Especial 10 idéias idiotas 2 – Atari 5200 (parte 4)

Atari 5200

Saudação aos translúcidos.

O que é ruim pode piorar. Nesse capítulo vamos voltar um pouco no tempo para detonar mais uma idéia idiota. Depois de figurar no capítulo derradeiro da primeira versão desse especial, a Atari retorna com mais uma decisão motivada pela desastrosa administração Ray Kassar. O Atari 5200 foi um daqueles aparelhos apressados, muito mal projetados, daqueles que hoje muitos se perguntam porque diabos aquilo foi lançado.

Atari 5200

Após a criação do fenômeno Home Pong e do primeiro grande console da história, o Atari 2600, a companhia fundada por Nolan Bushnell cresceu tanto e ganhou destaque a ponto de ser vendida para a gigante Warner. Essa história eu já contei em tópicos passados, não os aborrecerei com isso. Focarei aqui em todas as idéias idiotas que culminaram com o lançamento desastrado do Atari 5200. Se o 2600 foi o primeiro grande console da história, certamente o 5200 foi a primeira grande, com o perdão da palavra, cagada.

Em 1982 o Atari 2600 já tinha cinco anos de existência, já mostrava os sinais de sua idade, além de ter dois concorrentes diretos brigando pelo mesmo mercado. Embora ainda estivesse em posição de liderança, a concorrência avançava com seus atrativos, especialmente no campo técnico, já que tanto o Intellivision quanto o Colecovision (o pessoal daquela época era criativo, não?) exibiam gráficos superiores e seus jogos tinham mais apelo visual. Já em 1978 Bushnell sugeriu um substituto mais poderoso para seu console, mas com o sucesso crescente do aparelho, a companhia decidiu explorá-lo até o limite, estendendo a vida útil ao máximo. No final de 82 o 5200 foi lançado com doze jogos já disponíveis. Aqui começa a primeira de uma sequência de idéias idiotas. Quase nenhum desses jogos disponíveis no lançamento era original, apenas conversões melhoradas de títulos que já tinham para o 2600. Ou seja, o jogador se deparava na loja com um console sem nenhum jogo verdadeiramente novo. Quando o candango olhava para uma versão 5200 de Defender, Pac Man ou Galaxian, uma inevitável sensação de deja vu ocorria.

Outra idéia idiota foi a configuração do aparelho. Embora fosse graficamente superior ao 2600, conseguia ser inferior ao Colecovision, e pior, mais caro. Brilhante. Mas sem dúvida nenhuma a maior idéia idiota foi o controle, indiscutivelmente um dos piores da história dos videogames. O desenho era horrível, a distribuiçao dos botões não levava em conta que um ser humano normal com cinco dedos em cada mão fosse operar aquele troço. Pior que isso era o direcional analógico, pois era completamente impreciso, não centralizava sozinho e quebrava facilmente. Como as entradas para controles eram diferentes das do 2600, era impossível ao jogador fazer a substituição por um controle decente. Por outro lado, uma das decisões de design mais estúpidas e sem sentido que já vi, foi um modelo alternativo do 5200 chamado Trackball. Como vocês podem ver no video, algum anormal do departamento de pesquisas da Atari achou genial transformar o próprio console em um controle. Agora se imaginem tentando colocar aquele trambolho no colo para jogar, isso ignorando os fios, coisa e tal. Pois é, o Angry Videogame Nerd imaginou, e não deu nada certo:

Perceberam o desastre que é, né? E advinhem quem está por trás de mais essa burrada? Sim, sempre ele, Ray Kassar. Segundo, Steven L. Kent autor do livro The Ultimate History of Videogames, “O time de engenharia da Atari estava particularmente infeliz com o 5200. Nos meses anteriores ao lançamento, os membros do time enviaram uma petição para o departamento de desenvolvimento e pesquisa, e tentar parar o console até que novos controles fossem adicionados. Entretanto, quando eles deram a petição para Ray Kassar, ele decidiu ignorá-la e mandou o console para a manufatura.” Acho que isso já explica bastante coisa. Para variar a Atari foi prejudicada por seu presidente trapalhão, cuja administração já sabemos muito bem como terminou.

Outra idéia idiota que prejudicou o 5200 foi a ausência de compatibilidade com o 2600, remendada posteriormente com o lançamento de um adptador sem vergonha. Mas no fim das contas, o console terminou com a impressão de ser algo feito pela metade, ao mesmo tempo uma tentativa desastrada de ser o sucessor do 2600 mas sem substituí-lo de fato. Afinal, se o 5200 fosse um console de verdade, não haveria a necessidade de mantê-lo simultaneamente ao 2600 no mercado. Se a Atari já cometia erros e mais erros com um console para administrar, foi ainda mais incompetente com um segundo, fazendo tudo errado. Dois anos depois houve ainda o lançamento do 7800, o que reforça a imagem do 5200 como um modelo intermediário que não deu certo. O fracasso foi fruto de um conjunto de idéias idiotas.

E mais um capítulo do especial chega ao fim. Até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

8 thoughts on “Especial 10 idéias idiotas 2 – Atari 5200 (parte 4)

  1. Na verdade, o PS2 ainda é vendido no mercado, mesmo com o PS3 tendo sido lançado a alguns anos. Sem retrocompatibilidade, é o melhor mesmo.

  2. Meu, tenho quase certeza de que o ex-presidente da atari na verdade era o bozo disfarçado.
    O cara é um gênio, huahuahuahuhuahua… pelo que vi no vídeo, eu jamais conseguiria jogar decentemente com aquele trambolho que eles chamam de controle! O.o

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.