O fracasso de Metroid Other M e as lições do game design

Saudações aos tementes.

Metroid Other M fracassou, e quando até o presidente da Nintendo of America diz isso, não há o que questionar. Entretanto, há o que se questionar quanto as razões desse fracasso. E é esse o sentido do post de hoje. Pretendo com o texto aqui criar um ambiente de discussão quanto as razões do fracasso de Other M. Acompanhem.

Desde quando foi lançado até a presente data, Metroid Other M vendeu cerca de 500.000 cópias nos Estados Unidos, o que não é uma marca desprezível. Todavia, se considerarmos os principais games Nintendo lançados para o Wii, o desempenho de Other M é de fato baixo. Embora Metroid nunca tenha sido a mais vendida e popular das séries da Nintendo, Other M se encontra em posição de inferioridade mesmo em comparação aos games da trilogia Prime. Para não deixar nenhuma sombra de dúvida, o próprio Reggie Fils-Aime falou:

“We believe that it could be, should be a million unit title. “We’re not going to get there, not through the holiday. And we are doing a lot of thinking as to why. Because it’s a great game. The consumer reaction because of the quality has been strong. We’re doing a lot of thinking about why we didn’t get there. I think the marketing was strong, advertising was very good, the social media we did was very positive.”

Quando perguntado pelo site Kotaku quanto as razões do fracasso do jogo, Reggie tentou justificar:

“First off, [I have] nothing but the greatest respect for the development team,” Fils-Aime said. “Mr. Sakamoto [co-creator of Metoid] did a wonderful job. His partnership with us in promoting the game was stellar. Team Ninja [is] absolutely fabulous. I’m not going to sit here and criticize a style of the game, but have I read the same feedback that said, broadly, that the portrayal of Samus felt different than how the player in the past had internalized the character? I’ve heard and read the same feedback. Do I think it’s warranted or not? I’m not quite sure yet… I don’t yet believe that that is the driving factor to the performance of the game.”

É claro que Reggie, até pela posição que ocupa, não tem como ficar em um lugar muito além de cima do muro. Tampouco iria publicamente dar um drop kick no pescoço do Yoshio Sakamoto, diretor de Metroid Other M. Por falar em Sakamoto, curiosamente, os games Metroid que ele dirigiu foram justamente os mais, digamos, discutíveis da série. Metroid Fusion, lançado para GameBoy Advance, foi um game bastante criticado por sua linearidade e as constantes intervenções do tal Adam. Metroid Zero Mission, remake do Metroid original, além de ser mais fácil e linear que o game de NES, teve incluída uma sequência após o final do jogo que não existia no game 8-bits. Eu joguei um pouco de Metroid Fusion (por mais bizarro que pareça – e é mesmo- foi em um PSP) e não gostei do jogo. Era tecnicamente bem feito sim, bons gráficos, muitos quadros de animação, controles funcionavam bem, etc. Mas sei lá, não gostei do clima do jogo, além de que não engoli o desenho horrendo da armadura da Samus.

Voltando a Other M, embora eu ainda não tenha jogado, baseado em tudo o que vi e li, vejo dois tipos de problemas com o jogo. O primeiro é em relação a direção do jogo, enquanto que o segundo é relacionado ao design. Começo pela direção. Lembro que logo que o jogo foi anunciado, fiquei decepcionado com o primeiro trailer:

“I was so young…young and naive…” O CACETE QUE É. Como diabos alguém que matou todo tipo de alienígenas, escapou de um planeta prestes a explodir, liderou uma missão destinada a exterminar Metroids (Metroid II do GameBoy) e destruiu um cérebro gigante pode ser jovem e ingênua? Aliás como uma CAÇADORA DE RECOMPENSAS pode ser ingênua? Entrar no site do jogo pela primeira vez e me deparar com aquele pianinho blasé já me fez sentir que havia algo de errado com o jogo. Assim que as cópias piratas do jogo vazaram na internet, não tardou para as famigeradas e longuíssimas cutscenes vazarem no Youtube. Acabei vencido por minha curiosidade e assisti algumas. Fazia tempo que não assistia alguns videos tão constrangedores e mela-cuecas de tão dramáticos. Abaixo destaco dois (ATENÇÃO: SPOILERS NOS VIDEOS):

O primeiro video tem drama digno de novela mexicana. É um mimimi desgraçado para mais de dez minutos de cena. E tudo porque a Samus viu uma porcaria de um Metroid. Já o segundo video é um troço que começa sem sentido, pois Samus já havia enfrentado Ridley em Metroid, Super Metroid, Metroid Prime e Metroid Prime 3, então por que diabos ele aparece novamente? Pior ainda, qual o sentido da Samus se borrar com uma criatura que ela já havia derrotado outras vezes? E aquele idiota daquele capitão que fica falando para Samus usar o canhão dela, algo que ela obviamente já sabia fazer desde o primeiro jogo (é uma ação central do jogo, porra). Isso entre outras coisas. O saldo final é muito ruim.

