Especial Bad Trip 10 idéias idiotas: Anexos do Mega Drive – parte 08

Saudações, amiches.

Continuamos com a roda dos abortos mentais dos games. Continuação da matéria no link.

Durante a guerra da geração 16 bits, a nipônica Sega e seu console Mega Drive estavam apanhando de forma épica da concorrente Nintendo com seu SNES, no Japão. Não que o pai do Sonic fosse ruim, longe disso, mas a superioridade gráfica e seus ótimos jogos, deram ao SNES uma vantagem gigante. Games como Super Mario World, Super Metroid, Final Fantasy, Megaman X, Castelvania e muitos outros, foram fundamentais para o sucesso do Super Nintendo.

Desesperada e com medo, a Sega reuniu todos seus funcionários para encontrar possíveis maneiras de tirar o console da lama. De alguma idéia idiota – que mais parecia piada do que verdade – nasceu o SEGA CD. Com o incrível processador 12.5-MHz 16-bit Motorola 68000, gráficos estonteantes e pela primeira vez da história da empresa, leitor de CD(o PC Engine já tinha um)! Yeah! Agora os jogos são em CD e apresentarão sensacionais vídeos! Sim, você leu certo: vídeos nos jogos! UAU!

Deixada a euforia de lado, o SEGA CD era somente uma boa propaganda de um péssimo produto. Primeiramente porque este se acoplava no Mega Drive, porém necessitava de cabos próprios de alimentação, o que nos obrigava a comprar uma extensão para a jogatina. O leitor de Cd era uma vergonha que nos proporcionava loadings eternos – dava até para ir ao shopping ou levar o cachorro para passear no tempo de espera. Os vídeos também eram lamentáveis, pois somente tinham a resolução de 256 x 224, ou seja, um quarto da tela cheia, e ainda por cima só com 64 cores.

Em uma tentativa patética e desesperada de integrar o já quase extinto Mega Drive na geração 32 bits, a Sega lançou em 1994 o SEGA 32X. O problema começou com o nada amigável preço de 159 dólares e, para piorar ainda mais a situação, o console lançou nos Estados Unidos exatamente no mesmo mês que o Saturn (verdadeiros representante da geração 32bits) lançava no Japão. Quem em sã consciência compraria um anexo caríssimo com poucos jogos sabendo que em breve teria o prazer de jogar a nova geração?

O mais bizarro era juntar o console e seus dois anexos e transformar tudo em um Sega Mega-CD 32X (ao bom estilo Super Sentai), porém, cada anexo usava seus cabos, mudando essa união em algo pouco prazeroso. Jogos também eram um problema, seja somente no 32X ou no super robô japonês Sega Mega-CD 32X. O maior e mais bizarro exemplo de trabalho mal executado era o DOOM do 32x que conseguia, de maneira geral, ser inferior à sua versão para SNES. Enfim, o amigo comprava todos esses anexos e nem assim conseguia ter algo melhor ou tão interessante quanto o concorrente, que permanecia sem modificações.

Como já era de se esperar, as duas idéias idiotas não vingaram e contribuíram o rombo na empresa nipônica. Logo depois a SEGA continuou uma campanha desastrada de planejamento, marketing e desenvolvimento dos seus consoles, mas com certeza esses dois pequeninos dividem a honra de serem o principio do fim.

João Vitor Guedes – Loading Time

Bonus:

Para terem uma idéia mais completa da desgraça que era, vão dois videos do Angry Videogame Nerd:

42 thoughts on “Especial Bad Trip 10 idéias idiotas: Anexos do Mega Drive – parte 08

  1. Falar é fácil, o problema é ter vivido o ocorrido na época e analisado o potencial da idéia, sem os interferentes dessa nova geração.

    O Sega CD não era uma idéia totalmente idiota, visto que fez um sucesso considerável, apesar da sua má administração. Além disso, a própria Nintendo deu segmento a um projeto similar ao Sega CD, que acabou se tornando nas mãos da SONY o lendário Playstation.

    Outra coisa, nem todos os jogos tinham o tal loading insuportável. Não era culpa exatamente do aparelho, mas sim de quem programava os jogos. Vide Mortal Kombat do Sega CD. E reclamar de loading em uma era que o Sega CD foi um dos primeiros consoles populares a se utilizar tal mídia, em uma época bem remota, é de fato ser bastante ignorante em torno da pesquisa de Wikipedia que realizou para fazer essa matéria. O Sega CD ainda foi inovador com os jogos interativos, que fizeram bastante sucesso, além de títulos únicos como Sonic CD, Silpheed e principalmente Lunar.

