Mortal Kombat vs DC: A franquia miserável e os heróis azarados

Saudações aos hidrófobos.

Eu sei, eu sei. Tão logo o título do post será lido e virão seres enfurecidos com a mesma ladainha que persigo Mortal Kombat. Mas não tem jeito, se não fazem games que prestem com esse nome, cabe a mim criticá-los. Mas por que diabos eu perdi tempo jogando esse troço? Bom, isso eu conto após o link. Sigam-me os bons.

Estava eu à toa na vida quando meu eternos amiguinhos da faculdade de design me chamaram para tomar umas e falar besteira (não necessariamente nesse ordem). É, eu tenho vida social. Após uma agradável noite abordando as maiores discussões filosóficas e intelectuais da história da civilização judaico-cristã ocidental, marquei com alguns uma jogatina HD para o dia seguinte. Acostumados com a fina e sofiticada jogatina em alta definição, eles resolveram naquele pacato domingo dar uma diversificada no cardápio gamístico, para tal, passando em uma locadora de Blu-Rays. Uma breve votação decidiu que luta seria o gênero para a escolha de dois games, sendo Fight Night Round 4 o primeiro escolhido. Em um momento de dúvida, The King of Fighters XII esteve na pauta de votação, para no instante seguinte ser preterido pelo duvidoso Mortal Kombat vs DC. Eu já sabia que em boa coisa aquilo não podia dar, mas o argumento dos vencedores era o de que aquele jogo poderia ser ao menos trash o suficiente para ser engraçado.

Foi um momento tenso daquela tarde de domingo. Pois naquele exato instante, ao fitar o logo e os detalhes daquela caixinha de bordas azuis, uma amarga lembrança dos meus dias de jogador 16-bits veio à tona em minha mente.

Heróis azarados

Subitamente fui acometido por um flashback que me levou ao ano de 1995, quando o desprezível Justice League Task Force foi lançado para SNES e Genesis.

Aproveitando-se da fama e da imagem dos heróis da DC, esse clone sem vergonha de Street Fighter 2 embalava seu pobre gameplay e medíocre valor de produção com uma genial historieta: para salvar a terra da ameaça de um conquistador alienígena opressor, os maiores heróis da Terra precisavam se porrar em uma série de lutas idiotas e sem sentido. Entenderam? Nem eu.


Imagem meramente ilustrativa quanto a qualidade do jogo

Voltando ao presente

Retorno ao fatídico domingo do início do post. Bem, fomos lá e colocamos a bagaça para rodar no Playstation 3, telinha mostrando que o jogo foi baseado na Unreal Engine 3, coisa e tal. Batman na parte da frente da tela de menu com o Scorpion ao fundo, ok,ok. Como estávamos em quatro pessoas, fomos direto para o versus mode, nem passou pela cabeça de alguém perder tempo com eventuais historinhas idiotas que justificassem a junção de personagens de contextos tão distintos. Mas mesmo assim, bastou algumas lutas para a vaca ir definitivamente para o brejo. Mortal Kombat vs DC é definitivamente o pior jogo de luta que joguei nos últimos anos. É incrível como mesmo após anos e anos de falhas épicas, nenhum gênio da Midway se dignou a revisar de verdade a nada funcional mecânica de jogo de Mortal Kombat. Tá certo que a ridícula corridinha e os combos mentiorosos sumiram, mas os demais elementos mongos típicos dos jogos Mortal Kombat continuaram, como por exemplo o gancho que joga arremessa o adversário para longe. Somem isso a animações duras, poses de lutas constrangedoras, golpes inúteis (qual o sentido de haver chutinho na canela?) e bonecos de borracha que quicam em paredes invisíveis; e assim temos um jogo de luta que constantemente causava risos quando jogávamos. Para tentar criar alguma coisa nova, os gênios da Midway criar um idiótico sistema de “combate” em curta distância que se resumia a espancar repetidamente algum botão que o jogo mandava, além daquele momento imbecil com os personagens se batendo no ar. Firulas que não disfarçavam o gameplay medonho do jogo.

Tecnicamente Mortal Kombat vs DC não passa de um joguete com design e produção medíocres. Se por um lado tinha alguns detalhes bacanas, como os personagens adquirindo cortes e rasgos nos uniformes durante as lutas, por outro cansei de ver gente atravessando partes dos cenários, física ridícula e uns efeitos bem toscos como a corda do arpão do Scorpion ser em FUCKING 2D. Depois de mais ou menos uma meia hora de partidas ruins e momentos de constragimento, resolvemos tentar ver se pelo menos os fatalities valiam algo. Ok, para isso nem precisa do jogo em si, basta ir para o Youtube. É verdade, mas já que estavamos ali com a porcaria diante de nós, fomos lá fazer aquelas combinações imbecis para quem sabe dar em algo divertido. E o duro é que nem isso.

