Por que os bonus stages sumiram?

Saudações aos abismados.

Falarei no post de hoje sobre um aspecto do game design que foi abandonado ao longo dos anos, o qual eu (e certamente muita gente gostava), os bonus stages. Sigam-me os bons.

Em eras já distantes nas areias do tempo, hvaia um elemento de game design muito popular tanto entre os jogos quanto entre os jogadores: eram os bonus stages. De tipos e durações variadas, faziam a alegria da criançada, ajudavam a tornar os jogos um pouco menos repetitivos, torando a experiêncai um pouco mais leve. Também serviam para se ganhar muitos pontos, contribuindo para os mais aficcionados colocar as iniciais entre os primeiros colocados (e acreditem, eu já vi gente nos fliperamas que verificava isso). O nome é auto-explicativo, afinal eram bonus mesmo; extras e adendos ao gameplay principal que criavam variações que mantinham o interesse do jogador em continuar jogando.

Bonus stages se caracterizam por serem estágios bastante curtos (na maioria das vezes,pelo menos) que têm um objetivo específico em si (ganhar pontos ou um item), que quebra o ritmo do jogo e constantemente têm um gameplay diverso do modo principal de jogo. Um gênero que já foi bastante tradicional nesse quesito foram os jogos de luta. Um exemplo bastante famoso, até icônico:


Quem não se lembra?

Creio que quase todos os jogos de luta tinham bonus stages, como a queda de braço de Fatal Fury e os bonecos de palha de Samurai Shodown. Sem contar Art of Fighting e seus três bonus stages diferentes. Mesmo o infame Mortal Kombat tinha o divertido Test your might:


Não errava uma, perdão

Com o tempo, os games desse gênero foram perdendo os bonus stages. Como os games das séries Mortal Kombat 2 e Samurai Shodown 2 em diante, Killer Instinct 1 e 2, The King of Fighters, The Last Blade 1 e 2, Street Fighter Alpha 1,2 e 3, X-men: Children of Atom, Marvel Super Heroes, entre outros que minha memória não alcança. Com os games de luta 3d foi o mesmo processo, com Virtua Fighter, Tekken, Soul Blade e Calibur. Só vi os bonus voltarem com Super Street Fighter 4, que homenageia os bonus stages clássicos de Street Fighter 2.

Mas não eram só nos games de luta, mas boa parte dos clássicos tem os bonus stages. Quem não se lembra dos lisérgicas fases de pegar esmeralda de Sonic the Hedgehog:

Sem contar que não há nada mais clássico que os bonus stages da trilogia Donkey Kong Country:

Havia ainda aqueles jogos que premiavam com bonus stages os jogadores que achavam passagens secretas nas fases, como essas de Star Fox 64:

Games de ação, esportivos, tiro e até RPGs tinham seus bonus stages. Entretanto, conforme os games foram se especializando, esse elemento foi caindo cada vez mais em desuso. Confundidos com simples minigames (como se isso fosse um problema), ou como um recurso “casual”, os bonus stages foram ficando de fora dos principais games das plataformas de mesa, restritos a games menores nos consoles portáteis. Peguem os principais games recentes e vejam se há bonus stages neles. De cabeça só me lembro da fase dos zumbis nazistas de Call of Duty: World at War. Hoje há quem prefira mais cutscnes pré-renderizadas do que mais gameplay e variação de jogo, como se ceninhas com narrativa e interpretações ruins fossem mais fáceis de serem levados a sério do que um bonus stage. Existem exceções (Super Smash Bros é um exemplo que me veio à mente) claro, porém é notório que os game designers de hoje parecem que têm vergonha desse recurso nos jogos.

Não; não quero que os games voltem a ser como no passado, com a “magia de antes” ou coisa do tipo. Mas eu, incusive como designer, não concordo que uma ferramenta interessante deixe de ser usada. Nenhum game se tornou clássico pelos seus bonus stages, mas eles eram acessórios que abrilhantavam o todo que foramavam os games, aquele capricho que muitas vezes mantinham o jogo “rodando” na nossa imaginação após uma seção de jogatina. Outra questão também é que os bonus stages enriquecem o conteúdo dos games, já que mantém o jogador em atividade (ou seja, jogando), e é isso que se entende por conteúdo de fato. Sabemos todos que um dos principais problemas dos games atuais é justamente a falta de conteúdo, com games com pífias campanhas de algumas horas e nenhum recurso que faça o jogador voltar a jogar.

