O adiamento, a expectativa e o fracasso: ecos do último Nintendo Direct

Saudações aos leitores.

É, atrasado eu sei. Mas sem perder tempo, vou tecer alguns comentários sobre o último Nintendo Direct, transmitido originalmente semana passada, na terça-feira. Caso queiram rever o Direct, segue o video abaixo:

Deixando de lado jogos menores como Mario & Sonic Olympic Winter Games, Wii U Party e os títulos de 3DS, esse direct teve mesmo três destaques, dois negativos e um até positivo. Pois é, sabem aquela coisa da notícia boa e ruim? Então, começo pela ruim.

O adiamento

Definitivamente alguém precisa trocar a marca da alfafa consumida pelos executivos da Nintendo. Sério, quem foi o gênio que achou boa idéia tirar Donkey Kong, um dos principais flagships da companhia, (não custa lembrar que Returns vendeu 6 milhões no Wii e o port para 3DS vendeu bem também) justo na época não só de maior venda do ano (black friday nos EUA e natal), como ainda por cima justo quando os dois principais concorrentes lançarão XBone e PS4, com todo barulho a que terão direito. Sério, Nintendo? Fora o constrangimento de fazer um anúncio de adiamento no que tem sido sua principal ferramenta de divulgação.

Fato consumado, resta especular as possíveis razões desse adiamento mais que inoportuno. No meu caso, vejo duas possibilidades, uma técnica e outra política, sendo no primeiro caso algum problema no desenvolvimento do jogo (lembrando que a Retro não conta com staff numeroso), e no segundo algum motivo retardado do ponto de vista lógico, mas que diante da atual fase bizarra da Nintendo (acho que estou esticando o significado de “atual”, mas enfim…) pareça razoável. Vejam aí se vocês concordam, mas acho que o adiamento (salvo algum problema como mencionei acima) de DKC Tropical Freeze ocorreu por causa de Mario 3D World, para que esse jogo não corresse o risco de ser eclipsado pelo macacão engravatado. Dado o esforço de marketing feito para impulsionar 3D Land, está claro que 3D World é o que a Nintendo imagina como “flagship title”, e portanto dentro dessa lógica, alguém lá com poder de decisão pode ter achado que não seria bom Mario dividir (ou mesmo perder) o holofote para Donkey Kong.

Será? Seja como for, é uma péssima decisão, cujo resultado provavel será não apenas menos vendas para o Wii U, como também veremos Mario ser massacrado pelos concorrentes no final do ano. Espero de coração estar errado, mas acho que é o que ocorrerá mesmo.

A expectativa

Com um trailer anos-luz melhor que o apresentado na E3 (alguém na Nintendo precisa ser demitido, não é possível), Super Mario 3D World agora é mostrado como um jogo mais caprichado, bem produzido e mais divertido. Não tenho dúvida de que será bom jogo (a Nintendo não erra quando se trata de jogos do Mario), porém creio que 3D World será bem menos do que a Nintendo espera. Quero dizer com isso, que o jogo não será nem de perto tanto o salvador do Wii U quanto o jogo que finalmente levará a massa que prefere os jogos tradicionais em 2D para os jogos 3D. E para quem acha que isso é birra minha ou papo de maluco do Sean Malstrom, sugiro a leitura de um excelente artigo entitulado “Nintendo’s Frustrations with 3D Mario”, que conta justamente a saga da Nintendo para “educar” o público fã dos games clássicos para que “pulem a cerca” e passem a fazer dos jogos 3D o padrão para os futuros jogos, sepultando assim a perspectiva 2D dos clássicos. O saldo disso foi muito esforço e frustração (por parte da Nintendo) e pouco resultado. Para quem acha que estou exagerando ou inventando, segue um trechicho do artigo:

“Miyamoto continued, “One thing that has hurt the Mario games…Taking them into 3D, while it has expanded the worlds, has shrunk the user base. By going into 3D, the games have become more complicated. Before that, the Mario games were the type of thing that anybody could pick up and play very easily. By going into the 3D world, we have limited who that game is accessible to. After Super Mario 64, making a game that those 3D Mario fans can enjoy further requires shrinking the audience even more because you need to go more in depth. What we did with Mario Sunshine to make it more accessible is that we tried to create it so that you could control the camera any way that you wanted it. That was how we started development on the game.””

(…)

“Mario Galaxy would soon become the best selling 3D Mario game worldwide, but Nintendo wasn’t completely ready to celebrate. In 2010, Satoru Iwata stated that based on Japan’s sales for Super Mario Galaxy, Nintendo wasn’t able to effectively convince Japanese 2D Mario fans to buy a 3D Mario game.