O que tivemos foi uma compilação de animações mongas e preguiçosas, praticamente uma declaração da esculhambação que é esse jogo. Alguns fatalities são tão ruins QUE NEM MESMO SÃO FATAIS, haja vista o oponente continuando a se mexer após. Enfim, um lixo total em forma de jogo. Ainda bem que recuperamos o tempo perdido jogando um pouco Fight Night Round 4 e alguns jogos de Wii depois. Mortal Kombat vs DC é tão ruim que pode ser considerado uma grande paródia, zoando ao mesmo tempo o já suficientemente desmoralizado universo Mortal Kombat, assim como os heróis da DC Comics. Tá certo que alguns são ridículos por si só, como o Shazan e a Mulher Maravilha (e olha que o Aquaman não tá no jogo), mas heróis como Batman, The Flash e Lenterna Verde mereciam aparecer em um game melhor. Ao menos DC Universe fará justiça com esse pessoal.

Agora entendo porque a Midway faliu após ter lançado Mortal Kombat vs DC. Se fosse para continuar lançando games assim, melhor que deixe de existir. Assim não estraga o domingo gamístico de outras pessoas. Já vai tarde.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

25 thoughts on “Mortal Kombat vs DC: A franquia miserável e os heróis azarados

  1. O jogo não é o melhor dos mk, mas é MUITO superior ao 4 e alguns do ps2 (shaolin monks e mk2 ainda são os melhores \o/).

    A jogabilidade é dura, a Mulher maravilha parece um travecão (cabelo é aquele? oO’) mas….
    detalhes do gelo do sub zero ficou bem legal!

    e existe os fatalities e “heroic brutality”, que não mata os oponentes, mas nada sanguinário….

    Não colocaria como um lixo geral, até pq vc já vai jogar esse jogo com tudo de ruim na cabeça, aí acaba pensando no pior. já tive tempos bons e a historinha até que é legal! =D

    O sistema de jogo online é um lixo,

  2. André, não sabe dos detalhes a mais: no mesmo dia, tentamos fechar o jogo para ao menos ver se existe qualquer princípio de história (sim, somos sádicos). O modo intitulado “Story” é longo, chato e extremamente cansativo. No fim, tudo o que conseguimos foi abrir o Darkseid que nem valeu a pena.

    Claro que demos boas risadas, mas a todo momento era uma gargalhada de constrangimento pela péssima qualidade do jogo. No fim, o Vitor fez o melhor comentário do dia:

    “Sinto que desperdicei algumas horas da minha vida… e jamais poderei as recuperar.” (hahahaha)

    Jogamos mais do Fight Night e percebemos logo de cara a diferença entre um jogo escroto e um jogo feito por gente que sabe o que fazer.

    Nom fim, ficamos comentando do tamanho potencial dos personagens da DC comics e como esse potencial é desperdiçado. A não ser em jogos como DC Universe (que ainda não lançou, mas parece promissor) e o fantástico Asilo Arkham, porém esse se trata de somente um personagem.

    A capcom poderia pegar a onda dos crossovers e preparar algo com eles….

  3. saudades do mk2…ate q mkvsdc nao foi um fracasso total…pq vendeu umas 3 milhoes de copia se nao me engano Oo
    mas mesmo assim nao deu pra lucrar os milhares de milhoes q a midway devia!!!!

  4. Concordo com absolutamente tudo que o Edwazah disse – exceto talvez se levarmos em conta que eu não joguei esse Shaolin Monks (mas muita gente diz que é bom), nem o Mortal Kombat vs. DC Universe (mas pelo que vi rodando em vídeo não me pareceu ruim não – ao menos me pareceu bem superior à todas as pataquadas feitas com essa série a partir de 1995).

  5. Puxa…achei muita coincidência meu comentário sobre “Mortal Kombat vs. DC Universe” no tópico “A era dos crossovers está de volta” ser seguido por esse tópico… AvcF & Cia, me perdoem mas ou eu e o pessoal daqui somos muito saudosistas ou completamente desorientados em relação às novas tendências e conceitos para jogos e em último caso, jogos de luta…

    Fui ver o jogo que sua galera considerou melhor que o título da Midway e sinceramente, não me empolgou…o motivo provável é que sou adepto de jogos fantásticos então ver boxe realista (se é que o impacto dos golpes pareça realista para você, a mim não convence) não me agradou.

