Cool vibrations: Fear Effect (Playstation)

Saudações aos distópicos.

Falarei sobre um game que embora sido um tanto ignorado, considero um dos grandes games do Playstation. Fear Effect saiu bem no final da vida útil do PS1 e talvez por isso não tenha tido a atenção que merece.

Por volta do já longíquo 2000 mesmo de posse de um Nintendo 64 eu nunca deixei de aproveitar alguns dos jogos do Playstation na casa de amigos. Em uma dessas me deparei com jogo diferente dentro daqueles tradicionais estojos com trocentos discos dentro. Era um tal de Fear Effect, era em uns três ou quatro CDs (não me lembro exatamente), fugia do esquema dos jogos conhecidos da época. Aí em alguma tarde com nada mais útil para fazer, resolvi testar o joguete e ver qual era o esquema daquele título. E em pouco tempo eu me surpreendi com aquilo que via. A temática fugia do tradicional, com sua ambientação futurista e narrativa bastante movimentada desde o início.

Tecnicamente era um game inacreditável para o padrão do Playstation, com uma mistura muito bem feita de cenários em full motion video com personagens poligonais, cujo design ajudou a disfarçar a limitação do PS1 nessa área. Essa mistura de técnicas deu o tom correto para o representação a lá Blade Runner do jogo, em uma Hong Kong escura e cinzenta. O uso de FMVs permitiu a criação de cenários animados e muito mais vivos que os dos jogos Resident Evil ou Dino Crisis. O jogo tinha um forte caráter cinematográfico, com muitas cenas animadas e dublagem o tempo todo, sempre com muita violência e sangue. A mecânica era típica dos jogos de ação e aventura daquela geração, com alguns combates e tiroteios e resolução de quebra-cabeças, com o jogo progredindo em um ritmo bem marcado.


Video do início do jogo

O som passa pelo mesmo processo, com arranjos que procuram passar tensão e e linguagem pesada nas dublagens. Os efeitos sonoros cumpriam o papel corretamente, sendo mais um detalhe correto dentro da hamonia geral do design do jogo. Aos que se aventurarem experimentar o título, aviso que o jogo já mostra um pouco a idade, com uma movimentação e ações duras para os padrões atuais, mas os quebra-cabeças bacanas e a história do jogo ajudam a manter o interesse por quem entra nessa aventura. Houve uma continuação chamada Retro Helix ainda para o Playstation, mas a versão seguinte para Playstation 2 foi cancelada pela genial Eidos, que preferiu mandar para o brejo um dos poucos games prestáveis de sua carteira (ela foi a publisher de Fear Effect e Retro Helix) e continuar com suas porcarias habituais.


Retro Helix

Infelizmente, até onde sei esse jogo não está disponível na loja digital PSN, então os únicos jeitos para experimentar Fear Effect ou é arranjando os CDs originais ou quem sabe partir para emulador. Foi um joguete que conheci já no final de vida do Playstation, quando já se comentava sobre Playstation 2 e GameCube. Como disse na abertura do texto, talvez por sido lançado tardiamente não tenha tido a atenção que merecia. Mas foi um bom game em seu tempo e uma aventura ousada.

Abraços e até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time

14 thoughts on “Cool vibrations: Fear Effect (Playstation)

  1. Perfeito!!!!! Adorava esse game. Na época eu tinha um 64 tmbm, mas ia nas locadoras jogar um pouco de PS1 tmbm. E esse era fantástico. Eu não consegui terminar, era muito dificil e precisava de muito tempo, e como em locadoras com horas de aluguel não se tinha muito isso, eu joguei até o terceiro cd só. Mas era fantástico, procurei o game pra comprar no inicio do ano mas não encontrei, só por download mesmo. vale a pena!!!

  2. Pior é que eu tive um PS1, e sempre ouvia falar muito bem desse jogo, mas nunca tive oportunidade de experimenta-lo.

    Qualquer dia vejo se consigo joga-lo.

  3. Realmente é um game muito bom! Tem 3 finais! Só fiz um por que tava com preguiça de jogar tudo de novo. Naquela época lembro que eu e meus amigos ficamos vidrados no visual do game. Tinha bastante sangue mesmo, tinha até algumas cenas de nudez. Pena que não deram continuidade na série.

  4. avcf disse:
    “…Eidos, que preferiu mandar para o brejo um dos poucos games prestáveis de sua carteira (ela foi a publisher de Fear Effect e Retro Helix) e continuar com suas porcarias habituais.”

    tá bom…e hitman blood money não é um baita jogo bom?!?? a serie hitman nao e boa?!?!? ¬¬

  5. Tem outro game recem lançado da EIDOS que vale a pena, BATMAN – ARKHAM ASYLUM. Comeceia jogá-lo ontem e achei perfeito, desde os gráficos até o clima sombrio das fases. A gente se sente realmente como o Batman. Finalmente a EIDOS acertou uma após anos. Eu gosto de TOMB RAIDER, principalmente o Legends, esse Underworld é uma porcaria, conseguiu regredir em tudo em relação aos antecessores, e a versão de PS2 é a mesma do PSP, mas incrivelmente pior, queda na taxa de quadros e tudo mais, e Hitman é bom, mas não tenho a paciencia necessaria para jogá-lo. Hj em dia estamos vendo muitos remakes de games antigos, FEAR EFFECT podia ser refeito neh hehe!!!

  6. Flavio, na real o batman foi desenvolvido pela Rocksteady Studios que se esforçou muito para elevar o nome da companhia e limpar o nome do homem morcego no mundo dos consoles. A EIDOS epenas foi Publisher.

  7. Ah eh?!?! A Rocsteady que desenvolveu o game? Achei que tinha sido a Eidos em parceria com a Rocsteady. Portanto, parabéns Rocsteady, o game vale a pena!!!

  8. A VERDADE, o John Victor disse:”Flavio, na real o batman foi desenvolvido pela Rocksteady Studios que se esforçou muito para elevar o nome da companhia e limpar o nome do homem morcego no mundo dos consoles. A EIDOS epenas foi Publisher.”

    e a rocksteady q lançou urban chaos(q eu gostei pra caramba) se mostrou um exelente estudio…

  9. A EIDOS não deixa de ter seu mérito em ‘acreditar’ no jogo e financiar sua publicação. Mas o Rocksteady Studios é que são os gênios por trás de um dos melhores jogos dos últimos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *