Histórias dos gamers: as turmas

Saudações aos jovens.

No post de hoje não tratarei de jogos de videogame como costumo fazer, mas sim de como eram jogados. Falarei da experiência que tive com uma turma que se reunia para jogar diversos games.
Assim como falei no artigo sobre os games das Tartarugas Ninja (o Game Contraste mais recente), não quero aqui parecer saudosista ou ficar defendendo que antigamente tudo era melhor. Dito isso, vamos em frente. Sigam-me os bons.

Por mais bizarro e primitivo que possa parecer, quando era moleque eu não tinha coisas como MSN e redes sociais, e se é que tinha algum fórum de games eu não tinha a menor noção de que aquilo existia. Para jogar videogame, ou dirigia-se para uma loja de shopping para comprar um game e jogar em casa ou sobrava ir para uma locadora. De um jeito ou de outro, o fato é que tanto faz a época que for há um axioma no mundo dos videogames: jogar em grupo é sempre mais divertido que jogar sozinho, mesmo quando o game não é multiplayer. Não me lembro por quais circunstâncias, provavelmente nessas brincadeiras de rua e afins, eu acabei me juntando a um pessoal que tinha um interesse em comum: videogames. Acabamos nos tornando um grupo de jogo, que se minha memória não me engana tinha um NES, SNES, Genesis e 3DO (pasmem vocês). A parada era toda democrática, ia todo mundo na casa de um e o pessoal se revezava nos jogos disponíveis da ocasião. Ao contrário do que cansamos de ver hoje na internet, não havia qualquer ismo, não existia isso de deixar de jogar ou de desprezar um console e/ou jogo, nem brigas por causa da Nintendo ou da Sega.

Quando a parada era experimentar jogos desconhecidos ou para jogar os lançamentos, todos corríamos para uma locadora próxima. Juntando os trocados de um com o dinheiro do lanche de outro, monopolizávamos um console por uma tarde e jogávamos até os dedos sangrarem. Nunca me esqueço de uma tarde que pegamos um SNES com adaptador para quatro controles e jogamos Bomberman no battle mode até dizer chega. Os games de luta eram bastante populares, não importava o jogo ou o console. Claro que Street Fighter 2 era rei, mas joguei desde os games da SNK, passando por Mortal Kombat e Killer Instinct, até os da WWE. Aliás, falando em luta livre, também perdemos umas boas tardes com uma versão do SNES em que quase sempre as lutas se resumiam em Undertaker contra Bret Hart ou Shawn Michaels. Isso porque numa certa época eu e mais um desse grupo éramos fanáticos pelo programa “Super Catch” que passava aos sábados pela extinta Rede Manchete, e os três citados acima eram os fodões dos ringues (Undertaker e Shawn Michaels ainda chutam bundas no Raw e Smackdown).


Esse troço vicia demais jogando em turma

Uma curiosade do grupo de jogo é que rolava uma espécie de modo cooperativo nos jogos para apenas um jogador. Sabem aquela coisa de quando um não consegue passar de uma fase o outro assume e tenta passar e assim cada um vai ganhando mais habilidade? Era mais ou menos assim que funcionava. Games como Duck Shot, The Mask (é; o nível dos jogos variava bastante), Alone in the Dark, Alladim, Mega Man X, Donkey Kong Country, entre outros que não me lembro. Claro que o multiplayer, digamos tradicional, rolava com jogos como Sunset Riders e TMNT: Turtles in the Time, mas eu achava especialmente curiosos os momentos em que todo mundo se reunia em torno de um game só, com cada um aguardando ansiosamente por sua vez na jogatina. Independente da forma que era, horas e mais horas se passaram dessa forma, para desespero das mães que viam um bando de marmanjos enfurnados em um quarto ou uma sala com os olhinhos brilhando enquanto os games eram exibidos na tevê. Ah sim, nunca deixei de andar de bicicleta e jogar bola na rua, essas coisas. Mas juntar a molecada para detonar os games era bom demais.

No fim das contas, por diversos motivos e uma ou outra briga, o pessoal foi se separando e cada um foi para seu lado. Somente anos depois eu reuni outro grupo com meus amigos da primeira faculdade, sendo que até hoje uma vez ou outra rola umas seções gamísticas da pesada. Os games mudaram, as cabeças mudaram. Mas a mágica do momento ainda é a mesma.

