Entre mortos e desaparecidos 6: Epyx

Saudações aos internautas.

Falarei sobre mais uma empresa que desapareceu nas areias do tempo do mundo dos videogames: a Epyx. A princípio podem achar esse nome estranho, porém estou certo de que vocês no passado já jogaram um game esportivo bem famoso dela. Aproveitem que ainda falta um tempinho para o natal e leiam mais essa matéria do Loading Time. Até mais.

A história de hoje começa no final da década de setenta, precisamente em 1978, quando um grupo de nerds jogadores de rpg de mesa fundaram a Automated Simulations, uma das primeiras empresas voltadas para a criação de jogos de computadores. Claro que os jogos dessa fase eram todos rpgs, baseados nos esquemas típicos do Dungeons and Dragons. Eram jogos bastante simples, ainda mais que a primeira plataforma que recebeu os lançamentos da Automated era o CBM Pet, computador com recursos gráficos bastante limitados. Com o sucesso de jogos como Temple of Apshai e Sword of Fargoal, houve a opção por também criar jogos de ficção científica. Para tal, foi criado um selo a parte, chamado de Epyx. É aqui que a história realmente começa.

No início dos anos oitenta, se jogos para computador eram coisa de nicho, rpgs eram ainda mais. Foi aí que cresceu o desejo se se criar games para uma audiência maior, saindo do esquema que eles começaram. O nome Epyx substituiu o Automated Simlutations, além do foco da empresa ter mudado para games de simulação e ação. Foi um processo conturbado, com muitas brigas e funcionários saindo, mas a companhia seguiu em frente. O primeiro jogo dessa fase nova foi Pit Stop, um obscuro título de corrida. A Epyx foi a primeira empresa de games a licenciar jogos com marcas famosas como Barbie, Hot Wheels e G.I Joe. Ainda sim, a companhia só atingiria o estrelato com um game próprio.

Em 1983 houve a idéia de produzir um jogo esportivo que pegaria carona com a Olimpíada de Los Angeles, que aconteceu um ano depois. Uma vez terminado, o jogo foi batizado de Summer Games. Esse era o embrião da clássica fórmula do conjunto de mini-games esportivos com opção para vários jogadores. Depois veio a sequência Winter Games e finalmente a versão mais conhecida de todas, California Games. Seguramente, CG foi o maior sucesso que a Epyx criou em toda a sua existência. O jogo foi portado para todas as plataformas possíveis, foi mais um daqueles títulos que se tornaram referência até mesmo para quem nada sabia sobre videogames. Quem não se lembra do clássico conjunto Half Pipe, Surf, BMX, Footbag, Skating (patins, amiguinhos) e Flying Disk? Quem nunca deu uma espancada básica de botões em alguma dessas modalidades? Alguns dos primeiros games da Lucas Arts foram publicados pela Epyx, títulos como Ball Blazer, Koronis Rift, The Eidolon e Rescue on Fractalus.


California Games na versão do Master System

A Epyx também foi responsável pelo desenvolvimento do Lynx, console portátil cujo projeto foi vendido e posteriormente lançado pela Atari em 1989. O aparelho foi um fracasso retumbante e nem arranhou a supremacia do Game Boy, sucesso praticamente desde que surgiu.


A cara e o preço do fracasso

A ida para o vinagre

Infelizmente a Epyx teve vida curta, ao menos se compradada com outras empresas que apareceram nessa série de textos. Ainda em 1990 foi lançado California Games 2 para PC e Snes, mas sem o sucesso da primeira versão. O problema é que a companhia já se encontrava em sérios problemas financeiros, já em 1989 foi aberto processo de falência. Em 1993 os direitos dos jogos da Epyx foram vendidos para a Bridgestone Media Group, que por sua vez os revendeu para a Atari.

Pode não parecer grande coisa, mas a Epyx foi responsável por um game que marcou seu nome da história dos jogos, cuja popularidade ajudou a impulsionar o interesse pelos jogos de simulação esportiva. Para mim não é pouca coisa.

Abraços e até logo.

Próximo capítulo: Ocean Software

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

7 thoughts on “Entre mortos e desaparecidos 6: Epyx

  1. Rest in peace EPIX….
    Uma empresa que o jogo de maior sucesso é CaLIXOrnia Games está fadada mesmo….

    Avcf: seria legal se você falasse da Sunsoft….essa sim criou grandes jogos(principalmente para o Nes) e desapareceu do nada….

  2. postar que Califórnia Games é ruim é uma atrocidade! Com certeza o “Hely” não conseguiria jogar um game 8 bits puramente por questões gráficas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.