    Quanto aos FMVs, sim alguns eram horríveis, mas… qual videogame dispunha desse recurso na época? Ahn tá, o Game Boy.

    Falar mal dos FMVs hoje é o mesmo que olhar para Tekken 1 hoje e falar: “que jogo feio, meu deus!”. Lembrando ainda que jogos como Time Gal, por ser desenho animado talvez, tinha uma resolução soberba para os padrões da época.

    Enfim, o Sega CD não era esse tal elefante branco. Mas concordo quanto a opinião sobre o 32X. Pura falha de marketing, programação, estratégia e qualidade. Ao menos, o Sega CD só sofreu quanto a estratégia e a incompetência dos programadores em explorar o potencial do console.

  2. Ótima materia. Tive um SNES e não conheci esses adeptos do Mega (SEGA CD ouvia falar), só depois com emuladores conheci os jogos que foram lançados e coisa e tal. E triste ver que uma empresa como a SEGA ter durado tão pouco, nem sabia que no Mega Drive eles já tinha problemas com a concorrencia.

  3. Parei no instante que disse que o SNES esteve dando uma surra no Mega Drive…
    O Mega Drive era um console ótimo, e naquela época gerou uma bela disputa de concorrencia com a Nintendo. Haha… COm todo respeito mas quem fez essa reportagem é um belo de um nintendista nojento :]

  4. E outra…
    Tá, não foi a idéia mais inteligente do mundo, mas já vi coisa pior, tipo o Virtual Boy da Nintend, o Sega Nomad, que era um portátil, mas não passava de um Mega Drive, e os grandes epic fails, que era, é claro os clones de NES que saem até hoje.

  5. sinceramente, os maiores erros da sega naum saum especificamente nos produtos, mas sim no marketing, ela sempre teve uma grande dificuldade em tornar seus produtos conhecidos por melhor q fossem, pelo visto o dreamcast tomou exatamente o rumo desse mega cd, apesar de ser a frente do seu tempo ambos naum venderam tanto por falta de marketing e mtas vezes por falta de jogos bons (a sega tem dificuldades tremenda de atrair desenvolvedores externos, oque acabava fazendo um video game de jogos da sega) , e por esses mesmos 2 motivos que o play2 eh o mais vendido que jah existiu (e dificilmente vai ser batido msm pelo Wii…bom talvez num futuro distante…)

  6. ai carinha, tentando ser jornalista? escolheu seu lado e retrata ele aqui descaradamente? sai pra la fajuto…
    volta pra faculdade, ou aprende a escrever sem dar seu tom emotivo para a nintendo!
    dormiu com o mario foi?
    achei q fosse uma reportagem escrita por alguem serio, mas vi q nao…
    lamentavel meu caro!

  7. Embora esse texto seja de autoria do meu amigo João, posso responder por ele. Primeiro que não quero ser jornalista, e nem precisa ser para escrever corretamente um texto. Não dá para eu voltar para a faculdade, pois já estou em uma, a segunda por sinal (sou formado em design gráfico e agora estudo e estagio em design de games). Segundo que não há tom emotivo nenhum, o que há é um texto sarcástico como todos da seção Bad Trip. Terceiro, não dormi com o Mario, pois ele continua atrás do armário. E por fim, até que você tem razão em alguma coisa, já que essa série de textos não é própriament séria, e sim uma grande e ácida detonação a idéias idiotas que marcaram os games.

    Se te incomoda tanto falar da Sega, dê uma lida nos textos do Virtual Boy e do Mortal Kombat do Snes, assim você pode aliviar seu seguismo.

  8. eu tive um sega CD e na época todos pagavam um pau, tinha um jogo de avião chamado “tomcat alley” que era foooooooda, todos que viam ficavam de boca aberta, não me arrependi de ter não muito pelo contrario, tinha uma proposta de jogos bem interessante, varios no estilo daquele “dragon’s lair” que eu particulamente achava bem legal, pra mim o que foi horrivel foi o neogeo CD, o sega CD não