Problemas de design

Essa é uma parte um pouco mais complicada para se falar, uma vez que não joguei Other M. Por isso, àqueles que jogaram me corrijam seu eu tiver escrito alguma besteira aqui. A grosso modo, diria que Other M é uma espécie de Metroid Fusion do Wii. Meio que as mesmas decisões que pautaram o jogo de GameBoy Advance foram as que dirigiram o design da versão para console de mesa. Ao invés do jogo acontecer um grande planeta como Tallon IV ou Zebes(ou em vários como Prime 3), tal qual Fusion, Other M acontece em uma estação espacial – e somente lá. Nos games anteriores, o acesso a determinadas áreas era possibilitado ou facilitado pela aquisição de determinados items. Em Other M é por uma ordem do capitão galã de novela mexicana. Não consigo enxergar como isso possa fazer sentido do ponto de vista do design. Primeiramente porque trata-se de uma medida artificial com o intuito de forçar um fluxo de jogo à revelia da vontade do jogador. É algo autoritário também, do tipo “aqui você não entra agora porque eu não quero”. Se existe algo que prejudica o design de um jogo é tirar a liberdade do jogador, obrigando-o a fazer aquilo que o designer quer que seja feito. Pensem em algum clássico dos video games e jogue a lógica de Other M nele. Se imaginem jogando Metel Gear Solid, por exemplo, e ao chegar perto de infiltrar uma base, o tiozão do rádio te envia uma mensagem dizendo que você não está autorizado a prosseguir. Ou quem sabe no meio de uma batalha contra um monstro mitológico em God of War, imaginem Kratos recebendo uma autorização de Atena para usar um poder de gelo qualquer. Seria frustrante, não?

Uma das coisas mais legais em Metroid Prime era a possibilidade de poder vasculhar cada canto do cenário em busca de expansões de mísseis e tanques de energia. Com upgrades como os visores de raio-x ou a spider ball, a possibilidade de exploração se expandia. Já em Other M, se entendi certo, os items escondidos aparecem no mapa do jogo. Afinal, qual pode ser a graça disso? Outro elemento que achei um tanto estranho foi a troca para visão em primeira pessoa. Por outro lado, não faz sentido (além de mostrar uma incrível limitação do design) obrigar a Samus ficar estática quando o jogo muda para foco interno só para soltar mísseis e olhar alguns pontos do cenário. Repito que como não joguei Other M, quem o fez me dê explicações se isso realmente funciona. Pois a primeira vista parece que não ficou o ideal, embora seja jogável. Embora acredite que um layout baseado no wiimote + nunchuck teria funcionado bem melhor.

As várias e longas sequências de animações pré-renderizadas só servem para constantemente quebrar o ritmo de jogo, o que deve tornar tudo ainda mais tedioso. Aqueles videos com anime ruim temperados por uma Samus que se comporta como uma lourinha adolescente da novela Malhação, um capitão galã de churrascaria e um negão que fala como rapper do Bronx, não devem empolgar ninguém.

Consequências

Pelo resultado mencionado no início do texto, Other M não empolgou. Nem quem já tinha jogado Metroids anteriores, nem quem nunca jogou. Pior do que isso é que o game tem recebido reações negativas que podem queimar o filme da série. Após tantos anos de espera entre Super Metroid e Metroid Prime, seria muito duro colocar a série na geladeira outra vez. Entretanto, acho que fazer um Other M 2 seria um desastre que poderia rebaixar Samus Aran ao nível de uma Lara Croft. Complicado.

Não sei como são as coisas dentro da Nintendo, mas imagino que o pessoal lá não deva estar nada feliz com o Sakamoto. Dependendo que como as coisas caminham por lá, acabarei escrevendo um “Estrelas que a Nintendo apagou 3”, o que não gostaria de fazer. Também não gostaria que Metroid terminasse como Star Fox e F-Zero. Mas quanto a isso, só o tempo dirá.

Como vimos durante o post, o fracasso de Metroid Other M pôde ser explicado pelo game design. E as lições tiradas desse fracasso têm que servir como parâmetro para o próximo game, seja em 3d ou 2d. Mudanças profundas têm de ocorrer no próximo game Metroid. E de preferência, que Sakamoto fique fora do próximo projeto, pois como vimos em Prime, uma mudança de direção pode fazer muito bem a um jogo. Quem viver, verá.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

21 thoughts on “O fracasso de Metroid Other M e as lições do game design

  1. E depois da esperança destruída em Golden Eye….
    Virou modinha essa história de ”levar uma série de volta as origens”….
    Tá certo que os resultados podem ser ótimos como em New! Super Mario Bros. Wii e DS. Também podem sair coisas interessantes como Rockman 9 e 10.Também podem resultar em algo muito fraco como Sonic The Hedgehog 4. Mas infelizmente podem sair potriqueiras como Metroid – The Other M. Pelo que se pode observar, tentaram fazer um metroid que misturasse o clássico com algumas inovações, e falharam feio nessa parte. Se Metroid – The Other M fosse mantido nas mesmas mãos que produziram os clássicos, sairia algo bem melhor. Eu tenho medo do que a Nintendo irá fazer com suas franquias…..