Quando os bonus começaram a sumir dos games, uma parte da graça deles se perdeu, mas felizmente ainda existem algumas luzes no fim desse túnel. Os já citados Super Street Fighter 4, World at War, e New Super Mario Bros Wii são alguns raros exemplos disso. Sempre que os bonus aparecem, eles fazem sucesso. Basta mais game designers perceberem isso para que eles voltem a ter mais destaque, como antes. Perder menos tempo com gráficos e mais com gameplay pode ser um bom começo.

Até, amigos.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

49 thoughts on “Por que os bonus stages sumiram?

  1. Cara.. existe um ponto importante ai.
    Quando o bonus stage são dedicados a um item especifico (que NECESSARIAMENTE vc precisa para passar de fase)… seriam eles Bonus mesmo?
    Por que o ponto interessante acredito é que os desenvolvedores estão cada vez com mais medo de sair da linha reta… e criar caminhos paralelos para o mesmo fim…
    Exemplo são os lixos de power-ups dos Marios novos.
    Sem certos itens (fantasma por exemplo) vc não consegue passar de fase.
    Ao contrário do mario classico. Você podia correr até o fim da fase.. mas se você tivesse a peninha TUDO mudava.
    Questão de abordagem.. (ou falta de)

  2. Avcf, gostei muito deste post!! Cara eu amo os bônus do DK (principalmente os do 2) Sonic então nem se fala, eram bem projetados e desafiadores, era muito recompensador coletar todas as chaos emeralds do Sonic 2 e poder virar Super Sonic ^^ Bons tempos aqueles!!

  3. Avcf, quanto aos jogos de luta cê esqueceu de mencionar os bônus de Street Fighter III 2nd Impact: Giant Attack (1997) e Street Fighter III 3rd Strike: Fight For The Future (1999), além do modo Mission Battle de Soul Calibur (1998). Esses estão entre os exemplos mais “recentes” (nem são tão recentes assim, mas são muito mais que os jogos de luta da década de 1990. Em relação à jogos de aventura tem uns que não sei se poderia ser considerado exatamente como bônus; aquele modo de criar bichinhos pelo VMU do Dreamcast em Sonic Adventure (1998), e aqueles Graffiti Soul de Jet Set Radio (2000), e no GameCube ainda tínhamos os bônus de Super Smash Bros Melee (2002).

    Comentário do AvcF: eu mencionei Smash Bros no texto. Soul Calibur eu não joguei (só o 2 no GameCube); mas isso dos games dos Chaos não são bem bonus stages e sim outros modos de jogo (além do mais que precisa do VMU) No Sonic Adventure 2 também tem um modo assim, mas é algo completamente fora da aventura principal. Eu joguei os Street fighter 3, mas nem os mencionei devido ao fracasso que foram esses jogos, praticamente ninguém os jogou (foi a maldição da CPS III)

  4. Tchulanguero, não se esqueça também dos Bonus Stages do Street Fighter III 3rd Strike, que marca o retorno da fase em que deve-se destruir o carro (chupinhação do Bonus Stage do Final Fight, aliás). E o 3rd Strike por sua vez é um tanto mais recente que os já citados Mortal Kombat II (nesse eu não sei porque raios não tem Bonus Stage; a meu ver se fizessem algo bem feitinho ficaria show!) , Killer Instinct 1 e 2 (nunca vi A MENOR GRAÇA nessa série), The King of Fighters, The Last Blade 1 e 2, Street Fighter Alpha 1,2 e 3, X-Men: Children of Atom, Marvel Super Heroes e todos so Samurai Spirits (tirando o primeiro, claro). Também me pergunto como ficariam umas prováveis Bonus Stages nos Marvel VS. Capcom 1 e 2 (principalmente no 2) – tipo… o Ryu ou a Chun Li em alguma situação “à la Marvel” tendo que terminar à tempo para ganhar mais pontos, e vice-versa.

