Games imaginários da infância

Saudações aos deslumbrados.

Sempre fui e continuo sendo um sujeito muito curioso. E um tanto esquisito também. Normalmente quando se pergunta para alguém sobre seus games favoritos da infância, ou os qu de alguma forma marcaram, os citados são sempre os títulos mais ou menos conhecidos que estão por aí. Mas durante minha época de pirralhice eu pegava tudo aquilo que absorvia dos videogames que jogava e tentava criar os meus próprios. Mostrarei alguns aqui para vocês verem o que os videogames fizeram na cabeça de uma criança, no caso eu. Acompanhem.

Já de início, para mostrar que normalidade não fazia parte da minha cabeça vejam esse singelo exemplo de uma ilustração tipicamente infantil:

Bonitinho, né? Esse aí do desenho é o Jason, “estrela” dos filmes de terror Sexta Feira 13. Podem rir, mas ele foi um dos meus heróis de infância, eu sempre torcia para ele matar aqueles adolescentes bocós. Não era o tipo do desenho que arrancaria suspiros das tias do ensino fundamental.

Por outro lado, toda vez que eu jogava algum game eu sempre ficava imaginando como eu poderia fazer uma versão minha daquilo. Foi nessa, por exemplo, que eu resolvi desenhar minha própria guerra gamística:


Na parte de baixo uma participação especial das Tartarugas Ninjas. Não me perguntem o que elas faziam lá.

Se prestarem atenção, verão que houve uma óbvia influência do game Contra nesse desenho. E por falar nisso, vejam esses “anúncios-fantasia” que fiz em algum dia do passado:


“Super Bario Bros” foi muita cara de pau minha

Sim, vocês perceberam que tem tudo a ver com a Nintendo (agora é que nego vai falar que sou nintendista, mas tudo bem). Eu não me lembro mais porque, mas na época eu resolvi criar uma empresa fictícia, com seus próprios jogos, consoles e acessórios, como se fosse uma espécie de realidade paralela, mas que fazia todo sentido na minha cabeça. Nesse esquema haviam lançamentos de vários gêneros como esse exemplo de baixo:


Pior foi o “Storn” Hockey. É que fui alfabetizado em…deixa pra lá

Também aproveitava para fazer matérias com detonados e informações “técnicas” desses jogos fictícios:

Quem seria Soty, vocês devem se perguntar. Como era praxe naquele começo de anos noventa, toda grande empresa de videogames tinha que ter seu mascote e foi aí que surgiu esse personagem. Soty protagonizou muitos jogos imaginários da GIG Games. Alguns anos depois quando começou a moda dos crossovers da Capcom, também fiz minha versão:


Porradas imaginárias

E fui fazendo isso pouco antes de entrar na faculdade. Eu tenho vários desses desenhos ainda guardados comigo, vez ou outra olho para eles e me divirto não pela nostalgia, mas por ver como era a minha percepção dos games. Com o tempo todos nós mudamos tanto que quando eu revisito as velhas folhas em que esses desenhos da GIG Games e seus jogos fantásticos, até parece que foi outra pessoa quem os concebeu. Isso sem contar nos divertidíssimos erros de grafia e aquele modo ingênuo de representar o universo dos jogos. Sabem aquela coisa de magia? Então, é mais ou menos isso, ou seja, para mim jogar videogame sempre foi muito além do ato de jogar. Mesmo depois de desligar o videogame e colocar o controle sobre a mesa, a minha mente não parava de girar, eu ficava pensando mil coisas. Isso sem contar a roupagem videogamística sobre as brincadeiras infantis, algo que nem sempre fazia sentido para quem não vivenciava esse universo.

E se querem saber, ainda hoje sou um pouco assim, ao menos com os melhores jogos. E vocês, nunca fizeram algo desse tipo com seus jogos favoritos? Se também tiverem desenhos e tal, me mandem no e-mail [email protected] que eu publico.

É isso aí, amiguinhos. Vou ficando por aqui. Abraços e até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

12 thoughts on “Games imaginários da infância

  1. Contra, Zelda 🙂
    E o controle acessório é um predecessor dos controles com extensões laterais, como do playstation.
    Eu também viajava demais com jogos, brincava com meus bonecos fazendo um jogo de videogame.
    Aliás, você já conhecia Final Fantasy naquela época? Eu só conheci a partir do 7 (e o meu primeiro RPG foi Super Mario RPG).

