Cool Vibrations: Goof Troop (SNES)

Cool Vibrations: Goof Troop (SNES)

Saudações aos leitores.

Aproveito o post de hoje para resgatar um joguete deveras simpático, direto lá dos anos noventa: Goof Troop. Acompanhem.

Entre o final dos anos oitenta e parte dos noventa a Disney viveu uma fase muito feliz, quando emplacou uma sequência de sucessos com suas séries animadas. Spin-offs de personagens e desenhos consagrados, títulos como Gummi Bears, Chip ‘n Dale Rescue Rangers, Duck Tales, Darkwing Duck e Tales Spin fizeram a cabeça da criançada da época (eu incluso). Nos anos noventa a Disney lançou mais alguns desenhos nessa linha, como Mighty Ducks, Quack Pack entre outros. Todos esses desenhos passavam em um programa chamado Disney Afternoon, que foi transmitido em alguns canais de tevê aberta e depois pela própria Disney na tevê a cabo. Por outro lado, aqui no Brasil esses desenhos ou passavam no sábado de manhã do SBT ou nos infames programas infantis da Globo. Entretanto, lá para “mil noventos e tantos”, o SBT inventou um tosquíssimo programa chamado “TV Cruj”(que nome, que nome!), em que crianças vestidas de forma bizarra protagonizavam historinhas sem sentido algum. Tudo para encher uma linguiça entre um desenho e outro que era exibido durante o programa.

Foi exatamente aí que conheci o desenho Goof Troop, chamado aqui no Brasil de Turma do Pateta. Pouco tempo depois descobri que havia um jogo baseado nesse desenho, então aproveitei para alugá-lo. E não me arrependi. Goof Troop foi lançado para SNES originalmente em 1993 pela Capcom, sendo um game de ação com diversos quebra-cabeças. Curiosamente, aliás, foi desenhado por ninguém menos que Shinji Mikami, que anos depois ficou conhecido pela série Resident Evil. Independente disso, o fato é que Goof Troop é um joguete simples, porém bastante funcional e deveras simpático.

Goof-Troop-gameplay1

Como podem ver na tela acima, um ou dois jogadores podem participar simultaneamente da ação, cuja cooperação torna o jogo bem mais divertido, inclusive. A mecânica de jogo gira em torno de duas ações básicas: arremessar ou arrastar objetos. Em cada tela o jogador é apresentado a um quebra-cabeça diferente, cuja resolução sempre gira em torno das duas ações citadas, ou seja, para passar para a tela seguinte, o jogador ou terá que arrastar blocos para acionar dispositivos, posicionar objetos para abrir portões, arremessar barris para matar todos os inimigos e por aí vai. Alguns acessórios como uma pistola-gancho, sino, tábuas e etc; aparecem para auxiliar o jogador em sua jornada pela ilha recheada de piratas malvados onde ocorria a aventura. Embora não fosse lá muito conhecido, o esquema de jogo de Adventures of Lolo certamente deve ter servido de inspiração para Goof Troop.


Goof Troop em ação

Tecnicamente Goof Troop era um game bem simples, que com um certo esforço até poderia ter sido lançado para o NES ou o Master System. Não que fosse feio ou mal feito, pelo contrário, possuia boas animações e fluidez. O som também seguia essa direção, com tudo bem midi, sem vozes ou efeitos sofisticados. Aliás, as musiquinhas eram bem grudentas. Quanto ao conteúdo, Goof Troop era mesmo um jogo para ser alugado e batido em algumas horas, pois possuia cinco grandes áreas, com diversas telas e um chefe no final de cada uma. Mas o bom grau de desafio, além dos diversos quebra-cabeças espertos que tinham no jogo, ajudavam a tornar a experiência de jogo bem divertida e estimulante enquanto durava.

Para quem quiser relembrar Goof Troop, ele está disponível Cool VibrationsTagged , , , ,

11 thoughts on “Cool Vibrations: Goof Troop (SNES)

  1. Um dos jogos q mais joguei no meu snes/emulador(tive a fita,e usava emulador ja q meu snes foi pro saco) eu amava esse jgo,era divertido,desafiante,pena q era um pouco repetitivo demais,mas quando chegava no chefe era pura alegria!

  2. Sim, esse jogo para Super NES era realmente muito bom. Tinha um só com o Pateta para o Mega Drive, mas apesar de não ser exatamente ruim, era meio “nada a ver” e esse do Super NES era melhor.

    Ah, e esse Cruj era uma merda!

    Comentário do AvcF: nos consoles Sega, bons mesmo eram os jogos do pato Donald, como Quack Shot e Lucky Dime Caper. Se bem que o Castle of Illusion com o Mickey era bom também.

  3. Recordar é viver! Já dizia um sábio poeta não me recordo de onde no momento rsrsrs Não sei porque nunca simpatizei com esse jogo, me lembrei que assistia esse Cruj! he he Tinha até um grito de guerra: CRUJ CRUJ CRUJ! KKK

  4. Estou louco procurando essa fita original para adicionar a minha coleção, mas está difícil de encontrar 🙁

    Comentário do AvcF: justo essa fita? Achei que tivessem outras mais difíceis. Não tem com o velho maluco?

  5. Me lembro que esses tempos te pedi pra dar uma opinião do jogo, não sei se você lembra hehe

    Tenho esse cartucho em casa, jogava direto na época na locadora do meu tio.

    As músicas são muito legais, especialmente a faixa “Lose My Way”, e a da primeira fase, divertida, com xilofones.

    “Goof Troop era mesmo um jogo para ser alugado e batido em algumas horas”

    Essa doeu, só fui zerar ano passado.

    Cruj Cruj Cruj Tchau!

  6. jogava muito com meu primo e sempre dava briga porque os dois eram egoistas e nao distribuiamos corretamente as cerejas e as armas.

    e ninguem queria o sino porque os piratas vinham correndo atras, época boa essa

  7. Eu amava esse game, jogava horas e horas com os amigos, divertidissimo mesmo!!!! Hoje em dia a formula apareceu renovada em Lara Croft and the Guardian of Light.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.