    Porém no caso de Street Fighter II eu nunca entendi por exemplo porque é que a melhor, mais completa e mais aclamada versão desse jogo (na opinião da grande maioria dos fãs da série, claro) que é o Super Street Fighter II X – Grand Master Challenge , de 1994 (ou Super Street Fighter II Turbo nos E.U.A.) não tinha os Bonus Stages, uma vez que as 4 versões anteriores de Street Fighter II (Street Fighter II: The World Warrior de 1991, Street Fighter II’ Champion Edition e Street Fighter II’ Turbo Hyper Fighting – ambas de 1992 e Super Street Fighter II: The New Challengers de 1993); aliás, esse era considerado o melhor SF II de todos os tempos ao menos antes de resolverem fazer uma “massaroca” em cima desse título na forma de Super Street Fighter II X Revival (“semi-remake” feito pro Game Boy Advance), Hyper Street Fighter II – The Anniversary Edition (versão de Super Street Fighter II X em que era possível escolher os personagens de todas as versões anteriores de SFII para lutar uns contra os outros, com versões para PS2, X-Box e Arcade) e Super Street Fighter II Turbo HD Remix. Mas voltando ao jogo, as probabilidades mais plausíveis para a remoção dos Bonus Stages em Super Street Fighter II X são:

    a) O jogo tinha “x” Megas de memória disponíveis, e as Bonus Stages acabariam por extrapolar esse limite, consequentemente comprometendo a qualidade final do jogo

    b) Já alguns dizem que isso foi feito propositalmente para manter a continuidade do jogo, sem digamos uma “quebra de ritmo” que poderia ter sido ocasionada pela inclusão das Bonus Stages.

    E então, em qual das versões vocês acreditam? 😉

  5. Eu acho que eles não sumiram de vez, mas mudaram de nome. Bayonetta e Devil May Cry por exemplo, são chamados de missões secretas. Em Assassin´s Creed e GTA são chamadas de missões paralelas. Claro, cada um do seu jeito pra não deixar a historia parar de fluir, ou dar uma pausa na principal e relaxar (ou não) brincando um pouco.

  6. É mesmo avcf, mencionou sim. Desculpe, é que eu li meio corrido e não vi. Quanto aos modos de jogo de Soul Calibur a meu evr eles podem sim ser considerados como uma espécie de “bônus à parte”, já que com eles você vai ganhando certas coisas (itens) prá usar no jogo principal, alem do que não são todas as conversões de arcade que as possuem. Já quanto aos Street Fighter III (nesse caso em especial mais o Street Fighter III 3rd Strike – Fight For The Future) é estranho ver o quanto esse jogo ficou injustiçado por um bom tempo! Na época que o 3rd Strike saiu (e os outros dois idem) ninguém deu o suporte que devia, porém já há alguns anos o 3rd Strike começou a ganhar um belo de um status de jogo “cult”…

  7. Tu já jogou Resident Evil 5? Tu acha que, por exemploe, The Mercenaries é um ‘bonus stage’?!

    Você lembra também os Street Fighter EX Plus do PS1? Onde tinha um modo de missões e tal…!!? Apesar de ser um ‘modo’ de jogo, eu encarava como um modo ‘bonus’, pra brincar entre algumas lutas…

  8. Era o que eu ia dizer: esses modos extras de jogos talvez possam ser considerados como uma “variante” dos Bonus Stages, vai saber…

    Mas pelo que deu prá entender, a definição mais exata de bonus stage tem mesmo a ver com o fato de eles se encontrarem no decorrer do jogo – senão não levariam a alcunha de “stages”, não é mesmo?

  9. cara, pra mim bonus stage é uma fase obrigatória (ou conseguida através de alguma coisa) que você só consegue 1 vez (por fase) e só serve pra ganhar vida/ponto/item/continue. As do devil may cry não acho tão bonus stage assim…..

    agora, o bonus mais impossível de todos era do shinobi / shadow dancer…… nunca consegui passar de um deles!!!

    o que ganha? oO’

  10. Há um porem… Acho que as fases bonus ainda existem… vejamos.. Megane a Trois do God of War, os”inter” Rounds do Fight Night, os minigames do GTA tb e eu acho aqueles momentos “horda de inimigos fracos” de vários games tb podem ser bonus …

  11. Marios novos? não são lixos e mto menos bonus, são fases secretas nessessárias para o término do jogo, exato!, isso não é bônus betinho, são fases ocultas, que pra mim são mais impolgantes pra me “tirar da rotina e me manter preso ao jogo” como o post diz, do que fazes que me são pontos…

  12. Dentre esse jogos com Bunus Stages o que eu gostava bastante era Donkey Kong Country 1. Cada vez que jogava eu descobria bonus diferentes, mesmo depois de concluído eu procurava nas fases novos bonus.