  9. sinceramente não concordo com tudo isso não……se a sega não tivesse dado suas cabeçadas a indústria dos games jamais seria o que é hoje…e não só de erros a sega viveu….o Sega CD era sim interessante para a época, vc está descendo a lenha no mesmo pensando nos video games de 32bits para cima que já usavam uma tecnologia infinitamente superior….o 32x eu concordo que nem deveria ter sido lançado, mas foi uma idéia interessante, pena que não existiu um suporte correto para o mesmo…..e quem sendo criança ou adolescente não ia curtir ter um mundo de acessórios e consoles um conectado no outro? Eu nunca achei problema ter mega + sega cd juntos……e o loading era demorado sim….mas nem tanto quanto citado na matéria….alias arrisco dizer que era infinitamente mais rápido que o loading do Neo Geo CD…aquele sim era zoado por causa do loading. Mas tirando isso também era um ótimo console. Nintendo e Sega…para mim essa foi a melhor briga dos games…pena que não voltam mais…os jogos hoje são de cair o queixo….mas uma pena que falta criatividade…coisa que na época dos 16bits sobrava…..abração para todos

  10. Cara, você ERROU feio ao escrever que o DOOM do 32X é pior que o do supernes….
    Quem jogou, sabe que a versão do Super Nes rodava em cãmera lenta e perdia feio em framerate para TODAS as versões lançadas, inclusive a de 32x.
    Desculpe-me, mas para fazer um texto opinativo você deve conhecer MUITO os ítens a qual se refere. Que tal pegar um emulador e testar os dois antes de transmitir falsas afirmações?
    Me diga pelo amor de Deus que você não se formou em jornalismo, pois estou horrorizado com a quantidade de bizarrices que pseudos-jornalistas andam postando por aí.
    passar bem.

  11. Sabe o que é legal?? Eu comprei um 32X…. 🙁
    achei que não ia ter grana para um Saturno tão cedo e resolvi comprar o 32X
    Pior dinheiro já investido na minha vida…. só teve 4 jogos no Brasil (ao menos eu só achei 4, e olha que eu procurei bem viu…) e está aqui, empoeirado na minha estante… :/

    Porém até hoje discordo que o SNES ganhava do Mega Drive… sempre achei o Mega um ótimo Video game e nunca senti vontade de ter um SNES…. achava os jogos do Mega mais divertidos. Mas tenho que admitir que sempre fui “Seguista” (ou “Segueta”, como falo para mim mesmo).

    Até que comprei o Dreamcast e esse sim era um ótimo video game. Mas a sega pediu arrego quando lançou o PS2… :/ Ae nem se a Sega lançasse outro console eu compraria.

  12. Meu amigo, como o senhor pode falar mal de uma idéia tão inovadora que fora o SegaCD, concordo que o mesmo não teve o sucesso esperado, porém isto pode se dar ao fato da pouca tecnologia disponível da época, bem como por ser um projeto inovador cheio de aspectos desconhecidos. Haja vista que os consoles se modernizaram a partir do momento que se basearam de vez neste tipo de tecnologia como o CD, depois DVD e hoje o Blue-Ray.
    Não estou te criticando, apenas quero enfatizar que esta tecnologia do SegaCd foi a primeira, ou uma das, que findou nos consoles de última geração que usamos e nos divertimos nos dias de hoje.
    Particularmente, tive o SegaCd e gostei.
    Quanto as marcas, nunca fui muito fã da Nintendo por achar que ela puxa muito a sardinha para a cultura oriental, dando muita mais ênfase aos jogos de desenhos japoneses e tal.
    Abraços
    Ps: Facu de design de games deve ser muuuito legal de fazer.

  13. Simples. Analisar algo de 14 anos atrás, e compará-los com tecnologias recentes é no mínimo uma idéia idiota.
    Quando o Sega-CD foi lançado, e isso vale também para o 32X, a mídia ficou etusiasmada com as possibilidades e poder de hardware dos aparelhos. Era uma tecnologia nova. A Sega sempre foi uma empresa que pensou em inovar. E acabou conseguindo de certa maneira.
    Graças à Nintendo existe o Playstation. Afinal, o mesmo começou a ser feito como um addon para o SNES. Era uma parceria com a Sony que acabou rompida. Esse tiro no pé custou à Nintendo a liderança no mercado de games. Que só começou a retomar agora com o Nintendo WII, que diga-se de passagem, é uma idéia excelente, da própria SEGA!!! Se dúvida, procure por um jogo que chama Samba de Amigo, e suas Maracas.
    AH! já ia esquecendo…o que matou o N64, que na teoria tinha um hardware superior ao PSX, foi o conservadorismo da Nintendo e a teimosia em manter os ultra-ultrapassados cartuchos.
    Hà-braços!
    É sempre bom fazer uma pesquisa a fundo antes de se fazer uma matéria dessas…

  14. Véio, Só quem arrisca a ir mais longe descobre ate onde pode chegar, ou como diria Mario Quintana: “A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.” Pena que nesse caso, deu um tanto errado. É foda, né?!? se o cara arrisca e dá certo, é um gênio, se dá errado é uma besta! Mas, talvez se nao fosse essa idiotice da SEGA criar o sega CD, hj a gente nao estaria jogando um X-box ou um PS3. Eu ainda confio que vamos jogar algum SEGA de 720bit’s num futuro próximo e dar risada quando o BillGates for pedir uma graninha emprestada pros caras da SEGA depois da crise global.