“As we see it, one reason why a number of people who love 2D Mario do not want to play 3D Mario appears to be because they are afraid to be lost in the 3D world by not knowing the exact directions, while they feel that they can play with 2D Mario with no such issues. One of the development themes of the original Super Mario Galaxy was to create a 3D world where people may not be easily lost, and the spherical shape was adopted as the game play theme for this reason. However, when we look at the Japanese sales, I do not think that we were able to effectively tackle this challenge with the original.” said Satoru Iwata.”

Portanto, caros leitores, fica claro a mim que 3D World é mais uma tentativa nesse sentido, que tal qual as anteriores, tende a fracassar. Incrível como a Nintendo não entende que ao sabotar os jogos 2D com New Marios cada vez mais reciclados e rápidos em favor dos títulos 3D, está apenas sabotando os próprios jogadores, e por fim, a si mesma. Repito, contudo, que não quero dizer que 3D World será um game ruim, pelo contrário inclusive. Porém, não dá para esperar de um port HD de um jogo portátil nada além do desempenho de um… port HD de um jogo portátil.Muito longe de um clássico, portanto.

Fracasso óbvio

Confesso certa preguiça já, todavia é invitável falar mais uma vez da interminável saga de Eiji Aonuma rumo a destruição da série Zelda. Fracassou mais uma patética tentativa de fazer o ignóbil e limitado ente conhecido por “público” perceber toda a grandeza e beleza supostamente contidas no fraquíssimo The Legend of Zelda: Wind Waker. Sob a desculpa retardada de que os gráficos em HD (quem te viu, quem te vê, hein Nintendo?) fariam todos aqueles que desprezaram a versão original mudar alegremente de idéia, a Nintendo não apenas bancou grande promoção com direito a bundle exclusivo, como também afirmou publicamente que Wind Waker HD seria um “system seller”. Não foi. E não apenas não foi, como o jogo em si estreou em sétimo lugar nas listas vendas japonesas, e as vendas do Wii U mal sairam do lugar. É a Nintendo de volta à era do GameCube. E para não me alongar aqui, sugiro a leitura de outro ótimo artigo, com o preciso título de “Nintendo is Obsessed With Forcing Unpopular Art Styles in Zelda”.

Bem, sobre The Legend of Zelda: A Link Between Worlds, o que dizer senão que está claro que será um A Link to the Past Aonuma’s Edition? O que esperar de um diretor/produtor que acha que a solução para uma estrutura linear de design é a simples adoção de uma locadora de ferramentas? Ou seja, caso o jogador queira sair da ordem pré-estabelecida, basta juntar uma grana cortando grama e batendo em árvores para alugar um martelo ou bumerangue e voilá! E não custa lembrar, claro, que Aonuma declarou em uma entrevista certa vez que cortar grama era o que havia de mais divertido para ele em ALLTP. Sim, sim, tenho certeza que vocês pensaram o mesmo que eu. Acho melhor parar por aqui.

Por fim…

Pelo que foi mostrado no último Nintendo Direct, o Wii U terá vida muito difícil tanto nesse fim de ano (ou alguém acha que Wii Fit U fará milagres?), quanto no início de 2014, que se não fosse pelo adiamento de DKC Tropical Freeze, seria um deserto até o lançamento de Mario Kart. É…repito o que escrevi acima: a Nintendo voltou de cabeça à era GameCube. Apertem os cintos, pois o piloto sumiu. Parabéns a todos os envolvidos.

Abraços e até o próximo post.

AvcF – Loading Time.

13 thoughts on “O adiamento, a expectativa e o fracasso: ecos do último Nintendo Direct

  1. Legal o texto.

    Sobre Mario 2D x 3D, não consigo curtir os 3D. Eles não tem a dinamica do 2D, parece que vc passa mais tempo passeando pelos mundos do que pulando em inimigos, o que é entediante.

    Sobre o “art style” em Zelda, eles deveriam fazer isso mais vezes. Esse art style é o que faz jogos como Journey serem únicos. O sucesso de Twilight não foi apenas por causa do visual, teve o fator Wii aí. A volta pro WW agora faz sentido porque com uma tela HD aquele visual vai ficar ainda mais interessante, e provavelmente houveram outros motivos logisticos/financeiros pra eles optarem por esse remake.