  2. Com certeza, fiz muitos games assim hehe, pena eu não ter mais desenhos como os seus, eu tmbm os fazia. Inventava revistas, filmes sobre os games que eu inventava, lojas imaginárias e tudo mais hehe!!! Eu imaginava heróis tipo Power Rangers e inventava games p eles, imaginava games dos cavaleiros do zodíaco, sailor moon (melhor dos que os que sairam hehe) yu Yu Hakusho, e personagens meus que nem lembro mais. Mas um que lembro até hj é kick master, onde existiam lutadores ao estilo Street Fighter, mas estilosos, como um mago que não mostrava o rosto e só flutuava e tudo mais. Sei que não era original, mas eu tinha uma historia convincente pra cada personagem, tinha muito tempo livre pra imaginar isso. Pena que perdi tudo com o tempo. O nome veio na minha cabeça não sei como, mas ficou esse mesmo hehe. Dai inventei animes pra ele, depois filmes e talz. Tempinho bom esse neh!!! O video Game nos tornou uma geração mais inventiva e criativa que as anteriores, por isso somos chamados de crianções. Pena!!!

  3. Nossa, to vendo que não tem só eu de doido por aqui uahuaauhuh.
    Isso era uma das coisas que eu mais gostava de fazer quando era menor.Até hoje eu me pego “criando” jogos em minha mente.

    Antigamente eu chegava a escrever uma espécie de “diário”, contando toda a história do game que eu estava inventando.E também colocava mais ou menos como ele seria, se era acão, aventura.Quase um game designer mesmo uhauha.
    Ou então, eu pegava jogos conhecidos e imaginava uma continuação.Eu lembro quantas vezes eu formulei um “Donkey Kong Country 4”, desenhava até como seriam alguns cenários.

    Coisas de criança né??

  4. Na minha infância eu escrevia enredos de games,tinha um que era assim:
    Assuma o papel de Jonathan um lider de um exercito nazista que após ser morto por Americanos foi parar no purgatório,e para não passar a eternidade queimando no fogo do inferno ele teria de encarnar um Judeu e vencer uma guerra contra Nazistas mas tudo isso sem ajuda de ninguem ele deve ser indepêndente para que ele saiba o quão dificil era ser vitima de preconceitos além de ser uma maneira de se livrar deles.

  5. e vc desenhava bem!!! Oo’
    krmba!!!
    hahahaha
    eu tinha várias coisas assim…. se bobear meu pai tem guardado em algum lugar! 😀
    eu criava mais era super heróis e histórias em quadrinhos…..
    vários desenhos do megaman, protoman, X, Zero…..

    tinha um desenho que eu fiz que a professora achou bem criativo! eu fiz o yusuke vs toguro todo em scanlines (SEM NEM SABER O QUE ERA ISSO!) hahahaha…..
    não se onde está…. 🙁

  6. Vixi, já fiz isso demais também. Algumas idéias eu fui amadurecendo com o tempo e tem algumas que ainda quero colocar em prática, apenas por diversão sem nenhum intuito profissional ou financeiro.

  7. Nossa véi, quando você disse que ” para mim jogar videogame sempre foi muito além do ato de jogar. Mesmo depois de desligar o videogame e colocar o controle sobre a mesa, a minha mente não parava de girar, eu ficava pensando mil coisas “, eu lembrei quando jogava street fighter do snes e de noite eu ficava imaginando combos, etc. Sobre desenhar.. nunca desenhei meu game, só de cards. Nunca fui bom em desenho, eu escrevia regras para jogos panacas ficarem, ao meu ver, divertidos. E funcionava, algumas vezes não =\. Eu só tenho minhas ‘ músicas ‘ que eu ‘ compunha’.
    Aliás, tem uns desenhos ai que eu falei… DEUS UM JOGO HIS APPEAR!!! Talvez, seja só imaginação mas que tem muita coisa pra se aproveitar, tem. +)!
    Só tenho idéias guardadas da época da facul, acho que nem conta =\.

  8. Muito legal, pior que eu tinha a mesma mania, hahuahuahuahua, vou escanear meus desenhos e mandar para seu email. Mas admito que fiquei surpreso com seu inglês afiado para uma criança, eu costumava inventar palavras! XD

  9. nossa… jogo de cartas….. eu criei um uma vez…… até que ficou legal…. desenhei a capa da caixinha… com uma tinta vermelha (de reposição de caneta hidrocoisa) eu fiz sangue… hehehe ficou legal 😀

  10. Nossa!!! Q fera… se achar mais desenhos poste ae…
    Eu fazia coisas parecidas… mas eu tentava ser menos copião… hehehe.

    Eu gostava de inventar jogos com LEGO… eu previ o futuro… hehe

    @Berjê

    Exatamente! Eu fazia a mesma coisa, misturava o pouco q sabia de ingles com palavras inventadas nos meus desenhos… hahaha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.