    Não, sei bem, mas esses minigames que colocaram durante as lutas como é o exemplo das lutas durante as quedas, atravessar paredes e o “close kombat” (acho que é assim que chamaram) não contam como inovação? Só os apectos técnicos contam para um jogo?

    Como já comentado, pecaram na aparência de alguns personagens e claro existem falhas na mecânica de jogo herdadas de versões passadas, é provável que nossa falta de conhecimento em desenvolvimento de jogos nos possibilitou ter um nível maior de diversão do que você e seus amigos com este joguete….

    Mas me incomoda não entender o ponto vista de vocês de uma maneira mais completa por isso pergunto a quem tem repertório técnico para me responder…como seria esse título produzido por vocês?

    Comentário do AvcF: eu vi seu comentário no post anterior. Mas como esse post já havia sido começado, preferi por terminá-lo de vez, não havendo assim necessidade de responder ao comentário. Fiquei com a impressão que você se sentiu meio ofendido, o que não há necessidade, pois como o João complementou, a situação descrita no post aconteceu de fato. Sobre o post em si, não comparei MKvsDC com FNR4, pelo fato de que são games de natureza diferente. Embora dentro de sua característica distinta o game de boxe seja muito melhor do que MK. Atravessar paredes não é novo, pois o próprio Mortal Kombat 3 já fazia isso, enquanto que o tal close combat não passa de um quick time event vagabundo.

    Sobre fazer Mortal Kombat, o grande problema tem sido a insistência burra em manter a velha e defeituosa mecânica dos games antigos, incrível como insistem nesse erro ( e pelo que pude ver, será a mesma coisa com o Mortal Kombat novo). Além disso, os fatalitites se tornaram verdadeiras palhaçadas faz tempo. Se é para matar um personagem, que o faça com violência, não com humor involuntário. É como nos filmes de terror, as piores mortes são aquelas que parecem comédia.

  6. Ai ai… Outra vez malhando minha série favorita. Bom, os Fatalities são toscos e o jogo não tem sangue porque a DC impõs que o jogo recebesse a classificação T. Mas até eu que sou fão realmente não engoli esse crossover.

  7. @Trouble

    procura o jogo pro ps2, realmente é bom!
    é estilo aventura (livre movimentação) e as lutas funcionam bem! parece mais luta ‘de verdade’ do que as em 2D,, pq vc tem livre movimentação pra sair correndo se quiser…. hehehe
    a história é baseada em seguida do MK1. Algumas falhas, é claro, o jogo não é perfeito.

    Só não consegui terminar pq matar o shang tsung, kintaro e shao kahn com 1 vida só é muito hardocre pra mim! oO’

  8. Só pela capa eu já nem me ariscaria a por as mãos num game desse tipo, primeiro que da DC o único person que eu gosto é o Batman (por sinal meu herói favorito de HQ) Já da parte do MK eu até gosto, mas sem sangue não dá!! E ainda + com fatalityes sem graça… Deus me livre! Prefiro gastar meu precioso tempo com SF4 ou Tatsunoko vs Capcom.

    Comentário do AvcF: já jogou o Duck Tales?

  9. Então AvcF, eu falei sobre coincidência sem nenhuma pretensão irônica e é até lógico que depois do anúncio de vários crossovers motivar o post anterior você sequenciasse com um outro já realizado, de sucesso ou não…

    Não me entenda mal, sou professor de artes e não de desenvolvimento de jogos, mas da mesma forma que o estudo de artes me fez mais crítico em relação a artesanato, possa influenciar sua experiência com um jogo de determinado gênero…

    Na verdade o repertório de cada indivíduo serve ao propósito de enriquecer sua experiência com objetos culturais, mas às vezes atrapalha situações mais simplórias…no meu caso, não há nenhum mal estar sobre o que você ou sobre o que o João escreveram mas devo confessar que fiquei intrigado sobre as motivações leveram aos comentários visto que a receptividade do jogo por estas bandas foi razoável…

    Não que eu tenha entendido como uma comparação, mas acabou soando assim…no caso dos minigames que apontei, bom, larguei a franquia Mortal Kombat quando vi a loucura que fizeram no MK3, passei longe dos títulos seguintes apenas coletando informações e imagens, por isso desconhecia o fato dos minigames serem elementos de um gameplay batido…é aí que está, minha falta de conhecimento em desenvolvimento de jogos pode ter sido a causa de minha má interpretação.