  15. “O maior e mais bizarro exemplo de trabalho mal executado era o DOOM do 32x que conseguia, de maneira geral, ser inferior à sua versão para SNES.”

    Hehehehe…com certeza ´’responsável’ por esta matéria, não vivenciou muito menos jogou o Doom 32X !

    É ‘engraçado’ como pessoas assim conseguem um emprego, e influenciam outras pessoas ! ‘Engraçado’ para não dizer outra palavra !

    Sega CD ? = Um projeto audacioso que o seu rival o SNES, jamais conseguiria vir a ter, por sua ETERNA FALHA em processamento…nunca vistes um jogo em cartucho que tenha tela de LOADING ?? Pois é…no SNES vc encontra isso ! [rs]

    32X nos EUA ? = Erro de marketing gigantesco !

    SNES ? = um ótimo console com jogos épicos, e que cativaram, assim como o MEGA DRIVE, toda uma geração !

    João Vitor Guedes ? = um péssimo jornalista, que incorpora palavras e altera uma imagem ao seu favor…Vivenciar é preciso !!

  16. Respondendo o pessoal (de forma resumida):

    Beeh,

    O Sega-CD não era inovador, pois o PC Engine já tinha recebido um leitor de CDs antes do console da Sega. Sim, fazer facul de games é muito legal, mas muita coisa para estudar e já estou na produção de um jogo; é osso, viu?

    Pedro,

    Não houve qualquer comparação do Sega-CD com aparelhos tradicionais, e sim uma análise escrachada do que ele foi na época mesmo. A expectativa foi grande, mas foi decepção atrás de decepção com a enxurrada de lixos que ele recebeu.

    Gilius,

    Assim como eu, o João não é jornalista, e muito menos péssimo. Tanto eu como ele vivenciamos essa fase, no meu caso eu joguei algumas coisas do Sega-CD e corroboro o que foi dito no texto. Tanto Doom do Snes quanto do SCD eram muito ruins, mas considero a versão 32X pior, pois o aparelho tinha muito mais possibilidades técnicas do que o Snes.

  17. Vai jogar simcity 2000 no SNES, verás um loading que tu podes ir de Canela a Gramado e ainda esperar a jogar (rsrs)

    Qntas asneira, quer pegar onda nas pedras que a Sega vem sofrendo desde que foi adquirida pela Sammy… nada haver, quanta besteira, e ainda dão cérdito, nem me dou trabalho de ver mais artigos deste (dicionário vai bem aqui) ignorante!

  18. Como alguém pode ter coragem de falar mal de um videogame tão aclamado e idolatrado como é o caso do Mega Drive (Genesis nos USA)? Sonic, Streets of Rage, Kid Chameleon, After Burner, Vectorman, Alex Kidd, Fantasia, Castle of Ilusion, Quackshot, Double Dragon, Street Fighter II Champion Edition, Gargoyles, Golden Axe, Shinobi, Altered Beast, Crude Busters, Stormlord, Phantasy Star, Shinning Force, The Punisher, Juju, entre outros jogos legais marcaram a infância de diversos gamers. Pelo menos, no meu caso, que sempre tive o mega e o snes, gostava bem mais do console da SEGA. Quando chegou o SEGA CD, adorei alguns games, entre eles: Out of this World 2, Final Fight CD, Spiderman, Cadillacs and Dinossaurs, Sega Classics, Batman Returns e outros. Quanto ao 32X, realmente concordo com vc, o console foi lançado como ato de desespero da empresa, sem objetivo definido, além de pouquíssimos jogos, mas Doom do 32X era bem melhor que o de snes, aposto que vc nem jogou para comprovar, vê-se que vc é nintendista de plantão. Deve jogar Wii o dia inteirinho, só joguinhos de criança, estilo party e music. Não sabe reconhecer um bom game!!!

    Me responda, quantos anos vc tem?

  19. “avcf”

    Se o direito de julgar um ‘upgrade’ como ‘idiota’, apenas por considerar as precaridades da época, é válido, aceite a minha opinião de que o “João” é um ‘péssismo jornalista’, pois afinal, quem posta um ‘artigo’ em um Site com a Grade do Uol, deveria se ater à fatos REAIS, e não à fatos EMOCIONAIS INDIVIDUAIS !