    Mas é verdade que não é um system seller, nem esse Mario. Parece que o Wii U tá realmente se aproximando de um fracasso sem volta. A Nintendo precisa voltar a concorrer em hardware com os outros consoles, porque ela não vai conseguir sair dessa sozinha com suas franquias. A idéia de não concorrer no hardware foi genial na época do Wii. Mas o grande mercado de jogos casuais agora está no celular/tablet e a Nintendo não tem condições de disputar esse publico, não importa qual seja a qualidade dos jogos. Não dá pra disputar com um dispositivo que todas as pessoas do mundo usam o tempo todo, todos os dias (celular).

    Do outro lado, o publico que leva videogames a sério tá no PS/Xbox. O Wii U ficou no meio do caminho entre esses 2 publicos, vai acabar não vai conseguindo nem um nem outro. Acho que a melhor coisa que a Nintendo pode fazer agora é reciclar jogos antigos (custo baixo) pra faturar e investir no proximo console ou o que quer seja que venha depois.

  2. 1) O que mais me entristece no adiamento de DK é que eu quero que a Retro coloque a mão rápido em um próximo Metroid;

    2) Gostei demais do que vi em 3D World, e acho que será um jogão sim. Não tenho problema nenhum com os Marios 3D;

    3) Wind Waker deve ser o Zelda que eu menos gostei por conta do rítimo lento, mas confesso que essa nova versão me deixou curioso. Também não acho que vai vender horrores, mas chamar de fracasso é exagero, creio que ao longo do tempo venderá bem;

    4) Sabia, também achei essa solução de aluguel de itens ruim, para não dizer preguiçosa. Fora que na frente de cada “masmorra” tem uma indicação do item que tem que usar, exploração pra que né? Espero que role um feedback negativo sobre isso e a idéia não vingue no Zelda U, pelo menos não desta forma;

    5) Citação de um monte de coisas em inglês… até quando hein AvcF? Cadê o cara que traduzia artigos inteiros e trazia para quem prefere ler no bom e velho português?

    Abraço!

  3. Acho que o PS4 e Xone nem irão atrapalhar em nada o Wii U.

    Engraçado como são as coisas, eu adoro Wind Waker, mas concordo que não é um jogo que mereça todos esses holofotes. E puxa vida, já foi mal no Cube, é até absurdo acharem que agora seria system seller.

    Eu estou quase desistindo do Wii U. Mario Kart 8 tá ficando horrível. Não tem jogos acessíveis. Mas o pior de tudo é a ênfase enorme que dão ao hardware. Caramba, quero jogos e acessibilidade, não um controle tablet tão revolucionário, mas tão revolucionário, que nem a Nintendo ainda o entendeu.

  4. Eu gosto mais do Mario 3D que os 2D, mas pouca coisa de diferença, amo muito os dois estilos, só que percebo nos 3D aquela vontade de inovar, criar algo diferente, mais grandioso. Mas vejo que muita gente tem dificuldade com os jogos 3D, justamente pelo motivo levantado, falta de direcionamento e objetivos não tão claros. Mario Galaxy é uma obra-prima, cada fase com um jeito diferente de jogar, e por maior que seja, o game não cansa nunca. Já os 2D são excelentes, esse do Wii U é incrível, realmente muito bom, o de 3DS é legal, mas um pouco mais fácil, mais voltado a simplicidade do portátil mesmo, mas é inegável que a série se desgastou rápido, carecem de novas ideias urgentemente, sendo superada pelo mascote de uma empresa concorrente que há muito estava esquecido, Rayman, Legends é impressionante, e a Ubisoft usa melhor o GamePad que a própria Nintendo, não só no game do herói desmembrado, como também em Zombi U e Splinter Cell Blacklist. Talvez seja esse o motivo pelo qual a Nintendo invista mais na série em 3D, por ser mais fácil de modificar e inovar.
    Donkey kong Country Returns TF vai vender muitos Wii U, sem dúvida, e a Nintendo acredita que Mario 3D Land também vá fazer isso, o que sabemos que não vai acontecer. mas eles estão confiantes nisso, portanto acho que o motivo do adiamento é problema na produção sim, até pq a retro tem além do staff reduzido, um prazo muito curto pra desenvolver os games.
    Quanto aos Zeldas, não consigo achar nada ruim na série. Não joguei WW na época pq não tinha acesso ao Cube. Por ser menos popular, na minha cidade era raridade, e custava uma fortuna, o que me deixou sem jogar os games Nintendo dessa geração. Mas sempre morri de vontade de jogar esse título, e foi o motivo pelo qual comprei o Wii U no meio desse ano, e acredito que foi o de muita gente também. Não foi o System Seller que a Nintendo pensou que seria, assim como o Wonderful 101, que apesar da bagunça é um bom game, não foi, e Mario 3D também não será, mas levou várias pessoas a buscar o console.
    Quanto a ALBW, obviamente a Nintendo quer recuperar o estilo de ALTTP, trazendo os fãs antigos de volta, e achei legal essa ideia de alugar os itens, mas apenas isso, legal, nada revolucionário ou épico. E joguei o Zelda que vc tanto fala mal, Twilight Princess, e me apaixonei ainda mais pela série. Me divirto demais, terminei com 50 horas de jogo em uma semana. Poucos games conseguem me prender dessa forma. Tirando a parte do lobo, que achei cansativa. Mas precisavam inovar de alguma forma neh? E já garanti meu Skyward Sword, e assim que tiver tempo novamente, começo a jogar.
    E sinceramente, acho que a Nintendo não irá falir como muitos “analistas” sempre afirmam, mas irá sofrer bastante com seu Wii U. Venderá muito pouco, será como você disse, um novo GameCube. E injustamente pois o console é muito bom, funciona melhor que meu PlayLerdo3 e Xburn 360. A solução seria lançar muitos jogos de peso bons, menos focados no controle diferente e mais preocupados com qualidade, como fez com o 3DS, que se voltou menos no efeito inútil do 3D e colocou mais atenção em grandes games, mas isso já sabemos que a Nintendo não fará, pelo menos não a curto prazo.
    E você não mencionou o Kirby pra 3DS que foi anunciado no final, o que achou dele? Eu gostei do anuncio e parece ser um bom game