  13. O complicado era nos jogos onde vc podia morrer no Bonus… hehe… nos fliperamas tinha muito disso… em uma fase para ganhar mais vidas e talz… vc podia tomar um game over pra cabeça,…. huahauhau velhos tempos…

  14. Realmente, os bonus stages fazem falta. As vezes, falta vontade de jogar a linearidade comum do jogo e os bonus o tornam divertido outra vez.
    Pra citar jogos q tem bonus stages: X-Men Origins: Wolverine tem um sala de perigo em q vc luta com o Wolverine usando uniformes e pode desbloqueá-los. Animal!
    E Naruto Ultimate Ninja Storm tem as missões do modo história e outras livres, q se pode jogar na ordem em q quiser e não influenciam a linearidade, como bonus. Divertidas.
    Esse estilo parece q tem sido seguido por alguns games (missões livres) em lugar das clássicas bonus stages – seriam uma adaptação delas, em 2D, para o universo 3D, é o caso, por exemplo de InFamous.

  15. uma pena sem bonus stages não tem graça,eu ganhei no bonus stage jogando ”Sunset Riders” e não perdia nenhum
    outro bônus q eu adorei foi do ”Street Fighter” tava jogando com Ryu quebrando as partes do carro no clickjogos.

  16. acho q os jogos d hj seguem muito uma linha de vida do personagem, como se eles exixtissem de verdade, ai fica dificil colocar bonus stages no meio do jogo, acho q ate ficaria meio sem noção parar o jogo e iniciar um bonus stage. por exemplo: resident evil 4 tem umas fases de bonus, mas q fazem parte da historia, onde aqueles mercadores oferecem tais fases. acho tb q o fato d os jogos semrem em 1ª pessoa faz com q os bonus stages façam parte da vida do personagem, e nao apareçam do nada, ou ao fim de uma fase, como em sonic, ou street fighter!

  17. Esqueceu de muitos aí.
    Apesar de não ser tão recente, ainda tinha os bonus stages do Street Fighter EX Plus Alpha.

    Entre os mais recentes tem Bayonetta por exemplo. Fora os portais secretos que vc tinha que matar varios inimigos. Ainda tinha o Angel Attack no final de casa fase, que era um mini game, no estilo shooting que tinha que atirar nos anjos que passavam pela tela.

    Sonic ADvanced 1, 2 , 3 possuiam bonus em cada fase, fora os 2 Sonics do DS.

    Comentário do AvcF: não joguei Bayonetta, então nada posso falar a respeito desse jogo. Sobre os Sonics que você citou, eu tratei deles de forma indireta no post:

    “Confundidos com simples minigames (como se isso fosse um problema), ou como um recurso “casual”, os bonus stages foram ficando de fora dos principais games das plataformas de mesa, restritos a games menores nos consoles portáteis.”

    É o caso desses jogos. Esses Sonics portáteis são bons games, mas são títulos de menor expressão.

  18. não se esqueçãm do modo MERCENARIES em Resident Evil 3 e onde no mais recente tem o Resident 5 até fizeram gold edition por ter mais coisas extras como o mercenaries room e akelas 2 expançoes que vc joga com chris e jill e jill e o negão q nao sei o nome (não joguei o game pois a historia morreu no RE3)

  19. verdade…. no god of war tem os mini games…. mas mini game não é estágio bonus… acho que estágio bonus mudou para os mini games oO’

    e se falar que mercenaries é um bonus stage… o “chalenge of XXX” do god of war seria um bonus…. semi-impossível, mas um bonus 😀

  20. Gostei da propósta do post, e me fez rapidamente lembrar de Motor Kombat…. ahahahhahaha. Mas principalmente do bonus stage de REZ e seus visuais e músicas deslumbrantes; Crazy Taxy e suas infames e divertidas missões esdrúxulas; e também o Geometry Wars que era um bonus do Project Gotam e fez tanto sucesso que se tornou um jogo separado; também do joguinho de Tetris que aparecia nas telas de loading de Ridge Racer; ou mesmo o Christman’s Nights, nada mais que um “bonus” tão grande de Nights que acabou sendo lançado em cd sepado.