E quanto a vocês, queridos leitores? Já passaram por experiência parecida? A caixa de comentários está aí para vocês contarem seus causos. Até mais.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

16 thoughts on “Histórias dos gamers: as turmas

  1. Falando em história: http://www.gog.com

    Good old games para aqueles que perderam alguns dos maiores clássicos ever. Não sei se esse é o post ideal para colocar isso, mas meu amigo André sabe que eu costumo não me importar em não fazer sentido.

    Outra coisa: Bomberman recebeu uma versão no DSi Shop. Por apenas 500 pontos (algo entre 5 doletas) você terá uma versão completinha, com multiplayer descente com até 8 pessoas usando as duas telas. Esse vale a pena.

  2. Com certeza!!! Tinhamos uma turma bem legal. A maioria se formou nas locadoras, onde juntávamos pra jogar determinado jogo, ou queriamos ver quem zerava algum primeiro e assim adquirir horas gratuitas hehe!!! Aquilo era fantástico, bons tempos onde tudo se resumia a simplicidade. E como vc falou, não existia ismos, nós queriamos jogar o que tinha de novidades, se fosse bom jogavamos até cansar. E penso como será interessante ver a geração atual dizendo como era bom jogar Rock band em turma, ou até mesmo o quanto era demorado pra baixar um game pela net huahua!!!

  3. Cara, acho que um dos melhores aniversários que eu tive foi o desse ano. Atualmente eu to no terceiro ano do meu curso da faculdade e passei o dia jogando Halo 3 e Call of Duty 4 com a minha turma da 8ª série!!!

    Pense aí, 4 marmanjos agindo como se tivesse 10 anos de idade, rindo e gritando a toda hora!

    Reunir amigos antigos + jogatina multiplayer = definitivamente não tem preço =)

  4. meeeuu…. o pessoal da rua ia lá em casa jogar AMIGA 500 hahahahaha tinha tanto joguinho legal 😀

    ou íamos na casa de um amigo jogar alex kidd, ou mortal kombat (hahaha) ou taz mania… ou qq outro que tinha (super futebol \o/) ou jogar mario 3 na casa de outro, ou mesmo yo noid, castlevania 2….

    dps quando mudei de escola, ainda ia na casa de um amigo jogar kof 97 ou street zero 2….. dps da escola comprei meu 2 vg (um ps1, quando já tinha lançado o ps2 há uns 3 anos) e aí foi a febre, comprei adaptador pra 4 players, teve um dia que ficamos 13 horas jogando crash (mario kart do ps1) e bomberman. e digo com a boca cheia que bomberman é MUITO bom de jogar em grupo (mesmo em emulador) e é isso que eu to querendo fazer!

    pessoal sempre vai lá em casa pra jogar guitar hero, street 4, rock band ou mesmo jog clássico (meu 64 tá na casa de um amigo, e sempre que vou lá rola pokemon – joguinhos ou mario kart).

    Baixei o MAME e agora quero baixar trocentas roms pra jogar com os adaptadores do ps pro PC. Preciso de outro adaptador pra jogar com o controle arcade hahahaha

    e fazer isso, jogar jogos antigos de fliper (que nem domingo, que detonamos o the simpsons) só pelo simples prazer de jogar em grupo…

    e por isso quero um WII, pq multiplayer no wii é genial…. mas não deixo meus gráficos do PS3 de modo algum 😉

  5. Eu to me achando um pivete qndo leio os comentários deste blog…todo mundo jogava pc enginen, nes, atari…

    Pô, meu primeiro contato com video game foi aos 6 anos de idade com um SNES!

    Mas, aparentemente, isso me torna mais caçulinha ainda ;P

    Ao menos eu não sou nenhum ‘PS Generation’ 😛

    Abraços a todos os anciões dos consoles!

  6. bom texto, gostei mais ainda por ficar me lembrando das antigas turmas que se juntavam e jogavam até cansar.

    Primeiro, quando era mais novo, na época do NES a galera se reunia na minha casa… muitas pessoas e apenas dois controles, como era possível? Lembro que nem tinha nintendindo, era phanton system mesmo.

