Patrulha politicamente correta acusa racismo em Scribblenauts

Saudações aos contrastes.

Não sei quanto a vocês, mas no meu modo de ver atualmente vivemos em uma época de muita correção política e um tanto de caça as bruxas por motivos que antes não mereceriam maior atenção. Agora alguns sites americanos como o Kotaku e o Gamasutra estão fazendo a maior polêmica por causa de uma suposta referência racista no game Scribblenauts, lançado recentemente para DS. Acompanhem.

Lançado faz pouco tempo para o portátil Nintendo DS, o game chamou atenção por sua proposta de jogo baseada na criatividade para a resolução de quebra-cabeças. O grande diferencial do jogo é a utilização de palavras para a criação de objetos e situações que movimentam o jogo. Para tal, conta com uma lista de 22.000 palavras, que geram uma enormidade de efeitos, criando uma sensação de liberdade que tem feito a festa dos jogadores mais inventivos. Quando saiu, o jogo foi bem avaliado por todos os sites e revistas, e até onde pude notar, está ficando popular com os jogadores. Tudo muito legal. Até entrar em ação a patrulha politicamente correta e resolver fazer uma caça as bruxas em cima do game portátil.

Algum zé mané com absoluta falta do que fazer e provavelmente com muita malícia em mente (entrem no link e reparem o título preconceituoso), resolveu testar o termo “sambo” para ver o que acontecia no jogo. O resultado é que é aparece uma melancia (não riam). É só isso que acontece? É. Mas foi o suficiente para iniciar uma fúria politicamente correta acusando o jogo de racismo e iniciar uma polêmica internética. A coisa é tão pesada que Ian Bogost, autor do artigo “Persuasive Games: Little Black Sambo” publicado no site Gamasutra, aponta a ignorância dos produtores como a causa de uma controvérsia que ele próprio tentou criar em seu artigo. Para não me acusarem de ser injusto, vejam esta frase que está na segunda página do artigo:

“Não, a parte interessante é que Slaczka (produtor do jogo) não sabia o que “sambo” significava em primeiro lugar. Ou mais precisamente, o que tal ignorância significa.”

Bogost é simplesmente desonesto intelectualmente, pois seu argumento é baseado em uma mentira. Slaczka sabia muito bem qual o signifcado da palavra sambo, o que ele desconhecia era a suposta conotação racista, como ele mesmo disse em sua declaração registrada no artigo publicado pelo site Kotaku:

“Slaczka disse que a palavra foi incluída em Scribblenauts porque é um ingrediente do prato euqatoriano ‘Fanesca’, que é listado no Wikipedia incluindo uma ”fruta de casca dura com folhas’ ou ‘sambo’. Uma busca por imagens no Google do termo ‘figleaf gourd’ produz uma imagem que parece com uma melância. Slaczka disse que é comum o uso da mesma imagem para múltiplas palavras em Scribblenauts e que essa é a razão da fruta se parecer com uma melancia.”


Pode não parecer, mas essa melancia é um grave símbolo racista. Isso na cabeça dos patrulheiros

Apenas para contextualizar, o termo sambo teria surgido no livro The Little Black Sambo, publicado originalmente pela escritora escocesa Helen Bannerman em 1899. Tratava-se de um conto sobre um menino indiano, porém com o tempo ele passou a ser retratado como um negrinho africano, e a partir daí que a controvérsia racial acerca da palavra sambo teria começado. Ou seja, a história em si nada tinha de racista, o que houve mesmo foi uma distorção. Mas isso foi há décadas e décadas atrás e o termo simplesmente caiu em desuso. Eu mesmo desconhecia essa conotação, pois minha referência de sambo era a da arte marcial russa e do personagem da WWE Vladmir Koslov, sempre referido como um wrestler que luta ao estilo sambo.


O livro The Little Black Sambo

Por outro lado até parece que o game foi produzido por tapados que inseriam palavras a esmo no game só porque gostavam do som delas ou pura retardadice mesmo. Ou pior, que a produtora 5th Cell é cheia de racistas malévolos loucos para tacar referências racistas subliminares com termos que caíram em desuso faz décadas e que a gigantesca maioria das pessoas sequer conhece. Mesmo porque, dentro do jogo a melancia é em si apenas uma fruta, nada além disso. Não dá para usá-la em qualquer outra conotação ou contexto. Por falar nisso, a outra chatice dos patrulheiros é sobre a melancia em si, que segundo eles também é uma referência utilizada para estereotipar negros. Pombas, desde quando melancias foram “frutas para negros” ou relacionadas de forma preconceituosa a eles? Banana até faria esse sentido dentro da lógica racista, por sua imagem ser ligada aos macacos, e durante as piores fases do preconceito racial, a ciência era usada para tentar justificar uma relação direta entre os negros e os símios (uma falácia que foi facilmente desmoralizada pela própria ciência e pela genética).