  5. Não consigo entender o que a série zelda tem de tão “ruim” ultimamente.
    Joguei apenas 3 jogos da série, todos esse ano na seguinte ordem:

    Skyward Sword, Twilight Princess e Ocarina of Time.

    Me pergunto onde, em que momento, qual situação ou qualquer atributo que queiram comparar, Skyward é pior que ocarina, por exemplo?
    A comparação de um jogo com outro está SEMPRE no fator nostálgico, se parar pra pensar.
    Eu prefiro Super Mario 64 ao Galaxy, mas cá pra nós, Galaxy é uma obra-prima com um capricho sem tamanho se comparado ao Mario 64. Porém, 64 me traz mais lembranças positivas, de uma época boa, e certamente foi um game revolucionário, o que contribui para a formação da opinião.
    Quanto a informação em si do post, não consigo entender também como a Nintendo acha que um jogo que, independentemente do motivo, foi um fracasso no passado seja um system seller agora. Todo mundo sabe que foi pra não deixar o console desamparado, sem um jogo da série Zelda além de usá-lo como aprendizado. Foi um jogo com custo baixo, rápido de fazer, e acham que será um system seller? Talvez até contribua, mas não consigo imaginar vendas exorbitantes em função desse Zelda, por melhor que seja o jogo. Gostaria muito de estar enganado.

    Quanto ao Mario 3D World eu acredito sim que possa ajudar o povo a migrar do 2D para o 3D, por mais bizarro que eu ache essa história. Eu tinha entre 13 e 14 anos quando joguei Mario 64, e não foi nada doloroso aprender a jogar 3D. Talvez seria para minha noiva, que não joga video game nunca, mas para quem joga com frequência… por favor!
    Enfim, o desafio está em convencê-los a comprar e jogar para, enfim, perder esse “medo”.
    Acredito que a mecânica com 4 eixos, possibilitando apenas 8 direções, facilitará muito para o jogador que encontra dificuldade nos Marios 3D.
    Portanto, oremos para que dê tudo certo, afinal, um mundo gamer sem a Nintendo seria mais cinza.

      1. Uma pena mesmo, pois o console tem um potencial enorme pra grandes títulos e grandes jogos. Mas como esta nesse site, impossível a Nintendo se recuperar ano que vem. Teremos realmente o novo GameCube, e tudo por mancada da própria Nintendo. Mas seus títulos, mesmo sendo poucos, compensam muito mais que milhares de jogos que saem todo ano pras outras plataformas!!
        Tomara que esses novos bundles com Mario e Luigi U vendam bastante pra incentivar as terceiras produzirem pra ele. Mas acho que esse Bundle veio muito tarde, podia ter sido lançado ano passado.

        1. Bundle do Wii U com new mario tinha que ter saído já no lançamento. Querem empurrar Nintendo Land goela abaixo achando que é jogo vendedor de consoles, tentando repetir o feito do wii sports que vendeu em função do controle por movimento que foi algo novo, ao contrário de um tablet. E sinceramente, foi muito fora do comum esse fato.
          Infelizmente a Nintendo não soube aproveitar a vantagem no tempo para estabelecer base instalada, e agora é correr atras do prejuízo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.