Cool Vibrations: Puzzle Quest: Challenge of the Warlords (multi)

Saudações aos torcedores.

Mais um texto do meu amigo João. Aproveitem com parcimônia.

Esqueçam os jogos milionários que torram seus recursos com os melhores gráficos, trilhas orquestradas por algum ego grande e enorme propaganda, pois hoje a análise é de um excelente, porém simples, puzzle. Puzzle Quest: Challenge of the Warlords foi lançado inicialmente para os dois portáteis do mercado, Sony PSP e Nintendo DS, pela empresa australiana Infinite Interactive e logo caiu no gosto da crítica em geral. Motivo? A simplicidade do jogo unida a sua idéia inovadora e extremamente divertida.

O combate do jogo lembra muito o clássico Bejeweled (visto muito por donos de Palm) onde deve-se juntar três ou mais peças de mesma cor para marcar pontos. Porém Puzzle Quest adiciona fortes elementos de RPG em combates estratégicos. Antes mesmo de iniciar o combate o jogador tem que “montar” seu personagem baseado em profissões já vistas antes pelos fãs do gênero RPG: Druida, Mago, Guerreiro e Cavaleiro.

Obviamente que cada classe possuirá suas forças e fraquezas, dotados de armas especiais e, talvez o mais interessante no jogo, as habilidades. Agora abro mão de minha imparcialidade, pois a classe mais bacana definitivamente é o mago com seus truques especiais. Mas tenho que admitir que o jogo é extremamente balanceado, permitindo cada jogador montar seu herói da maneira que mais convém.

Bem, a cada vitória o personagem ganha dinheiro e sobe de nível, assim podendo comprar mais itens e distribuir pontos em características diversas, como proficiência em magias de fogos entre outras. Tudo bem, que o esquema da criança é RPG ( acho que entenderam ), mas e o tal do combate? Aqui está a parte mais simples e genial: as cores foram substituídas por símbolos, como caveira, moeda e esferas. Cada item ao ser ordenado em três iguais ou mais, causa ações específicas. A caveira causa danos ao adversário; as moedas coletam dinheiro; as estrelas roxas são experiências; as esferas azul, verde, vermelha e amarela são as manas, obrigatórias para executar magias.

Os combates funcionam por turnos e cada jogador deve fazer seu movimento com extrema precaução para não dar a vantagem ao oponente. Algumas magias fazem com que perca o turno, assim como outras habilidades são especiais para ajudar na movimentação das pessoas. Dependendo da quantidade de pontos, o jogador pode ganhar um turno extra. Enfim, todo cuidado é vital para a vitória, como cuidar dos equipamentos, subir de level e, acima de tudo, ter visão de jogo.

O jogo possui diversos modos, com destaque ao bom e velho multiplayer e o Quest. O segundo permite ao jogador acompanhar diversas missões num mapa cheio de castelos e cavernas. Existe uma história bacana por trás de tudo, porém o que mais o prenderá são as infinitas possibilidades dentro do modo, como forjar armas, aprender magias, capturar criaturas e poder customizar seu castelo adicionando diversos monumentos e estabelecimentos importantes.


Trailer de Puzzle Quest.

Tecnicamente tudo é muito simples. Puzzle Quest não possui gráficos de última geração, pelo contrário, aqui tudo é muito simples, suficiente para garantir a diversão do jogo. Os efeitos sonoros também acompanham a mesa filosofia da funcionalidade, talvez até colocar suas músicas favoritas para tocar durante os combates seja melhor. Para completar a famosa tríade de aspectos técnicos que os críticos adoram apontar, a jogabilidade é intuitiva e sem atrasos na resposta. Como podem ver, a filosofia da racionalidade bauhausiana: a harmonia funcional nos produtos.

O que é mais legal no jogo? O simples fato de que agora está disponível na LIVE por apenas 1200 pontos (cerca de 30 reais), um preço muito sedutor. Puzzle Quest também marcará presença no Wii e no Playstation 2, possivelmente as duas versões serão mais baratas que os demais jogos do console. Resumindo, Puzzle Quest: Challenge of the Warlords merece muito destaque pela simplicidade genial e é obrigatório aos fãs do gênero puzzle.

João Vitor Guedes – Loading Time

3 thoughts on “Cool Vibrations: Puzzle Quest: Challenge of the Warlords (multi)

  1. Estou atualmente viciado nesse jogo (versão para DS). O jogo é realmente maravilhoso, mistura perfeita de RPG com Puzzle, com direito a classes, equipamentos, montarias, quests e até seu próprio castelo. Puzzle Quest prova mais uma vez que não é preciso gráficos de última geração para se fazer um bom jogo. Mas não devemos nos deixar enganar
    por sua aparência simples, o jogo é complexo com a possibilidade de inúmeras estratégias envolvendo classes, habilidades, equipamento e, obviamente, o próprio jogador.

    Se tivesse de fazer uma reclamação, diria que (e isto vale apenas pra versão DS, pois não conheço as outras) quando fosse tocado o botão “Help”, usado para ver a descrição das habilidades, ele deveria ser ativado, podendo ser desativado com outro toque. Porque desse modo, ao encontrar um oponente com quatro habilidade diferentes não precisaria apertar o “Help” quatro vezes para ver suas descrições. Bem, pode ser até frescura minha, mas de qualquer jeito não é nada que atrapalhe o jogo.

  2. Juro que queria ter esse gosto po puzzles, Thiago. Tirando o imortal Tetris (e algumas variantes próximas), não tenho saco para puzzles “puros e simples”, ou seja, aquele que só envolve o quebra-cabeças no gameplay. Só tenho saco para puzzles quando há um contexto/objetivo por trás, como alguns desses que aparecem nos jogos estilo Resident Evil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.