    Se a ‘vivência’ e a ‘análise’ que vc citou que ambos vivenciaram fosse correta, não haveriam tantos post’s respostas negativas à esta matéria !

    Em suma…se o problema fosse eu…blz…poderíamos dizer que ‘eu’ estou errado….
    …mas, será que ambos ‘vc e o joão’, leram TODAS as respostas aqui postadas ??

    Meios de Comunicaão do Brasil ? = precários, mas eficientes, apesar de muitos utilizarem a WIKIPEDIA para realizarem suas pesquisas !

  20. Vou aproveitar o intervalo da aula pra responder 😉

    J.Rambo,

    Tenho 24 anos de idade, tenho consoles desde 1990, embora tenha começado a jogar antes disso, até. Portanto são no mínimo 18 anos de jogatina nos consoles. Como alguém tem coragem de falar mal do “amado e aclamado” Genesis? Simples, não sendo um seguista fanático, sabendo elogiar o que é legal e criticar o que é ruim, nada de extraordinário nisso. Joguei boa parte desses jogos que você citou, mais vários outros, conheço extremamente bem o Genesis. Sou tão Nintendista que tem três idéias idiotas dela aqui nesse especial. Você falou em idade, mas esse preconceito idiota sobre o Wii é que é comentário estilo adolescente.

    Gilius,

    Não uso wikipedia para pesquisa, para isso tenho vários livros sobre videogames, posso te indicar alguns se for o caso. Você fala em fatos reais, mas qual mentira foi publicada aqui? Da mesma maneira que há comentários criticos, teve os positivos, não seja seletivo em sua leitura, mesmo porquê parte dos negativos são de seguistas doídos com o texto. Meios de comunicação precários? Não entendi essa.

    Julian,

    Os Sim Citys do Snes são porcarias mesmo, mas o que isso tem a ver com o texto?Assim como não faz sentido isso sobre a Sammy, já que o texto remete ao passado.

  21. “avcf”

    Vc começou a jogar games quando o mega já havia iniciado e bem próximo da criação do snes. Por esse motivo, vc virou nintendista… vc praticamente iniciou sua carreira no snes. No meu caso, tive o prazer de jogar o Odissey, o Atari (inesquecível, jogo até hoje no Ps2), o master, o nes, e praticamente todos que surgiram depois (Jaguar, saturno, Neo Geo CD, outros).

    Pude perceber a magnitude dos games com o passar do tempo, e não me esqueço qdo foi lançado Sonic no mega, realmente marcou uma nova era dos games, sem dúvida nenhuma. Foi o jogo mais vendido do ano. Depois vieram muitos outros igualmente maravilhosos mas sem a mesma mágica. O snes teve bons momentos como “Street Fighter 2” e tb marcou época. É o jogo mais vendido da história da capcom, nem RE superou Ryu, Ken e Cia.

    O que eu estou criticando é a matéria sobre os periféricos do mega. Foram bons enquanto duraram, assim como foi bom tb o finado Dreamcast. O que passou, passou, não volta mais.

    Hj os videogames não tem a mesma emoção de antigamente, estão muito bem feitos, mas com pouca criatividade. Vendem muito, contudo isso não significa que marcarão época.

    E nisso, vc tem que concordar comigo, a SEGA marcou e jamais vai ser esquecida. Se lançar o Dreamcast 2, fará um enorme sucesso, pois os últimos jogos da empresa (Yakuza 2, por exemplo) foram excelentes, até para os sonystas de plantão.

    Fui!!!

  22. Vamo lá, J. Rambo :0

    Eu comecei no NES, não no Snes , além de que meus primos tinham Master System, que eu joguei horrores. Mesmo sendo posterior, joguei bastante Atari do meu vizinho, que achava aquilo o máximo (confesso que já não via graça naqueles quadradões comparados aos games do NES). Portanto, todas essas experiências que você falou eu também vivenciei, porém a minha maneira.

    Continuo discordando, o Sega-CD e o 32X eram umas porcarias, na minha opnião, em suas respectivas épocas. Um exemplo que me lembro, foi quando eu joguei um game chamado Prize Fighter, com aqueles videos granulados e estourados e gameplay pseudo-interativo. Enfim, uma porcaria.Já no caso do 32X, joguei seus games assim que saíram em emulador. Até desinstalei de tanto desgosto.

    Não discordo do fato da Sega ter marcado, o que bato de frente aqui no blog é com esse fanatismo religioso das chamadas viúvas. É isso.