  2. Other M infelizmente é um aberração. Fui motivado pelo Hype e adquiri o jogo em pré-venda. Cometi um erro, pois não me informei direito sobre o jogo. Sakamoto está afundando a série a cada investida dele, sem as rédeas de Yokoi.

    Metroid tinha um público feminino, o que elas devem ter achado dessa personagem completamente descaracterizada em Other M? Não é mais a Samus caçadora de recompensa e sim a Samus Emo seguidora de ordem, obviamente, submissa.

  3. Nem sabia que OM tinha sido feito pelo mesmo cara dos de GBA. Zero Mission eu até achei legalzinho, mas Fusion foi muito brochante, colorido demais pra ser Metroid e aquela merda de computador me dizendo aonde eu tinha que ir me dava nos nervos. Pelo que estou ouvindo falar, OM foi na mesma linha mesmo.

    Também me preocupo bastante com a série por ser uma das minhas preferidas (Super Metroid pra mim é de longe o melhor jogo do SNES). De uns tempos pra cá vejo a Nintendo não dar a devida atenção a algumas de suas séries, e nem sempre vai ter uma “Retro Studios” pra surpreender positivamente todo mundo. Aliás, é ae que eu vejo “esperança” para Metroid, se o pessoal lá for inteligente, irá tratar OM apenas como um tropeço já que a Trilogia Prime ainda está fresca na memória do povo.

  4. Mas eu sempre pensei que em termos de enredo esse Other M era uma prequel, da época em que a Samus era cabacinho. Ainda não joguei, mas o povo tá metendo o pau, hein!

    Vai ver que depois que o Itagaki saiu, o Team Ninja não foi mais o mesmo.

  5. será que eu sou a unica pessoa no mundo que gostou de metroid fusion? já o pouco que eu joguei de zero mission “não me instigou” a joga-lo… de repente um dia isso muda… agora sobre other m, esse sim não tive vontade nenhuma de jogar… de repente se aparecer bem “fácil de pegar” eu dê uma testada…

  6. Acho que você está sendo muito crítico! só pq o jogo é uma merda e num presta não significa que você pode falar essas verdades sobre ele. Tudo o que foi escrito foi muito pouco exagerado e quase nada foi incompatível com o real. acho que vocês devem pegar mais leve e enfeitar mais o game, em vez de falar a verdade nua e crua, ainda mais quando se trata de um clássico estragado que nem esse. O jogo é ruim mas péra lá! deveria pelomenos dizer o lado bom disso tudo… que é….. bom.. donkey kong estréia hj.. já é um lado bom. este texto está… desaprovado.

  7. Engraçado que já comprei esse game sabendo que não iria superar os da série Prime, até porque ele tem um apêlo diferente (simplicidade é a palavra de ordem), Avcf quanto ao esquema de controle não tenho do que reclamar pois funciona muito bem (apesar de preferir o esquema do Prime 3) na minha opnião o fracasso do jogo se deu por conta de destruirem a mina de ouro da série: a exploração. Tudo ficou muito linear e automático (para não dizer fácil) a história não é de todo ruim como bem falou nosso caro @Trouble Man
    ela era uma jovem na época e como subalterna da federação galáctica tinha que receber ordens mesmo, ou vocês acham normal desobedecerem ordens de seu superior? Nesse game eles quiseram mostrar o lado humano de Samus, infelizmente foi lançado numa época em que sangue, bala, desgraça e guerra é + rentável, vide Halo,CoD,GoW e por aí vai… Finalizei Okami essa semana e nunca me emocionei tanto com um final de um game como esse, esse tipo de game acaba virando ”cult” como Muramasa outro game sensacional. Enfim Metroid: Other M é um game que possui qualidades, mas seu defeito foi ter sido feito pós Prime, que convenhamos subiu uns 100 níveis a série depois de Super Metroid.

    Comentário do AvcF: mas Other M, pelo o que entendi, se passa depois de Super Metroid, que por sua vez se passa após Metroid e Metroid II. Não vejo como ela poderia ser tão jovem assim, quanto mais ingênua (jamais vi um caçador de recompensas ser ingênuo). Também há uma diferença entre ser “humano” e ser melodramático. As cenas que assisti são verdadeiros novelões, com diálogos e interpretações ruins. Não joguei Okami, mas Muramasa fracassou por ser um game deveras excêntrico (especialmente para ocidentais), o enredo da campanha da Momohime era sem pé nem cabeça.