    De qualquer forma, não acredito que os “bonus stages” tenham caído em desuso, apenas mudaram um pouco a terminologia e a aplicação, sendo agora camufaldos em “diferentes modos de jogo” sem alterar tanto a jogabilidade e propósta principal do jogo (os modos “Story” e “Mission” de Guilty Gear XX #Reload são bons exemplos disso). Quando foge demais do contexto real da jogo, são chamados de “mini games”, como alguns que eu também citei…

    Se olhar-mos para os jogos clássicos, são poucos no total que trazem “special stages” da grande massa lançada, o que (NA MINHA OPINIÃO) indica que este recurso está com o mesmo nível de utilização pelos produtores, tanto em bons quando maus jogos.

  21. Cara, acho que foi um pouco infeliz nesse post. Tá certo q não tem mais bônus clássicos, como os dos Sonics 2 e 3, mas como já mencionado, o SFIII tem bônus, além do mais recente Tekken6. Jogos como Tekken, GTAs, Soul Calibur, entre outros podem nao ter o”Bônus”, mas em compensação tem tanta variante do que fazer no jogo, que é até injusto cobrar a falta de um bônus. Aliás, injust tb é falar de “jogos de algumas horas”: cara, hoje vejo pessoas falando que jogo de 7 horas tem curta duração e fico “perplecto”, nas palavras do Gil Brother. Sete horas é coisa pracaramba!

  22. PARA VÉI, vc designer?

    vai se fuder né, vc usa um tema que não foi vc que fez e se acha designer?

    mais respeito por favor

    Comentário do AvcF: realmente foi uma honra receber uma crítica de alguém cujo e-mail se chama “jacob comeu você”.

  23. Olá. Tópico bastante interessante! Meu nick na jogatina online é Bonus Stage, aliás. Não por ser um oponente demasiadamente fraco, mas pela homenagem prestada aos iconicos estágios bônus presentes em jogos da década de 80 e 90. Mas a priori, queria comentar o que o amigo Trouble Man disse sobre a ausência dos bonus stages no Super Street Fighter 2 Turbo.

    O motivo da ausência não se deve pela falta de memória ou coisa do tipo. Os bonus stages foram retirados visto que SSF2T foi elaborado justamente visando o versus player (tanto que a maior crítica da época em relação a SSF2 New Challengers era pela sua ridícula velocidade) e para torná-lo mais dinâmico, os estágios bonus foram retirados e acrescentram a escolha dos níveis de velocidade, especial entre outras correções, como você deve bem saber. Tanto que se você explorar a ROM de SSF2T com cheat mode ativado, você encontrará os cenários de Bonus intactos, inclusive a característica música. Porém, com falhas no cenário e nos hitboxes dos bonus stages.

    Eles existem e estão na memória da placa, porém foram desabilitados.

    Abracos
    Anderson – Bonus Stage

  24. Aff cara, deixe de ser saudosista… é simples: os jogos NÃO PRECISAM de bonus stages quando possuem o recurso ONLINE… o que quase todos possuem hj em dia…

  25. @Anderson: sim, de fato. Aliás, foi o que eu comentei, que a Capcom visou instigar mais o “sangue nos zóio” dos jogadores e removeram os Bonus Stages exatamente para não haver essa quebra de ritmo.

    Aliás, nesse feriado da 4ª feira (21 de Abril de 2010) tava falando com um amigo enquanto íamos a um shopping exatamente sobre esse mesmíssimo assunto, e me veio uma coisa em mente: numa dessas até poderia ter sido boa a inclusão dos Bonus Stages pois se você vai chegando próximo aos últimos combates e aos chefes finais- em especial ao Vega (M.Bison; se bem que na grande maioria das vezes cê sequer enfrenta ele, pois chega o Gouki/Akuma e acaba com ele! 😉 ), isso poderia dar uma espécie de “descontraída” pro cara ir se preparando para tais combates com mais calma. Digo…, não sei, é só uma teoria mesmo…

    Abraços.

  26. @ Reinaldo Assis: Sim, é OK até (ao menos melhor do que aqueles do Art Of Fighting 1, por exemplo). Mas sou mais os dos Sonics do Mega Drive. Abraços.

  27. Ver estes jogos má dá uma saudade, vou ser obrigado a tirar meu super nintendo da caixa pra jogar o donk kong. Existem jogos recentes como bayonetta que contam com bônus stage, embora esse muito limitado, não chegando aos pés dos jogos antigos

  28. O que vcs acham dos mini-games no game Dante´s Inferno que tinham por objetivo “absolver almas”… quanto mais pecados capiturados, mais pontos para comprar golpes…. realmente esse tem cara de bonus hehhehe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.