  23. olha. tive os 3 games e realmente o 32X era um acessorio complicado e que realmente deixou muito a desejar.mais quando se fala no sega cd.. o game realmente foi uma inovação e claro falando dos games que fizeram historia como o Silpheed que usava tecnologia poligonal. e os FMVs que tambem no tempo era muito inovador night trap. e os games como road avanger. e muitos .. o sega cd . pra mim foi um console que fez frente a uma epoca que os games usavam os megas contados em cartuchos de miseros 32megas e o cd comportava 650mgs a 700mgs.

  24. “avcf”

    Já que mencionastes que lestes vários LIVROS sobre video-games, me cite um livro apenas ! Revistas como a Ação Games creio que não se apliquem aqui, pois não são livros, e sim, revistas [existe uma diferença entre eles, se assim aprendí], concordas ?

    Você já ‘abriu’ algum console, como o SNES, NES, Master ou o em questão, o Mega Drive ?
    Sabes por quê a resolução dele é limitada ?
    Sabes por quê a velocidade de processamento de um SNES é inferior ao MD, mas isso não tira e de fato, os seus méritos ?
    Sabes por quê o MD, mesmo com um periférico que se, fosse feito com a tecnologia de hoje dia, não resolveria o problema de um console elaborado em meados de 1981 ?

    Qual mentira foi publicada aqui ?
    1- Sabes qual era a VERDADEIRA ‘função’ do PC Engine, e por que ele utilizou a mídia ‘CD’ antes do ‘projeto Sega CD’ ??

    2- Taxas os textos negativos e com sérias críticas à este artigo [90% de todos até o momento] como sendo de ‘Seguistas’ ? Você é infantil ao ponto de taxar pessoas contrárias à sua opinião, apenas para JUSTIFICAR um texto extremamente mal- elaborado, imparcial e errôneo ? [Queres que eu repita o seu erro novamente ?

    4- O Sega CD NUNCA possuiu um precessador, pois o upgrade utilizava o mesmo da plataforma do Mega Drive. [Que eu saiba Mega Drive e Sega-Cd são distintos entre sí, caso não, tente ouvir um cd de música no aparelho SEGA CD, mas sem conectá-lo ao MD, pois ele POSSUI um processador, segundo este artigo]

    Não estou sendo “seletivo” em meu texto, apenas justo com um videogame símbolo de um avanço tecnológico, juntamente com o:

    – Colleco-Vision [processamento de ‘placas’ das telas em ‘T’, algo bizarro para a epoca]

    – Atari 2600 [continha um “kit” em seu processador que evitava as chamadas colisões de sprites na mesma linha]

    – Sega-1000 [primeiro videogame a utilizar cabo AV no Japão, melhorando as interferências alheias]

    – NES [digitalização de vozes e a presença de ‘efeitos especias’ como ZOOM e ROTAÇÃO]

    – Master System [nos deu uma premissa do que seria o significado da palavra ‘3-D’ com seus Óculos e sua pistola “Light Phaser”]

    – Mega Drive [primeiro “video-game”, lei bem, “video-game” a utilizar um processador de 16-bits, e a possuir som estéreo, e a estreiar o tão estranho chamado ‘polígono’ (alguém aí disse Virtua Racing ?? rs), conseguiram o que parecia impossível,a utilização de ‘feitos especiais (aqueles efesitos de distorção, Zoom, Rotação e Animação Roteada, muitos destes efeitos encontrados num só jogo, por exemplo GunSstar Heroes]

    – SNES [utilização de placa de som com 8/8 (oito Oitavas), o que melhorava e MUITO a qualidade sonora nos video games baseados em plataformas que requiriam cartuchos, além de possuir no próprio console, os famosos chips de ZOOM, e ROTAÇÃO, que davam ao console efeitos suberbos [vide pistas de jogos de corrida como Mario Kart e Top Gear dentre outros, e também conseguir processar polígonos, apesar de seu baixo nivel de processamento (Star Fox ?? Stun Race FX??]

    Não…não é bem assim sr. ‘avcf’, parte dos textos ‘negativos’, não são de ‘seguistas doídos’ com o texto…mas sim de pessoas que souberam aproveitar uma época em que os video-games eram jogados…e as pessoas ao redor se divertiam com seus recursos ‘idiotas’ [como que um recurso pode ser idiota ?]

    Grande parte das opiniões, reconhece que a ERA CD, só foi viável à partir do SEGA CD…à não ser é claro que todas as crianças da época em sua região, possuíam um PC-ENGINE !

