Punch Out!: o retorno de um clássico

Saudações aos antigos.

Hoje falarei de um clássico que finalmente sairá de anos de geladeira: Punch Out! Acompanhem.

Lançado originalmente para os arcades em 1984, Punch Out se tornou um clássico instantâneo. Diferente de 90% de todos os outros jogos de boxe, que tentavam de maneira tosca simular as regras da realidade, o game da Nintendo ía justamente na direção contrária. Com visual cartoon e vilões engraçados que realizavam golpes exagerados e coreografados, Punch Out era um jogo competente e divertido, com um tipo de desafio que funcionava muito bem para um arcade. A continuação, Super Punch Out, era apenas uma expansão do primeiro, mas era muito boa também. Experimentem em um MAME da vida, vale a pena.

A série fez sucesso mesmo foi no Nes, com o lançamento de Mike Tyson´s Punch Out! em 1987. O na época campeão mundial dos pesos pesados Mike Tyson, era o último desafio do jogo, isso depois dos jogadores superarem os boxeadores malucos como King Hippo, Soda Popinsky, Great Tiger e Super Macho Man. Era um game bastante divertido, um tanto difícil, com vários elementos extra-jogo bacanas, como os conselhos do técnico Doc Louis entre os rounds (algumas falas dos adversários também eram engraçadas), o Mario de juiz, além da famosa animação do Doc correndo de bicicleta seguido pelo Little Mac com seu macacão rosa, com a estátua da liberdade ao fundo, imitando o clima do treinamento do filme do Rocky. Depois que o contrato de uso da imagem do Mike Tyson expirou, uma nova versão de Punch Out foi lançada, colocando um genérico “Mr.Dream” no lugar do Tyson como último adversário. Fora isso, era o mesmo jogo.

 Somente sete anos depois foi lançada uma sequência, Super Punch Out!, que saiu em 1994 para o Super Nes. Alguns lutadores como Super Macho Man, Mr. Sandman e Bald Bull voltaram, junto de vários outros novos, como os “chefes” finais Nick e Rick Bruiser. A mecânica era a mesma do Nes, apenas com a adição de super socos e agora ser apenas um round por luta (no Nes eram até três), o que tornava um desafio um pouco mais alto, já que o jogador é obrigado a nocautear para prosseguir para as lutas seguintes. Isso também motivou muitos jogadores e tentarem derrotar os oponentes no menor tempo possível, o que aumentava a vida útil do jogo.

O grande segredo dos jogos da série é ser simples sem contudo ser simplório. Basicamente, o gameplay se resume em reflexos e decoreba, mas como cada lutador tem um padrão e ritmo próprio, cada luta é um evento único, diferente da gigantesca maioria dos outros jogos de boxe, cuja única diferença entre os lutadores adversários era ou a velocidade ou a quantidade de dano que cada um causava, mas a estratégia era sempre a mesma. Outro diferencial era o carisma e o clima, que eram únicos nos games Punch Out!, isso claro sem esquecer do protagonista, um baixinho magro que nada tem em comum com um lutador de boxe. Mas que mesmo assim topa os desafios e encara os tipos mais esquisitos dos ringues.

Da Geladeira ao retorno

De 94 para cá foram anos de geladeira para a série, como bem sabemos. O máximo que teve foram apenas algumas migalhas tais como Little Mac como um personagem destravável na versão GameCube de Fight Night Round 2, como um assist trophy em Super Smash Bros Brawl e como npc no game Captain Rainbow, lançado para o Wii exclusivamente no Japão. Mas finalmente foi anunciada a continuação da série para o Wii, produzido pela Next Level Games (Super Mario Strikers e Super Mario Strikers Charged), de uma forma que é quase um remake da clássica versão NES.

Fica aí minha expectativa para mais um clássico, principalmente quando vejo o capricho da produção, com o visual, animação, efeitos e trilha sonora, pelo que vi até o momento. Para vocês verem o tamanho da evolução, vejam videos das versões antigas:

Arcade:

NES:

SNES:

Joguei todos esses aí, até mesmo os de arcade, via emulador mas tá valendo. Se nunca jogaram Punch Out!, não percam tempo e façam esse favor a vocês mesmos. Clássico é sempre clássico, não há tempo que mude isso.

Abraços e até a próxima postagem.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.
 

11 thoughts on “Punch Out!: o retorno de um clássico

  1. Esse é clássico mesmo, nunca consegui terminar para falar a verdade, sempre para no ultimo nível, um amigo meu disse que tem um outro nível ainda, o especial… que conta com outros lutadores ainda… Espero que façam uma grande versao e que tenha um multplayer, e bacana…

  2. Super Punch Out é um jogo e tanto, consegui comprar o cartucho de SNES esses dias, mas assim que puder vou na casa do meu Irmão, sei que ele vai comprar esse game pro Wii

  3. OLA! Punch Out e seu tambem rocky balboa muito bom gostaria novo joga game foi playstation 3 super nintendo meu tenho 13 anos 2000 ano foi historia por que lutador muito bom tarde mais forte video games outra futebol fifa 2002 aqui nintendo star wars lugar bontinho xbox muito mais segundos meu tudos verdade nunca mesmo liver lutador semper especial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.