    Depois na época do N64 juntávamos a galera, umas seis pessoas e cinco videogame diferentes: N64, saturn, play, 3do, neo geo .Seis marmanjos enfurnadoss num puxadinho da casa de um colega meu e passávamos o fim de semana ali, a base de pizza e coca-cola. Smash Bros, Guardian Heroes, Bomberman( no saturno dava para jogar de oito pessoas com um aparelho, então alugávamos os controles) e o bom e velho Road Rash no 3D0.

    Hoje em dia joga bastante com pessoal da faculdade.

  7. opa…. Big Bang Theory fan? hahahahahaha
    Halo Night! 😀 (apesar de ter jogado 1x num shopping)..

    E kra, eu me encontro pra jogar com o pessoal do colegial! huaeuhaeuhaeuha
    outro dia joguei winning eleven com amigos de infancia… e uns kras com mais de 30 tb! hahahaha

  8. Bons tempos!!! me amarrava jogar com meus amigos. Tive um Intellivision, vários Nes, Master System, Saturn e Dreamcast. Até o Dream, conseguia reunir várias pessoas na minha casa, Quake 3, Unreal Tournament, Worms World Party, Capcom vs SNK 1 e 2 e Marvel vs Capcom 2 eram nossos preferidos!!.
    No Nes, destruíamos Tartarugas Ninja, no Master; Road Rash, Double Dragon, Mortal Kombat eram os reis.
    Já no Saturn jogávamos Need for Speed, World Wide Soccer, FIFA 97(!),Worms, Street Fighter Alpha 2 e Xmem vs Street Fighter e Marvel vs Street Fighter. Fodástico.
    Hoje com meu pc. o máximo que jogo são FiFA 09 com meu irmão na casa dele e jogo muito com meu filho Worms World party e os jogos do MAME.
    Na minha época um videogame era bem mais acessível que hoje, por isso, vários dos meus amigos tinham, ou pelomenos sabiam jogar. Com a extinção dos fliperamas, ficou muito pior!

  9. Pow essa época era muito boa, é como o Duquerei disse, mais gente tinha videogames… Hoje em dia, pelo menos aqui no Brasil, só malucos como eu têm coragem de dar 1.500 reais num console.

    Outra coisa que eu reparei, as pessoas “normais” de hoje em dia não gostam mais de jogar jogos de luta… Isso é uma pena, pq sempre q eu consigo marcar um dia de jogatina aqui em casa o pessoal só quer saber de “uinig elévi” e Guitar Hero.

  10. Eu era meio sozinho na epoca dos 16 bits…
    Mas cheguei a fechar o Turtles in Time com a minha mae no Hard \o/ L.O.L.

    Mas depois, conhecendo o povo rolou muito smash bros ^_^

  11. Me lembro das tardes de golden axe, streets of rage, sonic 2 e beavis and butt-head no mega drive do meu amigo.
    Em casa, jogávamos maximum carnage e top gear 2, e umas partidas de super street fighter 2, contra 3, e alguns outros, no meu snes.
    Na época do n64 a coisa ficou mais complicada, porque os jogos e controles eram caros, e jogos single player eram muito mais comuns que os multi, tirando os jogos de tiro que nunca gostei muito.
    Com o gamecube e wii eu consegui voltar a juntar meus amigos, pra jogar mario kart, golden axe (virtual console) e alguns outros jogos, mas já não é ma mesma coisa, não somos mais garotos de 13 anos babando por golden axe.

  12. AVCF, meu primeiro contato com o SNES no caso, foi aos 6 anos de idade, em 1996/97, se não me falha a memória.
    Mas eu primeiro video game foi um tal de Turbo Game.
    Era um treco muito tronxo que lia tanto cartuchos japoneses como americanos de NES (tanto que tinha duas entradas separadas).
    Mas só fui ficar satisfeito e realmente securar em games qndo eu comprei o SNES!
    E qndo eu comprei o Chronno Trigger da locadora da minha rua então…. *_*

  13. Tenho um irmão apenas 2 anos mais velho que é tão fã de games quanto eu próprio. Fora que ainda tinha mais 2 irmãos da mesma faixa etária que tb jogavam. Nós tinhamos um Mega Drive e eles um NES e SNES. Depois compramos um PSX e eles um N64. Fora o resto do pessoal da turma tb, que era grande mas dissipou totalmente, só eu e meu irmão compramos um console da geração PS2 (o próprio da Sony hehe).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.