    Não me lembro de ter visto nenhum PC-ENGINE à venda nos estandes das LOJAS AMERICANAS, ou das falidas MESBLA ou MAPPIN.

    À propósito, sr. ‘jogou’ os games do 32-X, um PERIFÉRICO, em um EMULADORES ???

    Não existe fanatismo religioso aqui sr., apenas a “verdade” de vários leitores…
    …percebo que comentastes alguns textos desta mesma seção, mas com outras consoles
    …farei questão de ler todos os seus, apenas para ver o quão ‘correto’, ‘justo’ e ‘imparcial’ o sr. tenha sido nos outros post’s !

    Saúdos, colega ‘AVCF” !
    Bom jogo !
    XVII-MMVIII

  25. Gilius,

    Que post longo, ô pá!

    Livros? Pois não, Se quer sobre história dos videogames, recomendo fortemente The Ultimate History of Videogames, do jornalista Stiven L. Kent. Quer sobre os consoles e suas especificações? TEncyclopedia of Game Machines, da escritora Winnie Forster. Quer um técnico? Game Level Design, de Ed Byrne. Outro livro de história? Pois não, procure o High Score! de Russel deMaria e Wilson L. Johnny. Todos esses eu já li e os uso de base para os meus textos, tá bom ou quer mais?

    Todas essas especificações eu já conhecia, inclusive se tivesse lido a parte 2 do especial mitos da Sega, veria que citei várias dessas características. As crianças da minha região não tinham um PC-Engine (que no ocidente foi vendido como Turbografix), mas bem mais crianças japonesas tiveram o PC Engine do que tiveram o Sega-CD, fato esse comprovado.

    Você acha que não tem fanatismo, é porque não leu mensagens extremamente ofensivas que tive de deletar. Por falar nisso, porque você não posta com seu nome real ao invés de ficar atrás de um pseudônimo de um personagem da…Sega?

    Saudações pra ti.

  26. Colega ‘avcf’ !

    Desculpe, por julgá-lo precipitadamente como tendo lido revistas ao invés de ‘livros’, vejo que me equivoquei quanto à isso ! Tenho a humildade de assumir o meu erro de ‘taxar alguém’…
    …que bacana que também curtes toda a ‘Estória’ [com ‘e’] dos Video-Games, eu também me interesso e muito, por essas incríveis caixinhas plásticas que passam luzes brilhantes para o meu televisor !
    [minha definição de Video-Game…rs]

    Gilius é um nome sim meu caro colega, e Thunderhead seria a adaptação do significado de meu sobrenome, traduzido para o Inglês-Bretão do original Finlandês.

    Gilius Thunderhead é o nome de um ‘semi-deus’ nórdico, um homem que foi ‘elevado ao status’ de divindade, pelos seus bravos méritos em combate !

    O fato de vc o ver como sendo um personagem de uma empresa de games, apenas engrandece a minha teoria de que vc REALMENTE tenta taxar-me como ‘seguista’, ‘nintendista’, etcterista !!! Apenas para ficar mais fácil contradizer meus textos !

    Julgue-me como sendo uma pessoa que possui livre arbítrio sr., por favor !! E o sr. me vem falar de anonimato, sr. ‘AVCF’ ???

    obs: gostaria de respostas ou ao menos comentários no que diz respeito ao ‘Turbografix no Ocidente’ [espero que ainda estejamos no Brasil…rs] !

    Espero ancioso por suas respostas, amigo !

  27. Não sou anônimo, ou não percebeste o “André V.C Franco/AvcF – Loading Time” toda vez que assino um texto de minha autoria? Sobre o Turbografix, ele vendeu muito mal no ocidente, o que o torna desconhecido ao grande público, porém era fato conhecido e notório dentro das revistas da época a existência de seu drive de CD antes do da Sega.

    Não uso de truques retóricos, apenas observei que você falava em fanatismo, mas usa o nome do personagem do Golden Axe, agora você explicou o porquê disso.

  28. Por quê as pessoas não aceitam contra-argumentos ??

    Isto explica o mundo em que vivemos ! [rs]

    Eu aceito oe meus erros sr., seja humilde e aceite os seus também ! [ou não ganharás um Intelivision-II ! rs…]

  29. Mesmo que o PC-Engine tenha recebido um drive de CD antes, o Sega CD o explorou melhor com jogos interativos, FMV. E a idéia aqui não é comparar quem foi o melhor, mas sim saber a relevância do Sega CD para o mercado.

    A Nintendo não pensou em criar o add-on para o SNES por causa do drive do PC-Engine. Este sequer era considerado seu concorrente. O Sega CD foi fundamental nesse processo.