    Provavelmente foi a mecânica do jogo e o grupo de personagens, fora algumas inovações possíveis nas gerações mais recentes, que permitiu a mim e mais alguns trintões bons momentos em frente a TV…quando pensava em DC em jogos de luta, só lembrava do “Justice League – Task Force” e vê-los ali razoavelmente representados me encheu os olhos.

    Quando perguntei sobre como seria o título, produzido por vocês, apostei que isso revelaria o que me faltou entender em sua crítica, nada pessoal, me desculpe se lhe deixei uma má impressão…respeito muito não só você como os demais que visitam seus textos.

  10. Só que se a gente levar mesmo em conta todas as atrocidades feitas com a série Mortal Kombat de 1995 pra cá no âmbito dos jogos, pode-se dizer até que nesse Mortal Kombat vs. DC Universe acabaram “acertando a mão”, mesmo que o mesmo não seja de forma alguma um clássico desde sua concepção.

  11. Nossa… sem sangue?! Aí não dá einh… xD

    Nunca curti muito 3Dfight, então falar mal desse jogo (que por sinal é bem podre) seria quase um pleonasmo. =p

  12. @Trouble: Tudo bem, e é por isso que não vemos carros licenciados em jogos de corrida de destruição… Mas para quem compra um “MK”, o mínimo que está esperando ver é sangue! Pra que censurar algo que eu estou “pagando” para ver einh DC?!

  13. @Gelo: Depois desse crossover do Tekken com o Street Fighter, a moda agora é execrar um provável Street Fighter x Mortal Kombat (que nem existe ainda, vejam vocẽs!); simples, pessoal: façam duas versões – a da Capcom que tem Super Moves e “ISMs” para todos os personagens, e a da Midway em que o Ryu pode decapitar o Kano com um Shin Shoryuken e o Ken Masters pode desmembrar o Reptile num Shippu Jinraikyaku, ambos na tela de “FINISH HIM”. 😉

  14. Uma correçao , quem fez Justice League Task Force foi a mítica blizzard . A Acclaim fez o porte apenas para o Snes , não me recordo direito) . Eu joguei as duas versões e ambas são horríveis .

    Sinal que nem sempre a blizzard foi especialista em jogos bons

    Comentário do AvcF: A Acclaim foi responsável pela distribuição dos jogos, a produção de ambas as versões foi mesmo da Blizzard (por sinal, essa é a grande mancha na brilhante carreira dela). Mas a questão é que é divertido perseguir tirar um sarro com a Acclaim.

  15. Seres furiosos?Nao.Nao existe problema em vc criticar jogos ruins.Em materia de MK o problema eh botar o 1 e o 2 no meio,que sim,sao bons jogos e divertiram milhoes de pessoas.Jah o novo eh pra agradar esse pessoal do 1 e 2 e pegar novos jogadores,com o 2d de volta,violencia e seriedade.Nao eh saudosismo,pois o jogo parece ser bacana mesmo,os videos de gameplay agradaram etc,basta sair por ai nos foruns e youtube pra comprovare ver q mt gente q curtiu nem eh fanatico,por isso aquele post do novo,jah condenando o jogo no primeiro trailer,foi deprimente,ai nao vale achar ruim por vir gente criticando.Espere o jogo sair.Com ctz vc nao ira gostar de qualquer forma por causo do estilo,mas isso nao quer dizer q serah ruim.

  16. @Trouble: Acho que combinaria mais um “Darkstalkers Vs. Mortal Kombat”, mas seria difícil adaptar a movimentação dura de MK 2D ao estilo de Vampire Savior.

  17. Realmente, não sei o que se passava nas cabeças que criaram esse jogo…
    Na minha opinião o crossover é uma ótima idéia, que pode resultar em jogos ótimos com sonic & sega, snk vs capcom, super smash bros. e tantos outros. Mas convenhamos, nem tudo combina. Muitos podem me apedrejar por isso, mas eu acho a idéia da série marvel vs capcom incrívelmente ridícula. Daonde o homem de ferro pode ser derrotado por alquém como ryu? Ou megaman pelo capitão américa? Em MKvsDCH vemos coisas piores como superman (leia-se extrterrestre quase indestrutível) sendo derrotado por scorpion ou batman vencendo sub-zero (lembrando que ele consegue arrancar a cabeça de uma pessoa com as mãos). Existem coisas incriveis que poderiam ser feitas no lugar desse lixo gamístico. Já imaginaram um marvel heroes vs dc heroes? Sério, jogar isso, consegue ser pior do que assistir a nascar…. Prefiro street fighter vs tekken mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.