Parece óbvio que é o típico caso da procura pelo chifre na cabeça do cavalo, ou do pêlo em ovo, se preferirem. Se houvesse mesmo uma clara referência racista em Scribblenauts, o mais lógico seria que alguma eventual reclamação partisse de um jogador ou de um pai de jogador, não de um blog obscuro tocado por um desocupado ou de paranóicos da imprensa especializada. Antes que alguém diga qualquer sobre “fanboyzismo” de minha parte, eu sequer joguei Scribblenauts, nem mesmo tenho qualquer game da 5th Cell. Mas sei ver as coisas como elas são e é fácil reconhecer quando há uma tempestade em copo d’água. Ao final do seu artigo, Bogost diz que devemos “resistir” e “repudiar” Scribbenauts. O que acho que devo repudiar de fato é seu jornalismo sensacionalista e que apela para um racismo que só existe em sua cabeça e na de mais alguns patrulheiros. A graça de Scribbenauts está nas inúmeras possibilidades que as palavras podem gerar à experiência de jogo, mas mesmo assim elas significam exatamente o que elas são no mundo real. Mas seja onde for, uma melancia é apenas uma melancia.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

13 thoughts on “Patrulha politicamente correta acusa racismo em Scribblenauts

  1. pra mim tbm quando penso em sambo lembro da arte marcial russa (usada por blue mary de fatal fury/kof e mais popularmente por zamgief do street fighter [quem é Vladmir Koslov? hauhwuahuwhuahw]) tambem nunca ouvi nenhuma referencia entre negros e… MELANCIAS!? WTF! é cada uma…

  2. Bicho, essa obsessão por igualdade e politicagem me preocupa DEMAIS. Essa coisa de cada termo significar uma coisa nova e ter um significado pesado é INSANO!
    Além do que, esse “movimento” sempre acaba atancando alguma obra ou influênciando alguma mídia – Cinema, Teatro, Literatura, Games e etc.
    Fica a dica, veja o episódio do South Park onde os filmes do Star Wars são renomeados. FANTÀSTICO!

  3. @Betinho,

    Não soube que nos últimos episódios de Star Wars (não mais “Guerra nas Estrelas”…) o “lado negro da força” foi renomeado para “lado escuro da força”? Novilíngua é isso aí.

  4. Isso de politicamente correto, realamente se torna cada vez mais opressor, pois o indivíduo tem que se preocupar mais com o termo que vai usar do que com o contexto do que está falando, me lembro do caso que fizeram com Jar Jar Binx dizendo que ele era um esteriótipo de um negro, bom eu não vi um negro..ops afro-descendente nele, mas as entidades que em teoria deviam promover a “igualdade” racial, saíram em protesto contra ele, assim como não podemos esquecer do caso recente do filme ensaio sobre a cegueira de josé saramago, onde a associação dos cegos americanos fez vários protestos contra o filme, sem nem conhecer corretamente a estoria e se continuar a dar exemplos esses post não terá fim, mas terminado temos de nos manter vigilates para não viramos escravos intelectuais dos vigilantes da “ética” e da “igualdade”.

  5. Thales, tirou o termo da minha mente, isso é cada dia mais parecido com novilíngua. Isso é totalmente ridículo, ainda bem que restam pessoas inteligentes no mundo, porque geralmente em alguns meios iam ocultar a verdade e criar um auê desnecessário dando respaldo a esses “politicamente corretos”(odeio isso!). Me lembro do caso de Resident Evil 5 se passar na África, aí uns toscos desses foram encher o saco da Capcom dizendo que o jogo era racista, e bla bla bla.

    Viva a Liberdade de Expressão.

  6. Novílíngua total!
    Mas acho que o “Lado negro” foi trocado por “lado sombrio” e não “lado escuro”.
    Eu.. basicamente.. prefiro Lado “não tão iluminado”. =)

  7. Não pode mais haver vilões negros, porque passaria de uma simples estória para luta de raças, ou seja lá como chamam isso, mas a idéia é essa mesmo, estão matando a razão.

  8. por isso q nao tem tantos negos como eu nos games,se um nego e vilão é racismo…
    mas taloco,criar tanta confusao por causa de uma melencia…e sambo tb e um estilo de luta russo…

  9. Camarada Moderado, não entendi qual o problema com o artigo… mt pelo contrário. Concordo plenamente com o que ele fala. Um crítica inteligente ao PC.

  10. Muito bom esse artigo do Fomos ao Cinema, os imbecis politicamente corretos criam um preconceito ainda maior, mais terrível, é bem aquela coisa do manoel mesmo como exemplo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.