciamento, que leva a desistencia de algo , no caso os games, estou falando do jogador casual, que em 95% dos casos quer diversão , e não ser desafiado pelo game.
    É por isso que hoje não pode ser considerado virtude nenhuma você dizer para alguem que terminou Resident Evil, Bayonetta, Uncharted, Assassins’ Creed, os jogos praticamente te levam pela mão até o fim, isso para não dizer do desafio ACEFALO da maioria dos games para o WII.
    Ainda bem que as vezes , aparece um Demon’s Soul’s da vida, e nos faz voltar no tempo, e nos fazer sentir aquela maravilhosa sensação de recompensa ao vencer um game, exatamente como nos velhos tempos.

    Jogador Retrogamer Veterano , e QUadrado=MODE ON

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.