Cool Vibrations: Naruto Ultimate Ninja Storm 2 (Playstation 3/Xbox 360)

Saudações aos correligionários.

Para aqueles que reclamam que só se fala de Nintendo por aqui, eis um Cool Vibrations sobre um game dos irmãos HD. Trata-se de Naruto Ultimate Ninja Storm 2, lançado em outubro do ano passado para PS3 e X360. O texto a seguir foi uma bela colaboração externa do meu amigo (e chefe de trampo, hehe) Ronaldo Coimbra. Aproveitem e sigam que lá vem história.

Naruto Ultimate Ninja Storm 2 é a sequência do jogo de luta da Namco Bandai baseado no anime e manga Naruto. Embora seu predecessor seja um jogo exclusivo de Playstation, esse título está atualmente disponível para Xbox 360 e Playstation 3.

A história é uma adaptação da temporada Shippudden do anime, quando o personagem principal, Naruto, volta como um adolescente para sua vila, após 3 anos treinando com seu mestre. O trajeto que o jogador segue é praticamente o mesmo do anime, mas existem algumas diferenças na história que renovam a experiência para fãs. Para pessoas que não conhecem o anime ou o manga, existem alguns termos específicos da série que, por não terem explicação, podem contribuir negativamente para o título.

A navegação do jogo em geral é simples e fácil. O Menu principal, por exemplo, tem apenas quatro opções e mostra um Naruto muito energético e sorridente, pulando de um lado para o outro em sua vila. Cada opção possui uma pose diferente de Naruto, um fundo diferente e uma fonte bem grande que mostra ao usuário a opção onde ele se encontra. Não importa se o usuário está dentro do jogo ou navegando pelos menus, as opções são sempre simples e intuitivas, permitindo-o pegar o jogo e sair jogando. Apenas tenha em mente que existirão muitas telas de carregamento em qualquer que seja o modo de jogo.

Existem 3 modos de jogo em Naruto Ultimate Ninja Storm 2, explicados abaixo:

1. Ultimate Adventure – Esse é o modo para um jogador, que também pode ser considerado a principal parte do jogo. A aventura é dividida em mecânicas de luta e exploração e permite o usuário a aprender um pouco sobre o passado dos personagens e eventos secundários à história principal, enquanto a trama principal de desenrola.


Os modos de jogo

Durante a parte de exploração, alguns poucos personagens serão usados para caminhar pelo mundo, falar com outros personagens, completar missões secundárias e coletar itens que logo em seguida podem ser convertidos em itens para compra. Infelizmente, esse componente não foi propriamente desenvolvido e vai rapidamente se tornar entediante para a maioria dos jogadores por duas razões básicas: A) Para se movimentar você só precisa girar o controle analógico na direção que deseja ir e assistir, pois a capacidade de pular não é necessária sequer uma vez e o jogo não permite o uso de habilidades especiais fora de batalhas, o que poderia tornar as coisas muito mais interessantes ao criar novas possibilidades. B) Missões secundárias são completamente irrelevantes e desinteressantes e o jogador deve parar a todo o momento para coletar itens do chão, uma mecânica que rapidamente se torna um fardo.

O que falta de diversão na exploração é compensado pelas lutas. O principal para lutar apropriadamente é o uso de chakra, um tipo de barra de mana ou energia. O jogador deve mantê-lo e usá-lo, de acordo com a demanda, para escapar de ataques, incrementar combos ou até mesmo lançar um ataque especial chamado ninjutsu. Também, há um uso bem inteligente de técnicas dos personagens, como o substitution jutsu que teleporta o jogador que está sendo atacado para as costas do adversário para assim começar um contra-ataque. Todos os comandos são fáceis de aprender e o jogo geralmente mostra dicas durante as telas de carregamento.

Outra opção disponível é o uso de parceiros como suporte para atacar e ajudar com as sequências de golpes ou defender o jogador de golpes iminentes. Embora isto esteja presente na maioria dos jogos de luta, a diferença está no quão incríveis visualmente são essas sequências. Mesmo assim, a característica que realmente se destaca e faz de Ninja Storm 2 um grande jogo é o uso de eventos rápidos. Como em God of War, o evento acontece durante certos momentos do combate e requer que certos botões sejam pressionados corretamente. Se isso acontecer, a luta faz uma transição a uma bela animação que melhora muito a ação sem deixar o jogador perceber que perdeu o controle por alguns instantes. Com a ajuda de ângulos de câmera e gráficos incríveis, o jogo todo toma vida e obscurece até mesmo o anime em alguns momentos.

2. Free Battle – Esse modo foca em batalhas para vários jogadores contra o computador ou outro humano na mesma localidade. Estão presentes, opções apresentadas em jogos de luta modernos como dar vantagens e customizar ataques. O ponto baixo é o pequeno número de personagens disponíveis no começo do jogo (aproximadamente dezessete de quarenta e dois), forçando o usuário a jogar o modo história para destravar outros.


