Bad Trip: Ballz (Genesis/SNES/3DO)

Saudações aos figurantes.

Falarei no post de hoje de um joguete que é seguramente um dos piores já produzidos até hoje: Ballz; originalmente lançado para Genesis e SNES, com uma versão para 3DO lançada posteriormente. Esse troço é deveras trash, não sei explicar como pude ter perdido algum tempo com isso.

Todo mundo sabe que para se criar um videogame é preciso antes de qualquer coisa uma bela dose de criatividade. Ser criativo em si não é difícil, o problema mesmo é ser capaz de executar essa criatividade de modo a tornar o produto final algo que seja atrativo e divertido. Afinal, duvido que antes de Sonic the Hedgehog alguém aprovasse a idéia de um ouriço com sapatos vermelhos correndo por mundos coloridos e cheios de rampas e plataformas flutuantes. O pessoal da Accolade achou que era criativo, mas infelizmente enveredaram pelo lado errado na tênue linha que separa a genialidade da idiotice dentro do espectro da criatividade. Assim acabaram criando um dos piores e mais estranhos games de luta da história dos videogames.

Em 1994 fazia todo o sentido apostar nesse gênero, já que Mortal Kombat II e Super Street Fighter II vendiam os tubos no SNES e Genesis, enquanto Super Street Fighter II Turbo e Killer Instinct eram as sensações dos arcades. Muitos pensavam nos games de luta como uma aposta segura, uma maneira de fazer uma grana fácil com videogames, os incontáveis clones de SF II não me deixam mentir. Aí algum espertucho da Accolade, aquele que devia ficar sempre em uma cadeira do canto da mesa de reunião da diretoria, gritou “chefinho, e se fizermos um jogo de luta?!”Aí um outro, mais espertucho ainda, gritou em seguida “e se fizermos um jogo de luta esquisito?!” Mas foi nesse momento que o gordinho empacotador com bigodinho de ladrão do depósito, que passava ao lado da sala naquele momento sinistro, e sentido que seria um momento triunfante em sua vida, resolveu berrar lá da porta “E SE FIZERMOS UM JOGO DE LUTA COMPLETAMENTE BIZARRO E SEM SENTIDO???!!!11” E assim nasceu a idéia por trás de Ballz.

É difícil de entender como um troço desse conseguiu ser aprovado. Não sei de onde diabos que um jogo baseado em lutadores formados por bolas poderia dar em algo prestável. Pior foi o início do jogo dizer que você precisa ter “bolas” (é esse o sentido que você está pensando…) para jogar Ballz, quando você precisa mesmo é estar em um avançado grau de alcoolismo para achar aquela gororoba divertida. Vejam a ruindade em movimento:

Um lixo completo e irrestrito. Não há qualquer diferença relevante entre aquelas coisas que seriam os lutadores. Aliás, luta é um conceito um tanto vago em Ballz, que mais se parece com um simulador defeituoso de partículas. Não vale a pena perder tempo com essa porcaria nem em emulador, nem colocando o cartucho como peça de coleção. Aliás, não cometam essa maldade se algum de vocês tiverem um Genesis ou SNES funcionando. Até os clones de Street Fighter tem alguma qualidade a mais do que Ballz.

Vou ficando por aqui. Abraços e até o próximo post.

AvcF/André V.C Franco – Loading Time.

8 thoughts on “Bad Trip: Ballz (Genesis/SNES/3DO)

  1. nossa… eu lembro que quando eu li numa… acho que SGP ou AG flando desse jogo 3D pensei “uau, 3d!” (fiquei impressionado com a potencia de como os vgs estavam indo com toshiden, então aquilo foi algo interessante, anos antes). não joguei e peguei em emulado em 2000 ou 2001 pra mega pra testar…. kra, que lixo…
    graças a deus eu não lembro DE NADA do jogo… meu cérebro bloqueou isso… só lembro de que algo me diz “não!” sempre que eu penso “ué, pq eu não lembro desse jogo… acho que vou baixar pra lembrar como era”… huaehueauhaeuheauhea

  2. Ah, me lembrei de outro jogo de luta de snes/mega drive que sempre tive curiosidade de jogar, era o Weapon Lords, saiu já no fim da vida útil dos consoles, por volta de 94 também, se não me engano.
    Na época todo mundo (menos eu) já tinha embarcado de cabeça no playstation.
    Alguem já jogou? É bom (ou quase)? Alguem ainda o tem?

  3. Nossa…
    Ainda bem que eu nunca joguei esse jogo, nem nunca tinha ouvido falar.

    Monstruoso.
    Pior que do nada parece que mudam os “personagens”.

  4. Eternal champions era cruel demais, mas quando eu era pequeno, pagava um pau praquele treco que captava movimentos, rs.

    Nunca soube que tinham lançado weapon lords 64. Eu ignorava por completo 90% da biblioteca de titulos do n64, só de olhar pra capa eu ja achava terrivel.
    Aero gauge (tentei uma vez e nao entendi direito o jogo), trolhentos jogos genéricos de luta (war gods ?), e tantos outros jogos me fizeram entender uma coisa séria: a partir do n64, se o game nao era famoso, eu não compro sem testar antes, rs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.