  8. Então se for assim mesmo AvcF, a Nintendo emporcalhou mesmo! Essa foi pior do que quando ela resolveu fazer aquele Link em cel-shading no The Legend Of Zelda: The Wind Waker em 2003.

  9. Quanta mente fechada, eu mesmo por puro preconceito deixei de jogar por muito tempo o Wind Waker que considero o melhor Zelda depois do Ocarina ”insuperável” of Time, caí na besteira de comprar primeiro o Zelda Twilixo que me rendeu uma meia duzia de horas enganosas pensando eu que iria jogar o melhor Zelda de todos, puro engano, em momento algum senti a essência de um zelda no Twilight, só uma espécie de + do mesmo e o pior de tudo: sem graça mesmo o jogo (e olhe q sou fã da série). Pelo menos no Other M, se não é o que alardearam ao mundo também não é um jogo medíocre, ao menos é aceitável. Finalizei com 100% e considero uma nota 8,0 plausível à ele. O 10 fica para o Prime 1 e o Wind!

  10. Bom ainda não joguei o jogo, mas digo que não é importante para os fãs da Saga Metroid saber os motivos de Samus Aran. Basicamente o que ela tem que fazer é ir lá e chutar bundas e fugir de algum planeta antes que tudo vá pros ares. Os heróis da Nintendo devem sim permanecer mudinhos, tal qual como Mario, Link e Samus eram. Essa abordagem cinematografica não combina.

  11. @George Sadat

    Cara eu já gostei muito mais de TP do que WW, mas no meu caso não por preconceito não, muito pelo contrário eu pirei nos gráficos, mas achei que o jogo tinha uma puta história que se perdeu do meio pra frente, fora que não achei graça em ficar navegando pra cima e pra baixo.

  12. tanta coisa pra discutir e vocês quebram o pau num jogo em que os caras tentam fazer “diferente”.
    Nossa velhos, eles tentaram, nao gostou? beleza, sua opinao. Nao precisa crucificar ninguem.
    Alias, n sei pq eu ainda leio essas bobagens, deve ser o tédio mesmo.

  13. Não sei se isso tem ou não a ver com “mente fechada” ou não. Creio que seja mais questão de opinião mesmo. Quando a pessoa tem sua opinião definida eu não acho que tenha a ver com a mente estar mais fechada ou mais aberte, enfim…

    Ah, e eu nem entrei no teu blog pra falar do Sonic 4, George. Mas em breve eu o farei.

  14. Uma coisa que esta ficando cada vez mais clara nesta geração de games, eles estão ficando cada vez mais lineares, e tão lineares que estão se tornando filmes interativos, que focam grande parte em cenas e não se importam tanto com o gameplay; precisamos de novos profissionais no mercado, e não novas seqüencias tentando reconstruir desastres jaz acontecidos… =\

  15. Apenas uma observação, nunca tinha visto o gameplay, só esses trailers com essas malditas cenas que só servem para encher lingüiça mas fique curioso quando foi citada a mudança de terceira para primeira pessoa então fui pro youtube conferir.
    Pra falar a verdade essa mudança me pareceu um Ctrl+C do velho e desgastado MDK (1 e 2) jogos em que sou relativamente viciado até hoje.No entanto acho que a formula não foi muito bem utilizada nesse Metroid mesmo por que em MDK essa visão era para a Sniper, e pra falar a verdade é realmente uma das coisas mais divertidas do game.Não curti outras coisinha também mas isso é o de menos.

  16. Em MoM é impossível zerar o jogo com mais do que 30% dos itens… significando que 70% dos upgrades são INUTEIS.

    A nintendo tentou com esse game imitar o estilo de jogo do PS3 e XBOX, de fato a jogabilidade e combate é muito parrecida e eu diria até melhor que God Of War…
    o problema do jogo foi seguir outra regra-oculta dos jogos HD: LINEARIDADE MAXIMA, seguir sempre em uma linha reta, interromper o jogo a todo instante com animações, e desafio ZERO

  17. avcf, não é que a Samus fosse tão jovem, é que esses trechos são do passado, antes de ela se tornar uma caçadora de recompensas, essas cutscenes, que me dão uma tristeza de lembrar, é de quando ela fazia parte da Galactic Federation.

    Concordo com o que hoje em um fórum, se o jogo não fosse da série metroid não seria ruim. Afinal assim eles poderiam formar uma personalidade da personagem, e não simlpesmente mudar totalmente o conceito que se tem dela

  18. Cara que falar de metroid other m fala. mais nao fala do metroid fusion nao e nem do metroid zero porque forao exelentes games e venderao bastante. nao vem fala que eles sai ruins nao porque seria doidera da sua cabeça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.