    O Sega CD foi inovador pela sua proposta de popularizar seu produto que turbina um console verdadeiramente 16-BITS e também popular.

    Afinal, o Wii não tem nada de inovador na idéia, mas no uso e na popularidade desse uso sim.

    Se só o NEC estivesse na era do CD naquela época, era capaz de somente hoje conhecermos o DVD ou LD nos jogos.

    Abracos
    Anderson

  30. @avcf

    Que que eu falei no começo do texto? Rzs…

    @Sobre o assunto

    – Minha irmã toda vez que eu falava com ela que ela roncava a noite, me retrucava falando que eu também roncava, e eu dizia: “O que isso muda no fato que você ronca?”. É assim que muitos responderam a este texto;

    – Anexos (também conhecidos como add-ons) são uma merda de modo geral. Se o PSX tivesse sido lançado para SNES também teria sido uma merda. Video-game é pra ser completo, se for pra ficar comprando peças, prefiro equipar meu PC;

    – Porque a Sony virou o novo Império do Mal? Se dar bem na cagada dos outros é pecado por acaso?

    – Sabiam que Bill Gates já se aposentou e nem fica mais no comando da Microsoft?

    – Se inovação é só pegar uma idéia, empacotar de qualquer forma e lançar no mercado, então SegaCD foi de longe inovador;

    – As maracas do Dreamcast são bacanas, mas além da tecnologia do Wii vir de uma empresa fora do ramo dos jogos, a idéia de sensores de movimentos tinha até no NES (Power Glove);

    – Onde todo mundo fez esse curso sobre hardware de vídeo-game? Me indica que eu também quero fazer;

    PS: Desculpem os “porques”, essa aula de português eu fugi mesmo.

  31. Concordo que o Sega-Cd deixou a desejar. Eu tive um, e devo ter jogado uma meia dúzia de jogos. Que prestase, uns 3.
    Mas naquela época, realmente foi algo marcante. Quanto ao 32X, achei exagero de sua parte. Teve jogos ótimos. O Doom era superior ao do SNES. Não era igual ao do Pc. Eu tinha os dois. Ficava com os dois ligados um ao lado do outro. Tinha vários detalhes no Pc que não tinham no 32X. Um ótimo jogo era o Chaotix. Minha odiséia nos games começou com um Telejogo, aquele que o controle era no proprio console, e não tinha cartucho, só 3 jogos. Pong era o melhor.
    Depois ganhei um Atari, seguido pelo Master System (como era divertido!), Mega-Drive e Super Nintendo, Sega-Cd, 32x, Saturn (não tive playstation!!), N64, Dreamcast e por último o PS2. Depois dele tive mais um Dreamcast, que vendi com muita dó e agora só jogo no PC, que recebe quase todos os jogos atuais, tirando algumas exclusividades. Sou bem vivenciado nesse assunto.
    Um abraço, e não sei se já fez, mas coloca os micos da nintendo tabém, como o Virtual Boy, N64 (que apesar de ter sido limitado pelos cartuchos, produziu clássicos como Goldeneye, Ocharina of Time, Blast Corps, Pilot Wings e Banjo Kazooie).

  32. Colega Avcf, tem um erro nessa sua reportagem.

    O objetivo principal do Sega-Cd não era o de disputar com o Snes, mas sim com o PC-Engine que, mesmo com 8-bits reinou no Japão com suas milhares de atualizações.

    Aliás, foi por causa das sucessivas (e bem recebidas) atualizações do PC-Engine que a Sega viu que poderia fazer o mesmo e de forma muito mais ampla (afinal, o TurboGrafx-16 nem é lembrado pelos seus fãs, que preferem o lado “PC-Engine” da força) com o Genesis. Por isso a paleta de cores do Sega-Cd era a mesma do Genesis (ocorre o mesmo no PC-Engine CD). Claro que a Nec soube explorar MUITO melhor seu add-on do que a Sega, basta comparar o sucesso de crítica e “evolução” entre as versões cartucho e CD entre eles mesmos.

    Outro detalhe dessa briga era o Sega-CDX, que foi inventado devido a receptividade ótima do PC-Engine Duo (ou TurboDuo no ocidente) e a Sega decidiu “copiar” a idéia da Nec com ele, já que as vendas do PC-Duo praticamente substituiram ao do console sozinho+CD (coisa que a Sega esperava que acontecesse com o CDX).

    A Sega lançou essas atualizações de hardware para Genesis por causa das bem sucedidas aventuras da Nec com seus consumidores, que aliás, só deram certo no Japão.

    AbrçWs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.