Cool Vibrations: Michael Jackson The Experience (Nintendo DS)

Saudações aos gamers.

No post de hoje farei uma breve análise do mais novo jogo musical do nosso querido portátil de duas telas: Michael Jackson: The Experience. Aproveitem e cliquem no link. E vamo que vamo.

Quem disse que o Brasil não pode produzir games com qualidade padrão de console? Talvez alguns rardecores de fórum, mas esses não contam. Seja como for, o fato é tais games pouco a pouco começam a aparecer. É o caso de Michael Jackson: The Experience, produzido pelo estúdio paulista da Ubisoft. Sim, o game foi produzido inteiramente aqui no Brasil, incluindo arte, programação, animação, etc. O video do Uol Jogos resume tudo perfeitamente:

O jogo em si

Como vocês viram na reportagem do Uol Jogos, A Ubisoft licenciou as músicas de MJ, portanto nada de midis ou adaptações. A qualidade das mesmas ficou excelente para o padrão do DS, melhor ainda com o fone de ouvido. Aliás, ouvir “Billie Jean” no DS já foi para mim uma experiência e tanto. E como justamente as músicas têm papel de destaque na experiência de jogo, os efeitos sonoros ficaram sutis, porém funcionais. Dava para distinguir bem os acertos e erros entre os toques da caneta sobre a tela inferior do DS.

Michael Jackson: The Experience vai direto ao assunto, deixando o jogador “dançar” ao som dos clássicos de Michael Jackson. A mecânica funciona de modo similar a de games como Elite Beat Agents, em que o jogador precisa tocar a tela sucessivas vezes de acordo com o rítmo e a dificuldade de cada música. Diferentes sequências de toques, giros e arrastos ajudam a criar nuances dentro da mecânica, evitando que as partidas pareçam repetitivas. A jogabilidade funcionou bem, o jogo detectou certinho os toques que dei, mesmo quando variei a intensidade e o tempo (tocando um pouco antes ou depois para notar se o jogo detectava erro ou acerto). Infelizmente só pude jogar as músicas “Billie Jean” e “Another Part of Me”, devido ao pouco tempo que tive para poder experimentar o jogo (foi no meio do expediente, deixei de almoçar para jogar), que me pareceu ser as primeiras do jogo. Ainda sim, já tinham desafio interessante a partir do nível médio de dificuldade.


Tutorial mostrando comandos de jogo


Uma das telas após o main menu


O jogo em movimento

O Design

Com relação ao design do jogo, só posso dizer que ficou nota dez. Como o DS é um aparelho de capacidade gráfica modesta, a equipe acertou na decisão de adotar um estilo cartoon ao game. Esse estilo funciona muito bem para games portáteis, pois o visual mais simples arredondado e colorido é de fácil assimilação e rápido apelo visual. A mesma direção foi seguida nos menus, fontes e fundos de tela, com simplicidade visual e colorido agradável. O único elemento tridimensional era o avatar do Michael Jackson, que como vocês viram pelo video, foi animado sobre os videos do artista. Dessa forma manteve-se boa fidelidade entre os movimentos originais e os do modelo tridimensional. Um detalhe interessante, e por consequenência demonstra um capricho de produção, é que o modelo possui diferentes trajes de acordo com a música em questão.

Por fim…

Unindo todos os elementos, o que temos é um conjunto harmonioso, que funciona. Foi impossível, claro, ter noção de todo conteúdo do jogo. Entretanto, diferente de outros jogos do gênero musical, claro que possuir a discografia de Michael Jackson é um diferencial e tanto, uma vez que ele foi artista popular mais vendido do século passado (Thriller, anyone?). Todavia, de nada adiantaria dispor de tal recurso, se a mecânica de jogo fosse medíocre. Não foi o caso de Michael Jackson The Experience DS. Meus parábens ao pessoal que trabalhou nesse jogo. Ficou tudo muito bom.

Por enquanto é só, amigos. Vou ficando por aqui. Abraços e até o próximo post.

P.S: meus agradecimentos ao Nicholas, por ter cedido o jogo.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

5 thoughts on “Cool Vibrations: Michael Jackson The Experience (Nintendo DS)

  1. [rardicóri mode on]

    Po, esse blog ta decadent, só passanu resenha desses jogos casuais pa criancinhas.Sô macho, maduro, adulto, não quero fik joganu essas porcaria de Wii e DS casual.

    [/off]

    Boa resenha!
    Até deu vontade de joga-lo.
    Embora eu tenha achado a mecanica de jogos musicais assim enjoativa depois de um tempo.Mas ainda assim, da para se divertir um bocado.

    E depois falam que não podem ter bons produtores aqui no Brasil hehe.

  2. Pretendo comprar a versão do Wii e me acabar * – * não entendo muito bem como funciona um game de dança/musical num portátil, deve ser muito estranho, mas já ouvi falar muito bem desse Elite Beat!

  3. Olha, eu joguei esse jogo. É um exelente trabaslho, das cópias de Ouendan, é a melhor delass. Os gráficos são bonitos e a jogabilidade responde bem. O problema é que o jogo ficou muito fácil… No Hard, as coisas ficam boas, mas tu deve passar todas as músicas no Medium pra joga-lo.

    P.S: A única música que consegui Perfect foi Smooth Criminal(a melhor música do jogo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.