Uma das boss battles do jogo

3. Online Battle – A opção online é nova e uma adição bem-vinda à série, mas poderia ser mais polida a ponto de permitir mais diversidade nas disputas, como modos de luta diferentes, por exemplo. Ter o mesmo tipo de luta várias vezes seguidas provavelmente vai cansar alguns jogadores depois de certo tempo. Atualmente existem disputas de ranking e disputas padrão um contra um ou com o uso de suporte (três contra três).

A área de arte e som é onde Naruto realmente brilha. O jogo todo é uma mistura de gráficos 2D e 3D com uso muito inteligente de ângulos de câmera e técnicas de desenho animado, partículas, água e sombras dinâmicas. O jogo é tão melhorado por essas técnicas que cria momentos realmente dramáticos quando se adiciona vozes e música. Além disso, durante o jogo, a personalidade de todos os personagens é mostrada de forma clara pelo ótimo trabalho de dublagem dos atores reais da série de TV disponível em japonês e inglês. É simplesmente incrível como tudo se encaixa e evolui em um ambiente bonito e dinâmico, cheio de vida. O único problema encontrado aqui é a falta de sincronia entre atuação do personagem e voz, que vai acontecer esporadicamente durante o curso do jogo. O título também poderia melhorar com o uso de algumas músicas do anime e não apenas temas originais.

Numa análise geral, Naruto Ultimate Ninja Storm 2 é um grande jogo para fãs da série, sendo muito fiel às suas origens. Mesmo que o jogo não consiga se sustentar por muito tempo como um jogo de luta, devido à sua simplicidade, ele é um deleite para os olhos e ouvidos com gráficos, sons, transições entre mecânicas e animações incríveis. É um jogo de 15 a 30 horas que vale o tempo dedicado.

Ronaldo Coimbra para o Loading Time.

6 thoughts on “Cool Vibrations: Naruto Ultimate Ninja Storm 2 (Playstation 3/Xbox 360)

  1. UM COOL VIBRATIONS…

    …DE UM GAME DO NARUTO…

    …PARA UM CONSOLE HD…

    …NO LOADING TIME…

    …AVCF, YOU IS PHODA,SURPREENDEU A TODOS…

    AVCF PRA PRESIDENTE!VIVAAAAA!!!!

  2. Avcf, aproveita o post do Naruto pra analisar os outros jogos da série e de outros animes (uma análise dos games mais recentes de Hokuto no Ken seria inacreditavelmente foda).
    E quanto ao comentário que fiz ontem, sem ofensa, eu não estava reclamando pelo fato de você falar muito da Nintendo, só estava fazendo uma constatação (tanto que eu disse que te “chamam de nintendista” e não que “você é nintendista”)
    Foi mal se eu peguei pesado, mas é isso.

  3. “Para aqueles que reclamam que só se fala de Nintendo por aqui, eis um Cool Vibrations sobre um game dos irmãos HD.”

    Mas só se fala de nintendo por aqui. Quando se fala dos outros consoles, se fala em “Geração de tiro em HD”. Ou algum drama de quanto o Wii é injustiçado pela midia e assim vai.

    “Ronaldo Coimbra para o Loading Time.”

    E um dos poucos textos de outros consoles para o blog, é de outra pessoa.

    Acho o Wii um Grande console, mas creio que há coisas boas em outros consoles tbm sabe.

    Sobre o jogo, tenho pra PS3 e o texto foi realmente bem escrito, embora eu ainda nao tenha achado cansativo, como foi mencionado! Vale a pena a compra, creio que muitos gostarão!

  4. O Sadat tem razão, manda aí um post novo, um Bad Trip, um Game Contraste um Cool Vibrations, de preferência de um jogo da geração 8 ou 16 bits, como Contra (o primeiro do NES, o Alien Wars do SNES ou o Hard Corps do Mega Drive), Castlevania (qualquer versão), Splatterhouse (o remake do ps3/x360 é tao fodástico quanto a trilogia antiga, sendo as duas últimas versões feitas para o Mega Drive) o obscuro Majyuuou do SNES ( que só não fez sucesso por que foi lançado só no Japão, e no final da era 16 bits ), Saturday Night Slam Masters, que tem o Haggar (HUUUURRYYYAAAAAH), o irmão do Guile e é um dos poucos games de luta livre que prestaram na quarta geração, os games do Justiceiro ( tem aquela porcaria no NES feita pela… você sabe do que eu estou falando, e o beat’em up clássico que saiu para o Arcade e o Mega Drive. Faz tempo que você não posta nada sobre jogos antigos. Atualiza aí!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.