Cool Vibrations: X-Men 2: Clone Wars (Sega Genesis)

Saudações aos beneméritos.

Faz tempo que não falava de um game do Genesis (Mega Drive, se preferirem) aqui no blog, mas de vez em quando é bom tratar do velho 16-bits. Falarei de um game que creio ser desconhecido para a maioria dos jogadores, mesmo aqueles que foram daqueles tempos: X-Men 2: Clone Wars. Vamos em frente, amiguinhos.

Produzido em 1995 pela obscura HeadGames e publicada pela Sega, X-Men 2: Clone Wars foi um game que passou completamente despercebido pelo público. Talvez fosse pela época, pois em 95 Playstation e Saturn estavam em seus inícios de ciclo. Talvez fosse porque tanto o Genesis quanto o Super Nes já estavam em fim de carreira, não gerando o mesmo interesse de antes. Seja o que for, pouco importa, pois o fato é que X-Men 2 é mais um dos bons games de ação da biblioteca do Genesis, muito competente nesse quesito, por sinal.

Embora tenha todo jeito de beat em up, Clone Wars é mesmo um game de ação, pois não há aqueles combos típicos de games como Final Fight, além do layout das fases ser bem mais variado também. Como todo game X-Men, além das diferenças de velocidade e força, cada mutante (faz parte desse jogo Cyclops, Wolverine, Psylocke, Gambit, Fera e Nightcrawler) tem uma habilidade baseada nos seus poderes. É aquele esquemão de sempre: Cyclops e seus raios ópticos, Wolverine e suas garras e regeneração, Nightcrawler e seu teletransporte, Psylocke e sua espada psíquica e etc. Um detalhe interessante do level design é que cada fase possui situações favoráveis ou desfavoráveis a depender da escolha do jogador, mas nunca o pune ou invibializa a jogatina. Um detalhe que achei interessante é que o game vai direto ao assunto MESMO, pois ao ligar o console, você cai direto na primeira com um personagem aleatório. Não há qualquer embromação, nem o logo da Sega chega a aparecer, se me lembro certo.

Como puderam ver, o game tem modo cooperativo que funciona a contento, sem contar que assim a experiência fica mais divertida. Mais para frente no jogo Magneto se torna selecionável, após ser derrotado como um dos chefes de fase. Ele não era grandes coisa na mão do jogador, mas não deixava de ser um toque bacana do jogo. Em geral a dificuldade das fases é alta, já que em algumas havia mais de um caminho até o chefe, e os inimigos e obstáculos nunca davam folga.

Tecnicamente Clone Wars era bem competente para os padrões do Genesis, com sprites grandes e bem animadas, cenários detalhados e mais alguns efeitos. A trilha sonora tinha umas faixas interessantes, com batidas eletrônicas à lá techno, embora limitadas pela chip de som meia boca que o Genesis tinha. Considerando que o console já estava em fim de linha em 1995, X-Men 2: Clone Wars foi um lançamento bastante decente, ainda mais para um console que tinha seis anos de existência. Recomendo Clone Wars os retro players da vida, pois tirando a traminha idiota envolvendo computadores e clones, X-Men 2 tem tudo o que um bom game de sua época oferecia: personagens bacanas, competência técnica e bastante ação e desafio.

Abraços e até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

9 thoughts on “Cool Vibrations: X-Men 2: Clone Wars (Sega Genesis)

  1. É Mega Drive. 😉

    Sim, esse jogo era realmente excelente. Bem melhor que o primeiro X-Men do Mega Drive, que por sua vez era legalzinho.

    avcf, depois que acabava esse primeiro estágio é que aparecia o logo da Sega (e consequentemente, a abertura).

    Ah, e se puder um dia faça um cool vibrations daquele que eu considero o melhor jogo de Mega Drive: Alien Soldier – esse sim é dos bons!

  2. eu li sobre esse jogo numa revista na época… confesso que não sou muito fã nem de mega drive nem de jogos dos x-men mas ouvi muito falar bem desse jogo…
    @trouble man eu tenho um amigo que paga maior pau pra esse alien soldier… pelo que ele diz deve ser maneiro… mas o melhor jogo do mega drive é o yu yu hakusho, a treasure ruleia no genesis… ah, alien soldier é dela tambem né?

  3. Putz esse Alien Soldier deve ser mesmo muito foda porque considero o Gunstar Heroes o jogo de ação mais irado do Mega, esse game X-men 2 eu joguei graças a um primo meu que me emprestou, o jogo era muito irado mesmo, me lembro de uma fase que vinha um sentinela gigantesco me perseguindo, era ação pura mesmo o jogo. @Avcf o chip de som do Mega não era tão pavoroso assim como citado, tá certo que o do Snes era um chip da Sony e tal, mas exemplo de jogos com músicas ótimas foram Shinobi, Sonic 3-d blast, Thunder Force entre outros tantos que não recordo agora.Acho que dependia muito do talento do compositor e do programador também.

    Comentário do AvcF: Mas eu não disse que era pavoroso, e sim que era meia boca. O talento sempre passa por cima das limitações, mas isso não redime a falta de qualidade sonora do Genesis.

  4. Posso estar exagerando em certas qualidades, mas o Alien Soldier me parece ter VÁRIAS características de jogos de ação do Mega Drive. Digo… você escolhe suas armas como em Contra (Hard Corps), Midnight Resistance, E-Swat e o próprio Gunstar Heroes; os chefes são os mais bizarros possível, no naipe dos de Gunstar Heroes e do Strider Hiryu (Strider, no ocidente) – além de possuir jogabilidade extremamente insana de rápida como esses dois (se bobear até mais!). Mencionei o E-Swat, e o Epsilon-Eagle (o bicho protagonista de Alien Soldier) voa que nem o protagonista de E-Swat depois que pega a armadura (se bem que em Alien Soldier pode-se ficar suspenso no ar “à vontade”; em E-Swat tinha uma “barrinha”. Ele fica caminhando no teto de cabeça prá baixo (claro!! :duh:) como o Strider Hiryu em algumas fases, e até dá um “Dash flamejante” como o lobisomem do Altered Beast (a dferença aqui é que Epsilon-Eagle toma a forma de uma fênix, incendiando/varrendo tudo o que vê pela frente), e como em Gunstar Heroes pode-se escolher (durante o jogo – aí está a grande diferença) se Epsilon-Eagle caminha e atira, ou se atira estático (ele muda de cor, dependendo de sua opção).

    Quanto à Gunstar Heroes, ele é sim um jogo magnífico. Mas confesso que além de preferir muito mais o Alien Soldier, sou também muito mais o Strider Hiryu e o The Super Shinobi (The Revenge of Shinobi, no ocidente). 😉

  5. Fernando, cê tá se referindo ao Alien Soldier ou ao X-Men 2: Clone Wars? 😉

    Sim, são bons jogos mesmo – e o mega Drive, digam o que disserem, tem uma porrada de jogos dignos de figurar no “Cool Vibrations”, vai por mim. 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.