Bad Trip: Mister Mosquito (Playstation 2)

Saudações aos contundentes.

E finalmente o Playstation 2 estréia na pior e mais infame seção do Loading Time. Mas não é por menos, selecionei à dedo (úi) um joguete desgraçadamente desprezível para tal. Recolham aquela salsicha mal cozida, o ovo de galinha caípira que sua avó comprou errado; vamos para a praça pública humilhar mais uma porcaria.

Em uma longínqua era em que ferramentas essenciais à sobrevivência humana como o twitter e o chat roulette ainda não haviam sido inventadas, visitei uma redação de uma revista de games. Sim, isso aconteceu. Bom, dada certa altura eu estava olhando uns games curiosos de Playstation 2, quando vi um DVD escrito “Mr. Mosquito”. Meu pensamento nesse instante pode ser resumido pela célebre frase “what the fuck?!”. Mas por um desses impulsos inexplicáveis da natureza humana, botei a bagaça para rodar. E pior: eu comecei a jogar.

Como puderam ver, o jogador assume o (ou tenta) o controle de um horrivelmente modelado mosquito, cujo óbvio objetivo é chupar (opa!) o sangue da vítima da fase. Para tal, é necessário a estranha tarefa de recolher tanques (QUÊ???) para armazenar o sangue, e depois achar o ponto certo para a picadura (Jesus que texto infame). Além do absurdo de um mosquito precisar de recipiente para armazenar sangue, o jogador é obrigado a lidar com controles péssimos, jogabilidade idem e uma câmera que dava ódio na maioria das vezes. Deve ter rolado muito saquê durante a produção de Mr. Mosquito, ou os designers eram demais de idiotas. Pois não vejo justificativa plausível para fazer o jogador recolher corações pelo cenário, para que durante uma picada seja morto de cara por um simples tapa.

Tecnicamente o game não era menos pavoroso, com gráficos simplórios a ponto de deixar até o Nintendo 64 com vergonha, animações constrangedoras de tão ruins e cenários mais pobres que os de um módulo básico de curso de modelagem 3d. A trilha sonora variava dessa estranha imitação de bossa nova de elevador com algumas outras músicas genéricas e sonsas; sem contar os efeitos sonoros equivocados e toscos. Tudo isso era embalado por uma inútil e idiota historinha sobre uma familia japonesa igualmente idiota, cujos membros são incapazes que comprar UMA PORCARIA DE UM INSETICIDA, resolvindo assim um problema simples e matando também a justificiativa para se lançar esse lixo de jogo.

Mas teria Mr. Mosquito ficado restrito como mais uma esquisitice japonesa, certo? Errado. Pois a Eidos (a Acclaim da Inglaterra), se deu ao trabalho de não apenas lançar essa gororoba no ocidente, como de até mesmo dublar os constrangedores diálogos do jogo:


Dá vergonha de assistir inteiro

Ficou parecendo um daqueles bizarros programas de aula de inglês da televisão japonesa (no Youtube tem vários desses, é garantia de risada). Se bem que a qualidade desse jogo é bem de acordo. Enfim, um equívoco em forma de jogo. Sorte que esse lixo foi lançado em 2002, no comecinho da geração anterior, e rapidamente esquecido. Afinal, quem iria perder tempo brincando de mosquito, quando uma porção de jogos melhores estavam sendo lançados? Sem contar que se um mosquito é desagradável ao vivo, quem é que gostaria de simular um? Que idéia mais imbecil.

Por hoje é só pessoal. Até o próximo post.

André V.C Franco/AvcF – Loading Time.

13 thoughts on “Bad Trip: Mister Mosquito (Playstation 2)

  1. Nossa, eu me lembro dessa desgraça (ou mlehor, já havia até me esquecido)!!!

    Me perguntava como era possível que o então “líder em potencial” do mercado daquela época (o PS2) iria se garantir com jogos tão medíocres como esse…

  2. Como algum sábio da montanha disse: o pessoal zoa o Wii pelo seus shovelwares, mas se esquece das bizarrices produzidas para o Playstation 2.

    E que continue abrindo-se as comportas, ainda que apareça mais jogos desse tipo

  3. Meu Camarada Moderado, falou e disse huahua!!!! Meio tenso esse game, a vontade que teria era de matar esse Fucking mosquito huahua!!!

  4. O projeto inicial era para ser uma trilogia, o dois ia se chamar: Mosquito A vingança e o três: A revolta dos mosquitos. Esse jogo é um encompreendido no meio de tantas outras obras-de arte como os jogos de luta do N64 ou os games dos Simpsons. Fala sério! Que trash esse game, pense numa viagem na maionese quando fizeram essa desgraça, o que se passava na cabeça dos produtores desse lixo? Me lembrou de um jogo do N64 com uma abelha acho que era Buck Bumble (ou algo do tipo) outra bomba!

  5. nunca ouvi falar… será que tem no black cats pra baixar? huaehuaehueahuaehueahuaa

    ah sim, comentário de outro post: eu tinha perdido o meu mortal kombat shaolin monks e olhando no BC achei a versão NTSC pra baixar \o/ só espero que role o meu save game carregar da versão PAL….. qdo chegar em casa, já deve ter baixado….

  6. Nossa, que porcaria mesmo.
    E pior é que se ainda fosse um jogo ruim, mas que tivesse alguma coisa, até vai.
    Mas que graça tem você fica vendo o bixo sugar sangue??
    Bizarro.

    E do PS2 vai ter muito jogo pra você esculachar no Bad Trip avcf auhauh.
    Lançaram no minimo uns 1800 jogos pro console.Com tantos assim, o que não falta é porcaria.

  7. Só não entendi uma coisa . O que esse jogo tem de tão violento para ser classificado para maiores de 13 anos ?

    Comentário do AvcF: de violento não há nada, mas há uma leve conotação sexual, como na fase que a menina toma banho na banheira. A classificação deve ter sido por aí.

  8. Lembro quando esse jogo foi lançado, saiu uma pequena reportagem na revista Super Interessante (que desde o final do século passado ficou Super Brega…) falando SUPER bem desse jogo. Deu até vontade de jogar.
    Sorte que eu cancelei a assinatura da revista a tempo…. rsrsrs

  9. q japa peituda oO

    ps:eidos sempre de brinks com a gelere,sorte q foi comprada pela SQUARE ENIX,acho q vao dar um jeito nessa empresa!

  10. Era um designer Bom, meio tatico com um pouco de ação (se podemos falar que sugar o sangue de alguém é ação O.O)
    só veio um pouco tarde… ou para o sistema errado…
    talvez no NDS ou no WII, ou melhor não mesmo…

  11. Me arrependi de ter visto… Que merda! hauhauhau

    Você disse muito saquê? Que nada, acho que este jogo foi criado no Brasil numa quarta-feira de cinzas depois de uma noitada repleta de sexo, drogas e cachaça – O nome piloto deveria ter sido: “The Aedes Revenge” mas nem “postura” para um nome forte teve… Sem contar que parece uma cena extraida do banheiro do The Sims, ou no mínimo a música sugere hehehehe Que Lixo!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.